Conteúdo

Conhece Dan Ticktum? Talvez não. Pela falta de inteligência dele

9 de agosto de 2021

(por Bruno Braz)
 

Existem pessoas que aprendem com os erros dos outros. Essas são as sábias. 

Tem outras que aprendem com os próprios vacilos. Esse é o grupo dos inteligentes.

Alguns não aprendem nunca. Esses podem ser chamados de estúpidos.

Porém, em outra categoria, há Dan Ticktum.

O Dan é um daqueles caras que passou bem na fila de talento, antes de descer para a terra. É rápido, é habilidoso e teria um futuro interessante, caso tivesse passado, ao menos uma vez, na fila do bom senso.

Vamos para alguns feitos interessantes Ticktum:

2011 - Campeão britânico de kart em todas as modalidades cadete (British FKS Championship, National ABkC Super One, British Open e British Grand Prix Championship);

2013 - Vice campeão europeu, empatado em pontos com o campeão, que foi ninguém menos que Lando Norris; No mesmo ano foi vencedor do troféu KFJ Andrea Margutti, batendo nomes como o próprio Lando Norris, Jehan Daruvala, Giancarlo Fisichella, Robert Kubica e Daniil Kvyat;

2017 - Vice-campeão e melhor estreante da F3. Chegou a liderar o campeonato, mas o perdeu para Mick Schumacher, que vinha em seu segundo ano no certame; Além disso, foi duas (DUAS) vezes vencedor do GP de Macau de F3, uma das provas mais tradicionais do mundo. Vencer uma vez, é para poucos. Duas então...
 

A primeira bobagem

Em 2015, no campeonato de fórmula MSA, chegou a liderar o certame, com três vitórias, mas perdeu rendimento e ficou atrás dos principais rivais (Lando Norris e Colton Herta). E aqui começou a faltar cérebro. Na penúltima rodada da competição, em Silverstone, durante um safety car, ele ultrapassou vários carros para bater, de propósito, em Ricky Collard. Resultado? Uma suspensão de dois anos imposta pela FIA, tendo que cumprir um.

Já em Janeiro de 2017, teve uma bela chance de seguir a carreira, depois de uma estupidez como a protagonizada em 2015, a Red Bull vê talento no jovem e o traz para o programa de pilotos do time. Ele fica dois anos com o apoio do time, mas algo acontece e os resultados pioram no período. A partir daí, foi mandado embora da academia após dois anos com o time.
 

Fim de carreira?

Isso seria para a maioria, né? Não para alguém com sorte. Em dezembro de 2019, a Williams o traz para ser o piloto a ser desenvolvido e reserva, apostando na continuidade da carreira do jovem inglês. 

Sabem a Williams? Aquela onde correm o Russell e o Latifi, que é filho do principal investidor do time? Então...

Estava Dan jogando Call of Duty, em transmissão ao vivo, quando resolveu começar a cantar. Adaptou uma música da cabeça dele e soltou um "Latifi é um m****". Ainda cantando, soltou um "Rosberg trapaceiro".

Alguém que estava assistindo a transmissão, mandou uma mensagem para ele, dizendo que o Latifi estava na F1, e ele, na F2. A resposta foi "interessante" também. "Ele é mais velho do que eu e pagou para estar lá, seu babaca. Vai embora. Não quero alguém assim no meu canal", esbravejou Ticktum

Enfim, esse é um resumo de alguém que certamente não vai mais aparecer na tela da Band em F1. Rápido, talentoso, mas estúpido. Xingar o filho do principal investidor do seu empregador, é para ter a vida curta mesmo.

É aquele velho ditado, "Deus não dá asa a cobra". Aí está um caso perfeito de talento jogado no lixo. Até a próxima.