Conteúdo

Doug Pederson não é mais técnico do Philadelphia Eagles três anos depois vencer o Super Bowl

11 de janeiro de 2021

(por João Zarif)
 

Doug Pederson foi afastado como o treinador principal do Philadelphia Eagles, três anos após liderar a franquia ao seu primeiro título de Super Bowl. Os Eagles se encontraram com Pederson nesta segunda-feira na Flórida, e deram uma oportunidade para o técnico apresentar seus planos de reconstrução da franquia após uma temporada de 4-11-1 - o pior recorde da franquia desde a última temporada de Andy Reid  em 2012.

“Passei as últimas semanas avaliando tudo desde o ano passado e olhando para o futuro", disse Jeffrey Lurie, proprietário e CEO do Eagles, em um comunicado. "Estamos todos muito decepcionados com a forma como nossa temporada foi e estamos ansiosos para mudar as coisas, não apenas para a próxima temporada, mas para o futuro de nossa franquia. O treinador Pederson e eu tivemos a oportunidade de sentar e discutir o que essa visão coletiva seria e parece que vamos seguir em frente. Depois de refletir sobre essas conversas, acredito que é do nosso interesse nos separarmos".

"Eu conheço Doug e sua família há mais de 20 anos e eles sempre serão uma família para mim. Todos nós esperamos o dia em que ele será introduzido no Hall da Fama dos Eagles como técnico vencedor do Super Bowl e estamos confiantes de que ele terá sucesso com sua próxima equipe. Mas, como líder desta organização, é fundamental que eu faça o que acredito ser o melhor para todos ao olharmos para o futuro, enquanto olhamos para o futuro e avançamos em nosso próximo capítulo. Sei que temos trabalho a fazer para voltar onde queremos estar, mas também acredito que temos um grupo excepcionalmente forte de pessoas nesta organização que podem nos preparar para o sucesso futuro”. Finalizou o dono da franquia.

Pederson é o primeiro treinador principal vencedor do Super Bowl a ser demitido três anos após a conquista do título desde Don McCafferty dos Colts em 1973. O relacionamento dos Eagles com Pederson azedou no ano passado, especialmente com a intromissão da diretoria em suas decisões de treinador principal. O time demitiu Mike Groh - a escolha de Pederson como coordenador ofensivo - um dia depois de Pederson anunciar que Groh voltaria à sua posição em janeiro de 2020, uma decisão que irritou o treinador.  O prego final no caixão foi o plano de Pederson de promover Press Taylor de coordenador de jogo para coordenador ofensivo e trazer de volta Cory Undlin como coordenador defensivo (Undlin foi o técnico dos defensores dos Eagles de 2015 a 2019 e um remanescente da equipe de Chip Kelly). Undlin foi o coordenador defensivo por uma temporada em Detroit, já que o Lions concederam a segunda maior pontuação em uma temporada na história da NFL.  Há pouco mais de uma semana, Pederson acreditava que seu futuro estava garantido com os Eagles - mesmo antecipando que ele estaria de volta em 2021. Os Eagles fizeram mudanças na comissão técnica na semana passada, não renovando os contratos dos assistentes ofensivos sênior Rich  Scangarello e Marty Mornhinweg.  O coordenador defensivo Jim Schwartz se aposentou e o técnico dos linebackers Ken Flajole também não deve retornar.  Schwartz e Flajole estão na equipe de Pederson desde sua primeira temporada (2016), enquanto Scangarello e Mornhinweg estiveram apenas na comissão técnica em 2020 - ano em que os Eagles não contrataram um coordenador ofensivo.  Pederson tem 42-37-1 em cinco temporadas como treinador principal dos Eagles, vencendo o Super Bowl na temporada de 2017 (sua segunda temporada como treinador principal da NFL). Apesar de dois títulos de divisão e três aparições na pós-temporada no currículo de Pederson, os Eagles estão apenas 22-25-1 na temporada regular desde que venceram o Super Bowl (1-2 na pós-temporada).

As questões em torno de Pederson incluem as lutas de Carson Wentz, que também tem um futuro incerto na Filadélfia. Wentz não discutiu seu futuro com a franquia ainda e não falou com a mídia sobre o relatório da ESPN de que seu relacionamento com Pederson está "fraturado além do reparo" e que ele ainda planeja pedir uma troca na intertemporada. A decisão da demissão de Pederson se deve em parte a Wentz, um quarterback com quatro anos e US$ 128 milhões restantes em seu contrato, e que a diretoria acredita que pode ser consertado com um novo treinador principal liderando o ataque. Wentz foi um dos piores quarterbacks da liga em 2020, contribuindo para a saída do técnico.

O time da Filadélfia trabalhará para encontrar um substituto rapidamente, com muitos candidatos ainda disponíveis para preencher a vaga.