Conteúdo

Em disputa emocionante, Verstappen segura Hamilton e vence GP das Américas

24 de outubro de 2021

(por Mattheus Prudente)

Uma disputa emocionante agitou os Estados Unidos na tarde deste domingo (24). Max Verstappen venceu o Grande Prêmio das Américas e se manteve na liderança do campeonato de pilotos. Atrás dele, um Lewis Hamilton lutador, que, no final, deixou a diferença em menos de um segundo, mas não conseguiu ultrapassar o holandês. O pódio foi fechado pelo favorito da torcida estadunidense: Sergio Perez, que foi seguido por Charles Leclerc e Daniel Ricciardo.  

A disputa entre os dois começou logo na largada, quando Hamilton pulou na frente e Verstappen o empurrou, na expectativa de diminuir o ímpeto do britânico na primeira curva, o que não aconteceu. Lewis tomou a liderança, com Verstappen em segundo. Um pouco mais atrás, a disputa de McLaren e Ferrari se intensificava, e Lando Norris tentou, em uma manobra arriscada, ultrapassar Ricciardo e Carlos Sainz, mas acabou se mantendo no mesmo lugar. 

Com Hamilton na liderança, Verstappen tentava ultrapassá-lo, mas, mesmo com a asa móvel aberta, a aproximação era difícil por conta da velocidade de reta da Mercedes. O companheiro de Hamilton, Valtteri Bottas, tinha problemas para ultrapassar Yuki Tsunoda, que tinha um bom ritmo de corrida com a AlphaTauri. 

O primeiro a optar por uma estratégia de pneus diferente foi Fernando Alonso, após o seu companheiro de equipe, Esteban Ocon, demonstrar um bom ritmo com pneus duros após um acidente no começo. Pouco depois, Verstappen, que continuava com problemas para se aproximar do líder, acabou também parando para colocar pneus duros, uma estratégia agressiva da Red Bull. 

Hamilton pararia pouco depois, mas perdendo a posição para Verstappen, mostrando que o undercut feito pela Red Bull havia dado certo. Alonso teve problemas com Kimi Raikkonen, e ficou irritado com a direção de prova após julgar que uma manobra do finlandês foi ilegal, pedindo para que eles devolvessem sua posição. Mais para frente, o espanhol mais uma vez se engalfinhou com uma Alfa Romeo, dessa vez de Antonio Giovinazzi, onde ambos tiveram que ceder posições em uma parte da disputa. 

Com Hamilton chegando mais perto de Verstappen e o holandês não dando a resposta esperada depois de algumas voltas de pneus duros, a Red Bull decidiu pará-lo nos boxes novamente, cedendo a posição para o britânico. Economizando pneus, Verstappen não demonstrava pressa em se aproximar de Hamilton, confiando que os pneus iriam se deteriorar. O piloto da Mercedes logo parou novamente, dessa vez para pneus duros. 

O rádio de Hamilton dava a tônica do que seria o fim da corrida, onde o seu engenheiro disse: “tudo vai ser decidido nas últimas três voltas”. Faltando 15 voltas para o fim, o britânico começou a se aproximar perigosamente de Verstappen, que alternava tempos bons e ruins e conseguia, dentro do possível, manejar a diferença. 

Nas 10 voltas finais, Hamilton já tinha menos de três segundos de desvantagem para Verstappen, e partia para tentar um ataque final. Tudo isso, misturado com os pneus deteriorados de ambos, apontavam para um final de corrida emocionante. Quando a vantagem diminuiu para menos de um segundo, Lewis teve o mesmo problema que o holandês teve antes, e não conseguia se aproximar, mesmo com uma grande reta à frente. 

Apesar de seus esforços para conseguir se colocar em uma posição de fazer uma manobra para a liderança, Hamilton se viu frustrado. Na última volta, com a vantagem menor do que um segundo, Verstappen fez uma volta de gênio, colocando a vantagem fora da zona de DRS. O holandês cruzou a linha de chegada em primeiro, com Hamilton em segundo.