Conteúdo

Com Julius Randle pegando fogo, Knicks batem os Lakers em casa

13 de abril de 2021

(por Sérgio Viana)

Esse jogo já foi um clássico da NBA, passou a última década escondido nas transmissões ao vivo ou em rede nacional nos EUA, mesmo sendo o "jogo da TV", uma espécie de Flamengo x Corinthians aqui no Brasil. 

Muito por conta do desempenho do time da Big Apple, que não vai aos playoffs desde 2013, não joga uma final de conferência desde 2000 e a última aparição no NBA Finals foi um ano antes quando perdeu de 4x1 para os Spurs.

Parece que esses dias definitivamente ficaram para trás. Tom Thibodeau, não importa qual seja a posição que o New York Knicks termine na fase de classificação, resgatou não só o respeito de uma das mais valiosas franquias do esporte mundial, mas, principalmente, a alegria do seu torcedor em ver um basquete bem jogado por lá.

Tivemos um belíssimo jogo, onde todo o "Thibodismo" foi demonstrado: muita marcação, um esquema defensivo que sufoca o adversário, armadilhas para induzir o adversário bater para dentro, uma saída rápida em transição e paciência para gastar os 24 segundos escolhendo o melhor arremesso. Os efeitos colaterais também  apareceram: o treinador esgota seu elenco, ontem por exemplo Randle jogou quase 39 minutos, alguns turnovers infantis, típicos de times em formação, ansiosos, o time tomou "run", mas no final, o duelo tático contra o também excelente Frank Vogel teve desfecho favorável ao time da casa.

O jogo foi bem equilibrado nos dois primeiros períodos, Los Angeles Lakers vindo de uma importante vitória fora de casa contra os badalados Nets, estava confiante que poderia repetir o feito de duas noites anteriores. Esqueceram que os Knicks marcam bem mais que os Nets, mas o volume ofensivo garantiu a vitória parcial no primeiro quarto e segurou o jogo na ida para o intervalo com uma diferença de 3 pontos a favor dos Knicks.

A partir daí só deu o time da casa.

O candidato a "Most Improved Player of the Year" Julius Randle estava pegando fogo. Não importava se o marcador era Morris, Harrell ou Gasol, ele simplesmente não tomou conhecimento, fechou a partida com dígito duplo, 34 pontos, 10 rebotes e 56% em arremessos de quadra. Elfrid Payton estava no mesmo modo, 20 pontos e insanos 75% em arremessos de quadra deram o tom do que foi esse período onde até o veteraníssimo e interminável Taj Gibson teve papel importante vindo do banco com 8 pontos, 10 rebotes e 3 tocos.

Some-se a isso ainda uma noite onde os arremessadores dos Lakers não estavam com as mãos calibradas e "tijolaram". Vide Kuzma com 38% e McLemore com 25%, sem falar no Drummond com 33% em arremessos. Gasol, que foi confirmado de última hora, jogou somente cinco minutos e seu QI de basquete faz muita falta com a ausência de Davis e James, mesmo sendo uma avenida na defesa.

Dennis Schröder com 21 pontos e 6 assistências e Markieff Morris, o irmão "pobre", com 17 pontos e 7-11 em arremessos, foi o que deu para chamar de destaque pelo time de LA.

É muito bacana ver esse atual time dos Knicks jogando, é sempre uma boa notícia ver que existe luz nesse momento da "NBArremessobol", que dá para jogar sim sem bombar o tempo todo bolas de três e, principalmente, ver um time jovem mesclando veteranos ter relevância na liga. Não dá para cravar qual vai ser o resultado disso, NYK tem chance de ficar fora do play in, está em uma zona cinza da tábua de classificação no leste que do 4º ao 9º a diferença é de 3 jogos. Se ficar em 4º ou 5º dá para sonhar com uma segunda rodada de playoffs, se ficar de sexto para baixo esquece. Mas, mesmo assim, terá sido um baita ano para o time da Big Apple.

Os Lakers precisam aumentar o salário de Frank Vogel. Um dos principais méritos de um treinador da NBA é não sabotar seu elenco e Vogel sabe como tirar o melhor do seu. O time está sem as duas principais peças ofensivas há mais de 10 jogos e ele consegue manter uma organização tática interessante. Mas, como o jogo ainda se chama "bola ao cesto", falta talento para fechar os jogos.

Isso não será problema na fase regular, dificilmente os Lakers percam a posição 6 para alguém e estarão fora do play in. O foco é recuperar Davis e James, fazendo eles ganharem algum ritmo na fase final de classificação e entrarem quentes nos playoffs. Vale lembrar sempre que os angelinos são os atuais campeões, que possuem dois dos melhores jogadores da liga na atualidade, um deles que atende pelo nome de LeBron James, e que não vai ser fácil para nenhuma equipe do Oeste ou do Leste batê-los com a dupla saudável.

Final: Los Angeles Lakers 96 @ 111 New York Knicks

Os Lakers hoje (13) fazem um "back to back" contra os Hornets, enquanto os Knicks vão enfrentar os Pelicans nesta quarta (14).