Conteúdo

Dois pesos e duas medidas: LeBron James quebra protocolo de segurança e saúde da NBA, mas não será punido para os playoffs

22 de maio de 2021

(por Sérgio Viana)

O astro do Los Angeles Lakers, LeBron James, participou de um evento promocional de uma marca de tequila que ele apoia, antes da partida contra os Warriors no torneio Play-In. A NBA e os Lakers foram informados da situação, mas LeBron não será suspenso.

O argumento, bastante questionável, foi que o evento não atingiu um nível de ameaça de disseminação do vírus. Dois pesos e duas medidas.

O protocolo da liga diz que o jogador deve notificar sua equipe pelo menos três dias antes de qualquer comparecimento pessoal em qualquer situação com mais de 25 pessoas envolvidas, estando sujeito a advertências, multas ou suspensões, caso descumpra as regras.

O mesmo protocolo, permite que as equipes que tenham 85% de seus elencos vacinados, tenham uma flexibilização maior em relação a essas medidas. Frank Vogel, ainda esta semana, afirmou que os Lakers não atingiram esse percentual. 

LeBron James não se pronunciou até o momento sobre ter sido vacinado ou não. "Essa é uma conversa que minha família e eu teremos, vou manter isso em segredo." - disse James, em Março. 

Posicionamento bem contraditório para um jogador que além de ídolo, atuando em uma das franquias mais populares e vitoriosas da NBA, foi voz ativa em questões importantes na história recente, no movimento Black Live Matters, durante as eleições presidenciais dos EUA, e neste momento, não se pronunciar ou se engajar em prol da vacinação em massa no seu país.

Some-se a esse cenário o fato de que tivemos um caso semelhante com o companheiro de equipe de LeBron, Dennis Schroder, que desfalcou o time na reta final da temporada regular por 7 jogos.

Muito estranho também o silêncio do Sindicato dos Jogadores, Chris Paul, adversário direto na primeira rodada dos playoffs de James, não emitiu uma linha a respeito do assunto.

A NBA dá uma bola fora, toma uma decisão olhando para os envolvidos, LA Lakers e Lebron James, e claramente parece colocar o interesse comercial à frente de suas próprias regras. 

Será que se não fosse James a decisão seria outra? Eu acho que sim.

Quem perde com tudo isso é o fã do esporte da bola laranja.