Conteúdo

Esquenta NFL - O que esperar da AFC Sul

8 de setembro de 2020

(por Ricardo Menegueli)

Alguns times da AFC Sul fizeram um bom papel ano passado. Não há como negar que Texans e Titans, que caíram no divisional e conference championship, respectivamente, fizeram algo que, ao início da temporada, seria inimaginável, porém, o Indianapolis Colts também deu trabalho na temporada passada, apesar da campanha negativa(7-9).

Enquanto o Houston Texans parecia um time pronto e que abriu 24-0 nos Chiefs no divisional até sofrer a histórica virada, os Titans, de certa forma, surpreenderam a todos sendo a pá de cal na era Brady nos Patriots, além de eliminar os favoritos Ravens no divisional, para enfrentarem os atuais campeões.

As três equipes da divisão já citadas tiveram boa parte de seu elenco mantido e se reforçaram ao longo da offseason. Porém, acho que o principal destaque desta virada de temporada foi o escancarado desmanche em Jacksonville.

Sem mais delongas, vamos ao Raio-x por equipe:
 

Houston Texans

Com a base absolutamente mantida, o único ponto de atenção da equipe texana fica para a saída de seu principal recebedor, DeAndre Hopkins, que foi para os Cardinals. Apesar da contratação de Brandin Cooks e Randall Cobb, Hopkins, figura com frequência na lista dos 5 melhores recebedores da liga na atualidade, e isso acaba por colocar um grande peso nas contratações, mas ainda assim trata-se de um time sólido e que deve ir aos playoffs - ao menos via wild card. Não há dúvidas de que a defesa tem parte importante e deve esquecer o blackout na última partida do ano passado, quando os Chiefs viraram rapidamente um jogo que estava 24-0 para Houston.

 

Tennessee Titians

Se os Texans perderam uma peça importante, os Titans adicionaram uma que deve causar impacto imediato: Jadeveon Clowney.

O defensive end chega, após curta passagem por Seattle, para adicionar força ao pass rush e coloca Tennessee um nível acima de sua temporada anterior no setor defensivo.

Além disto, Henry e Tannehill ganharam o reforço na linha ofensiva de Isaiah Wilson, tackle draftado e vindo da universidade da Geórgia. O calouro precisa melhorar bloqueios, especialmente para jogadas de passe, mas Derrick Henry, o running back do time, é o motor deste ataque.

A briga pelo titulo da AFC Sul e uma vaga nos playoffs parece iminente aos finalistas da conferência na temporada passada.

 

Indianapolis Colts

Talvez eu não tenha dado o destaque devido ao time pois, na minha análise, Titans e Texans estão ainda a frente, mas, curiosamente, os Colts jogaram na contramão dos seus dois últimos "cases de sucesso": e quanto em 1998 Peyton Manning chegou para mudar a história da franquia e 2011 Andrew Luck foi draftado ara substituir o futuro Hall Of Famer, eles desta vez apostaram na experiência de Philip Rivers, recém chegado depois de uma longa era jogando pelos Chargers, para liderar o ataque. O quarterback chega para resolver a lacuna deixada por uma inesperada aposentadoria de Andrew Luck na última temporada e para trocar de ares após a péssima campanha dos Chargers na última temporada.

Outro destaque positivo para nós brasileiros foi Rodrigo Blankenship - filho de Brasileira - que será o kicker titular no início da temporada, substituindo o lendário Adam Vinatieri.

 

Jacksonville Jaguars

Jacksonville iniciou seu rebuild nesta temporada e isto é inegável após toda a movimentação e dispensas/negociações nos últimos meses.

A última e mais recente liberação por parte dos Jags foi do running back Leonard Fournette, que se juntou a uma lista de grandes jogadores da franquia que também foram dispensados/negociados pela franquia da Flórida.

A lista, entre outro nomes, tambem tem como destaque o defensive end Calais Campbell e o MVP do Super Bowl LII, Nick Foles, deixando a Gardner Minshew a função de ser o quarterback titular na temporada que está por vir.

O draft teve como ponto alto a escolha de primeira rodada K’Lavon Chaisson, que vem com a função de substituir o disruptivo Campbell nas trincheiras da equipe, porém, a não ser que acabem achando nas contratações algo inesperado, devem se preparar para fazer um bom draft no ano que vem e conseguir iniciar uma reestruturação com frutos no médio prazo.