Conteúdo

Confira a lista das duplas de pais e filhos que mais pontuaram na história da NBA

29 de junho de 2020
13h 25
(por Leonardo Costa)
 
 
Assim como fizemos com a MLB, decidimos montar nossa lista dos melhores duos pai-filho a atuarem na NBA. Levamos em consideração na elaboração da lista apenas a soma das médias de pontos de cada um. Exemplificando, se o pai teve médias de 15 pontos por jogo na carreira, e o filho teve 13, logo a soma da pontuação média deles seria 28.

Poderíamos elaborar a lista de inúmeras maneiras, levando em consideração diversos aspectos, desde outras estatísticas até a relevância que determinado jogador teve para a liga. Porém, decidimos manter apenas a pontuação como critério de classificação. Vamos para a lista.
 
 
1 - Dell Curry (11,7) e Stephen Curry (23,5) = 35,2ppg
A liderança da lista pertence à família Curry, mais especificamente entre o pai Dell e o filho Stephen, lembrando que Seth também atua na liga, mas com médias inferiores a seu irmão.
Dell teve uma sólida carreira na NBA entre 1986 e 2002, sobretudo nos Hornets, equipe que defendeu por 10 temporadas, tornando-se o segundo maior pontuador da história da franquia. 
Já Steph praticamente dispensa apresentações. 2 vezes MVP da temporada, sendo uma delas de forma unânime, e peça-chave na conquista de três campeonatos pelos Warriors, é considerado por muitos como o melhor arremessador da história da liga.
 
 
2 - Rick Barry (24,8) e Brent Barry (9,3) = 34,1ppg
Rick Barry é considerado um dos maiores jogadores da história da NBA, e seus feitos o credenciam a tal honraria. 12 vezes All-Star, MVP, campeão das finais de 1974-75 pelos Warriors, além de maior pontuador da temporada no mesmo ano do título e integrante do Hall da Fama da liga.
Seu filho, Brent, teve uma carreira bem mais modesta, mas com 2 títulos da NBA conquistados defendendo os Spurs. Por mais que tenha ganho seus anéis na franquia texana, seus melhores momentos foram atuando pelo Seattle Supersonics, franquia que defendeu entre 1999 e 2004.
 
 
3 - Joe Bryant (8,7) e Kobe Bryant (25) = 33,7ppg
Pai de um dos maiores astros do basquete mundial, Joe não teve uma carreira vitoriosa como Kobe, mas jogou na NBA por 8 temporadas. Se aposentou no final da temporada 1982-83, aos 28 anos, após atuar pelo Houston Rockets. Seus melhores anos na liga foram defendendo o então San Diego Clippers, predecessor do atual Los Angeles Clippers
Kobe Bryant possui uma das histórias mais vitoriosas da liga. Foram 20 temporadas na NBA, sempre defendendo as cores dos Lakers, conquistando 5 títulos, duas vezes MVP das finais e uma vez de temporada regular, participando de 18 All-Star Games e sendo MVP em quatro oportunidades. Um dos maiores ídolos do basquete mundial, Kobe está imortalizado por suas conquistas e atuações que estarão para sempre em nossas memórias.
 
 
4 - Mychal Thompson (13,7) e Klay Thompson (19,5) = 33,2ppg
Com dois anéis de campeão atuando pelos Lakers de Magic Johnson, Mychal foi a 1ª escolha geral do draft de 1978 por Portland, equipe que atuou até 1986 e pela qual teve seu maior protagonismo, inclusive com dígito-duplo em pontos e rebotes na temporada 1981-82.
Klay, ao lado de Curry, é o responsável por trazer o Warriors novamente ao protagonismo na liga. 3 títulos, 5 vezes All-Star, além do prêmio de melhor defensor da NBA na temporada 2018-19, Thompson é um dos jogadores mais completos nos dois lados da quadra. Exímio arremessador, marca como poucos, além de uma entrega acima da média.
 
 
5 - Tim Hardaway (17,7) e Tim Hardaway Jr. (13,4) = 31,1ppg
Selecionado pelos Warriors no draft de 1989, Hardaway teve uma das carreiras mais constantes da NBA, pese não ter conquistado nenhum título da liga. Em suas 13 primeiras temporadas não baixou dos 13 pontos por jogo em nenhuma delas, chegando a marcar 23,4 de médias na temporada 1991-92. Com 5 convocações para o Jogo das Estrelas, tem sua icônica camisa 10 aposentada no Miami Heat.
Hardaway Jr não possui uma carreira do nível de seu pai, mas tampouco tem números fracos. Nos últimos anos vem sendo titular nas equipes por onde atua e, mais recentemente nos Mavericks, tem tido sua campanha com melhor aproveitamento em arremessos da carreira, sobretudo nas bolas longas, com 40,7%.
 
