Conteúdo

Com ‘nó tático’, Ravens atropelam Cowboys e seguem vivos na briga por playoffs

9 de dezembro de 2020

(por Marcos André)

Mesmo tendo 12 dias para se preparar para enfrentar os Ravens, o Dallas Cowboys teve outra atuação extremamente irregular, especialmente na defesa. Durante toda a partida, a equipe de Baltimore controlou as trincheiras e teve muita facilidade para estabelecer o jogo terrestre. Lamar Jackson, Gus Edwards, Dobbins e Ingram somaram praticamente 300 jardas por terra. No jogo aéreo, o QB dos Ravens praticamente não foi exigido. Foram apenas 12 passes completados em todo o confronto.

Do lado dos visitantes, Andy Dalton até contou com uma boa atuação da linha ofensiva e uma performance sólida da dupla Elliott/Pollard, mas não foi suficiente. Greg Zurlein errou 3 field goals que poderiam ter dado outra cara ao confronto, mas, novamente, cabe questionar o trabalho do técnico McCarthy e do coordenador ofensivo Kellen Moore. Com chamadas repetitivas, deixando o QB sempre em situações de passe em 3ª descidas, o trabalho da forte defesa de Baltimore foi facilitado. Aliás, mesmo quando o kicker dos Cowboys já estava nitidamente abalado, o técnico insistiu em colocá-lo em campo.

Para os donos da casa, após abrir vantagem no placar, bastou administrar o jogo, já que em nenhum momento a defesa dos Cowboys ameaçou parar Lamar Jackson e cia. Aliás, Mike Nolan – coordenador de Dallas – se consolida, a cada rodada, como um dos piores da liga. Ficou nítido o despreparo dos jogadores de DL e linebackers dos Cowboys, completamente perdidos nas jogadas de option do Baltimore – justamente, o carro-chefe da equipe.
 

Placar final: Baltimore Ravens 34 x 17 Dallas Cowboys
 


 

Com a vitória num jogo de vida ou morte, a equipe de Baltimore chega a 7-5 e entra de vez na briga por uma vaga de wild card. Já Dallas, com 3-9, se afunda na lanterna da NFC East e basicamente dá adeus às chances de vencer a divisão.