Conteúdo

(Por Diego Dias)

Acabou a espera! Depois das incertezas quanto à realização da temporada 2022 da Major League Baseball em virtude do lockout que durou cerca de três meses, o Opening Day está agendado para a próxima quinta-feira (07). Confira o que esperar das equipes da divisão Leste da Liga Nacional (NL).

O fator novo

A grande novidade não só para a NL East mas como toda a Liga Nacional é a volta do rebatedor designado. A posição, até então exclusiva da Liga Americana e adotada nas demais ligas de baseball pelo mundo, foi utilizada na Nacional na encurtada temporada de 2020 e está de volta a partir deste ano em caráter definitivo. Assim, caberá aos lançadores apenas a função de arremessar, sendo substituído pelo DH no lineup.

Favoritos ao título da divisão

Sendo uma das divisões mais equilibradas e imprevisíveis da MLB (se não for a mais), a divisão Leste conta com o atual campeão da World Series, Atlanta Braves. Os Braves, uma vez mais, faturaram a divisão em 2021 e mantêm uma hegemonia que já dura 4 temporadas e aparecem como favorito a outro pennant. No entanto, o New York Mets e o Philadelphia Phillies se reforçaram na offseason e devem travar intenso duelo até as rodadas finais pelo título divisional.

A defesa dos títulos promete ser cheia de dificuldades para os Braves. A equipe de Atlanta perdeu o MVP da World Series Jorge Soler para o rival Miami Marlins e o MVP de 2020 e uma das faces da franquia Freddie Freeman para o Los Angeles Dodgers. Outro destaque da última pós-temprada, Joc Pederson, foi outro a sair (San Francisco Giants). Em compensação, o bullpen se fortaleceu com a chegada de Kenley Jansen e o infield ficou melhor com Matt Olson, que veio em troca com o Oakland Athletics. O bastão também segue como uma ameaça com Ozzy Albies, Ronald Acuña Jr (que se recupera de cirurgia no joelho) e Marcell Ozuna, que deve ser reintegrado ao plantel após ser suspenso pela MLB por agressão doméstica.

Dono da melhor rotação da MLB, o New York Mets inicia a temporada com problemas exatamente no setor. O ace Jacob deGrom passará todo o mês na IL em razão de fratura por stress no ombro e o recém-chegado Max Scherzer virou dúvida para o Opening Day. Os Mets ainda perderam Noah Syndergaard e Aaron Loup para o Los Angeles Angels, mas trocaram por Chris Bassitt junto aos Athletics. Já no bastão, a equipe se vê em boa situação com a volta do DH, com Dom Smith, JD Davis e o recém-integrado Robinson Canó como opções para a posição.

Outro a melhorar o lineup foi o Philadelhia Phillies, do atual MVP Bryce Harper. A equipe buscou na free agency Kyle Schwarber e Nick Castellanos (um dos bons nomes disponíveis) e aparece com um dos melhores bastões da divisão, que conta ainda com JT Realmuto. No entanto, a rotação segue em situação inversa e tem apenas Zack Wheeler e Aaron Nola como aces, o que deve resultar em um ERA alto para a rotação. Se o ataque souber compensar o montinho, Phila pode sonhar em jogar em outubro.

Brigam pra fugir da lanterna

Campeão em 2019, o Washington Nationals buscou se reforçar para a posição de DH ao trazer um dos melhores bastões da MLB no veterano Nelson Cruz. Porém, a equipe deve passar longe dos playoffs mais uma vez. Com o jovem talento Juan Soto sendo a provável face da franquia para os próximos anos, os Nats também sofrem na rotação desde a saída de Scherzer na última trade deadline e estão na expectativa de um retorno de Stephen Strasburg depois de uma longa estada na IL.

Mesmo com um plantel rechado de jovens talentos como Jazz Chisholm Jr, Pablo López e Jesús Luzardo, e agora com a chegada de Soler para a posição de DH, o Miami Marlins aparece com mínimas chances de repetir a campanha de 2020, quando chegaram à pós-temporada de forma incrível. A saída do CEO Jerek Jeter também causou tumulto nos bastidores de Miami. Se Soler e o outro recém-adquirido Avisaíl García corresponderem as expectativas, deixar de ser o saco de pancadas da divisão fica algo mais realizável.