Conteúdo

Com fortes dores nas costas, Lewis Hamilton pode perder GP do Canadá

12 de junho de 2022

(por Mattheus Prudente)

Depois de um fim de semana com bons resultados no GP do Azerbaijão, a Mercedes pode ter problemas para o GP do Canadá. O chefe da equipe, Toto Wolff, afirmou que Lewis Hamilton pode perder a próxima corrida por conta de dores nas costas causados pelos quiques no carro. 

Wolf foi perguntado sobre a situação de Hamilton e se isso ia causar riscos para a próxima corrida, e Toto foi sincero ao responder: 

“Sim, definitivamente. Eu não o vi nem falei com ele, mas dá para ver que o problema não é mais muscular. Nesse momento, o problema atinge a coluna e pode ter algumas consequências. Ele está mal e nós temos que achar uma solução. Nesse momento, eu diria que ele é o que mais foi afetado, mas todos os pilotos reclamaram e falaram que precisamos achar uma solução. Agora, eu não sei dizer qual é.” Disse Wolff. 

Hamilton reclamou de dor nas costas durante todo o fim de semana, com o porpoising, que é o movimento de quique do carro, sendo o causador desse problema. O britânico chegou a dizer no rádio durante a corrida que “suas dores estavam insuportáveis”, e teve muitas dificuldades para sair do carro depois do fim da corrida. 

Mesmo com ambos os pilotos preocupados com esses problemas, a Mercedes conseguiu um belo resultado, com George Russell terminando em terceiro e Hamilton em quarto. Se não conseguir ter Hamilton, a equipe pode ter que usar Nyck De Vries ou Stoffel Vandoorne, que correm na Fórmula E pela equipe, no Canadá, ou tentar achar outra solução. 

Na última vez que Hamilton perdeu um GP, por conta da Covid-19, Russell, que estava na Williams, assumiu o seu lugar, correndo ao lado de Valtteri Bottas. Se De Vries e Vandoorne não assumirem o posto de Hamilton, a solução comum seria procurar Alex Albon, mas, por ainda ser um piloto Red Bull, essa negociação pode ser difícil. 

O GP do Canadá já acontece no próximo fim de semana. A viagem do Azerbaijão para o Canadá em menos de uma semana é a maior anomalia desse calendário, com todas as equipes reclamando do pouco tempo para uma viagem tão longa.