Conteúdo

Com show dos Splash Brothers, Warriors vencem jogo 6 contra Memphis e garantem classificação para a final de conferência

14 de maio de 2022

(por Matheus Correia)

Sem surpresas no Chase Center. Após uma derrota humilhante no jogo 5, o Golden State Warriors fez os ajustes necessários, se recuperou e confirmou o favoritismo na ausência de Ja Morant para os Grizzlies. Com mais uma ótima atuação de Klay Thompson em um jogo 6 e Stephen Curry definindo no clutch-time, a franquia de São Francisco conquistou a vitória e a classificação para as finais da conferência oeste.

Atuando como head-coach da equipe por conta da ausência de Steve Kerr por Covid-19, Mike Brown fez uma mudança no lineup titular que foi essencial para uma boa performance da equipe: Kevin Looney entrou no lugar de Jonathan Kuminga, e fez o que foi provavelmente a melhor atuação de sua carreira. Além disso, Andrew Wiggins foi protagonista no último quarto (acredite se quiser), e a excelente atuação defensiva permitiu que o time ficasse na frente do placar durante a maior parte do confronto, mesmo cometendo muitos turnovers no ataque.

Por outro lado, os Grizzlies, motivados pela vitória no jogo 5, não conseguiram criar volume de jogo o suficiente para superar o time adversário. Dillon Brooks assumiu o papel de protagonista, e fez tudo o que pôde para manter sua equipe viva na série. O jovem roster de Memphis demonstrou que futuramente, será extremamente problemático para o resto da liga. Mas nesta noite, também mostrou que ainda não estão preparados para secar o tanque dos Splash Brothers.

O jogo

Golden State conseguiu engatar uma boa sequência de 16 – 8 logo no início, com Klay Thompson convertendo três bolas do perímetro em apenas seis minutos. Mas a equipe de Mike Brown cometeu muitos turnovers no ataque e permitiu que os Grizzlies se recuperassem, com Dillon Brooks botando a bola debaixo do braço no ataque.

Este foi um padrão que se repetiu diversas vezes no desenrolar do confronto: os Warriors abriam uma boa vantagem, ficavam complacentes no ataque e permitiam que Brooks colocasse Memphis na partida novamente. No fim do primeiro quarto, a diferença no placar era de quatro pontos: 30 – 26.

Curry e Thompson fizeram um ótimo primeiro período com arremessos de longa distância, e a impressão é de que os Warriors poderiam conquistar uma vantagem de digito-duplo no placar se não fosse os frequentes turnovers. A equipe de San Francisco defendeu muito bem quando estava com a marcação ajustada, mas quando perdiam a posse da bola no ataque, Memphis não perdoava.

E isto foi um fator determinante no segundo período: se aproveitando de transições rápidas e da desorganização da defesa dos Warriors nestas situações, Memphis conseguiu engatar uma sequência de 14 pontos e virou o placar a seu favor. Os Warriors respiraram, passaram a trabalhar mais a bola e conseguiram reverter a situação, anotando nove pontos em sequência e retomando a liderança ao fim do quarto, mas com uma diferença extremamente equilibrada: 53 – 51.

O terceiro quarto foi mais do mesmo; sequência dos Warriors liderada por Thompson, turnovers no ataque, recuperação de Memphis liderada por Brooks. A impressão era de que os Warriors desenharam seu jogo ofensivo exclusivamente ao redor de Thompson, e quando não conseguiam criar uma situação confortável para ele, forçavam jogadas desnecessárias e entregavam a bola para os Grizzlies.

A equipe de Taylor Jenkins continuou sendo letal em jogadas de transição e dava a pinta de que estava a uma sequência de pontos para assumir o controle da partida. Mas Klay impedia que isto acontecesse continuadamente. O mesmo equilíbrio no placar visto ao longo da partida continuou no terceiro período, que terminou com uma diferença de apenas um ponto: 78 – 77.

Sendo assim, tudo ficou para ser decidido nos 12 minutos finais do confronto. O último quarto teve um início muito físico e de muita intensidade – ambas as equipes estavam dando 101% defensivamente. Os Warriors conseguiram iniciar bem com uma sequência de Wiggins no ataque, mas as bolas de três pontos de Memphis caíram e a equipe visitante virou o placar após um arremesso do perímetro convertido por Desmond Bane.

Mas rapidamente, Wiggins colocou Golden State novamente na frente com uma bola três. Na sequência, o ala aproveitou um turnover de Brooks e correu livre de marcação contra a quadra adversário, enterrando e botando uma vantagem de três pontos no placar para os Warriors. Acredite se quiser, mas Andrew Wiggins foi protagonista em um quarto período de um jogo decisivo nas semifinais da conferência oeste.

Depois que o Maple Jordan resolveu, ficou fácil para a franquia de San Francisco. Os Grizzlies não conseguiram manter uma boa produção ofensiva nos minutos restante de partida, e Stephen Curry encerrou a temporada da equipe de Tennessee com uma bola de três pontos espetacular, quase do logo, que deu uma vantagem de 10 pontos para sua equipe com menos de quatro minutos restantes no relógio.

Resultado: Golden State Warriors 110 – 96 Memphis Grizzlies

O Golden State Warriors está na final da conferência oeste. Após duas temporadas sem sequer se classificar para os playoffs, a franquia de San Francisco tenta seu último esforço para a conquista do título no que provavelmente pode ser a última temporada em alto nível dos Splash Brothers.

A equipe pode ter um bom futuro nas mãos de Poole e Kuminga (e talvez Wiseman), mas no fim do dia, são Curry e Thompson que resolvem. Steph terminou o confronto com 29 pontos, 7 rebotes, 5 assistências e dois tocos. Já Thompson foi o cestinha dos Warriors com 30 pontos, 8 rebotes e duas assistências.

Como citado no início, Kevon Looney também foi essencial para Golden State. Um fator que foi decisivo para a vitória de sua equipe foram os rebotes: os Warriors pegaram 70 (!!!!) rebotes, contra apenas 44 dos Grizzlies. E Looney pegou 22 destes 70.

Por Memphis, Dillon Brooks foi o destaque: 30 pontos, 4 rebotes e 3 steals. Fez o que deu. Desmond Bane (25 pontos e 7 rebotes) também teve boa atuação.

Agora, os Warriors aguardam o vencedor da série entre Phoenix Suns e Dallas Mavericks. A partida entre estas duas equipes será realizada neste domingo (15), e o primeiro confronto das finais de conferência será realizado na terça-feira (17).