 
6 - Jimmy Walker (16,7) e Jalen Rose (14,3) = 31ppg
Selecionado pelo Detroit Pistons em 1967, Walker foi um dos grandes ídolos da franquia na época. Jogando seis temporadas em Detroit, Walker foi eleito duas vezes para o All-Star Game. Jogou também pelo Houston Rockets e Kansas City Kings sem o mesmo sucesso.
Único filho da lista que não possui o sobrenome do pai, Jalen Rose era um dos principais jogadores da NBA na virada do século. Teve boas temporadas atuando pelos Pacers, Raptors e Bulls, franquia pela qual anotou 23,8 pontos de média na temporada 2001-02. Se aposentou pelos Suns em 2006-07 após poucas partidas.
 
 
7 - Ernie Vandeweghe (9,5) e Kiki Wandeweghe (19,7) = 29,2ppg
Jogador mais antigo dessa lista ao lado de Dolph Schayes, Ernie entrou na NBA na temporada 1949-50, escolhido pelos Knicks, franquia que defendeu por toda sua carreira na liga. Foram seis temporadas na NBA, e após sua aposentadoria trabalhou como médico para a força aérea dos Estados Unidos na Alemanha, país onde nasceu seu filho Kiki.
Selecionado pelos Mavs no draft de 1980, Kiki logo foi enviado aos Nuggets, onde atuou até 1984. Na temporada seguinte foi para os Blazers e anotou suas melhores marcas. Em 13 temporadas na NBA, foi para os playoffs em 12 delas, mas nunca venceu um anel. Foi duas vezes convocado para o All-Star Game.
 
 
8 - Dolph Schayes (18,5) e Danny Schayes (7,7) = 26,2ppg
Assim como Ernie, Schayes também entrou na NBA em 1949, pelo então Syracuse Nationals, equipe que daria origem ao Phialdelphia 76ers. Foram 15 temporadas sempre defendendo a mesma equipe e com um título conquistado, além de 12 vezes All-Star. Um dos maiores nomes dos primórdios da liga, esteve presente nos playoffs em quase todas as suas temporadas, exceto uma, e foi eleito para o Hall da Fama em 1972.
Foram 18 temporadas na NBA, entre 1981 e e 1999. Danny não teve grandes números na carreira, e quase sempre começou as partidas no banco, mas teve bons momentos durante sua passagem pelos Nuggets, sobretudo na temporada 1987-88, em que teve médias de 16,4 pontos e 7,2 rebotes nos playoffs.
 
 
9 - Stan Love (6,6) e Kevin Love (18,2) = 24,8ppg
Stan teve passagem pela ABA e entrou na NBA, em 1971, pelo Baltimore Bullets, onde atuou por quatro anos até se mudar para os Lakers e depois para os Spurs, que ainda não fazia parte da liga. Se aposentou com apenas 25 anos.
Outro integrante da lista que ainda está na ativa, Kevin possui 12 anos de experiência na NBA, metade deles em Minnesota e outra metade com os Cavs, sempre com bom protagonismo. E foi em Cleveland que ganhou seu anel de campeão na temporada 2015-16. Também possui no currículo 5 participações em All-Star Games.
 
 
10 - Arvydas Sabonis (12) e Domantas Sabonis (12,1) = 24,1ppg
Única dupla europeia na lista, os Sabonis entraram na NBA pelos Blazers em 1995, com um veterano Arvydas. Aos 31 anos, o lituano angariou o prêmio de Rookie of the Year em Portland, franquia que defendeu até se aposentar em 2003. O jogador poderia ter estreado muito antes na liga, mas uma série de questões legais e diplomáticas impediram que atuasse na NBA, o que não lhe tirou a honraria de ser eleito para o Hall da Fama do esporte.
Integrante mais jovem da liga com 23 anos, Domantas vem em seu melhor momento na carreira. Selecionado pelo OKC em 2016, chegou aos Pacers na temporada seguinte e vem evoluindo a cada ano, sendo inclusive convocado para o All-Star Game em 2019.