Conteúdo

Com final surreal, histórico e escalafobético, Suns vencem Clippers e abrem 2 a 0 na final do Oeste

23 de junho de 2021

(por Vinícius Freitas)
 

Não há palavras para descrever o que foi o final da partida entre Phoenix Suns e Los Angeles Clippers. O jogo inteiro foi brigado, disputado e imprevisível, mas o que o ocorreu no fim, no lance protagonizado por Deandre Ayton, entrou para a história dos Playoffs da NBA. Confira como foi esse já clássico Jogo 2 entre os finalistas da Conferência Oeste.

Sem as suas principais estrelas, Chris Paul e Kawhi Leonard, Suns e Clippers começaram os primeiros minutos desperdiçando muitos ataques, com os anfitriões anotando seus primeiros pontos apenas depois de três minutos zerados. Os Clippers abriram 8-2, mas depois da primeira cesta a equipe de Phoenix conseguiu equilibrar o jogo, anotando 4 ataques seguidos, com 11-8 a favor, fazendo o técnico Tyronn Lue gastar a sua primeira parada técnica. O jogo era tenso, e depois de uma disputa de bola entre Paul George e Jae Crowder, Marcus Morris empurra Crowder e os juízes dão falta técnica para os dois jogadores. O duelo se manteve bastante equilibrado, com as equipes alternando algumas vezes na liderança do placar, mas sempre sem deixar o adversário se distanciar. Os Suns ainda conseguiram ficar na frente, com uma cesta nos últimos segundos de Payne, fazendo 25 a 22. Deandre Ayton (12pts, 5reb) e Cameron Payne (7pts) eram os principais nomes dos anfitriões na noite. Já pelo lado dos visitantes, Reggie Jackson (7pts) e Paul George (5pts, 2/7 nos arremessos) eram os cestinhas dos angelinos.

No segundo quarto as equipes entraram com os “bancários", e assim o time de Phoenix foi abrindo uma pequena vantagem de 29 a 23 nos primeiros minutos. Mas, depois de dois ataques seguidos, os Clippers encostaram mais uma vez no placar, agora perdendo por 28 @ 29 apenas. Os Suns conseguiam manter a vantagem ainda que pequena, mesmo na volta de alguns titulares, chegando a abrir 38 a 31. Depois disso, o placar oscilava, com os Clippers conseguindo diminuir a vantagem em alguns momentos e os Suns aumentando a diferença logo em seguida. No final do período, os Clippers encostaram no placar, mas não conseguiram retomar a liderança, mesmo com o último ataque antes do intervalo, terminando com a derrota parcial de 47 @ 48. Reggie Jackson (11pts) seguia como cestinha dos Clippers, seguido por Paul George (9pts, 4reb, 4/12 nos arremessos) e Terance Mann (8pts). Pelo lado de Phoenix, Cameron Payne (16pts, 3ast) teve grande atuação, liderando a equipe nas ações ofensivas, seguido por Deandre Ayton (12pts, 6reb) e Devin Booker (9pts, 4ast, 3/10 nos arremessos).

Na volta dos vestiários, os Clippers voltaram um pouco melhores, retomando a liderança do placar, anotando 51 a 48, contendo muito bem as jogadas de infiltração dos anfitriões. Pouco tempo depois os Suns voltaram a ficar na frente, fazendo 53 a 51. O jogo seguia equilibrado, com os Clippers na cola dos Suns, mas Phoenix teve um bom momento com dois ataques seguidos, abrindo 59 @ 54 e fazendo mais uma vez o time californiano parar o jogo. Mesmo com o tempo pedido pelos Clippers, os Suns seguiam melhores, abrindo 63 a 54, maior vantagem do time no duelo. Os Suns iam administrando a vantagem, mantendo sempre um margem de dois ataques de frente. Com cerca de 3 minutos para o fim, Berveley dá uma cabeçada em Booker em uma jogada de ataque dos Suns, depois de alguns momentos de thrash talk e marcação mais dura do experiente armador dos Clippers, mas apesar do momento intenso, o lance pareceu acidental. O jogo foi pausado e os dois jogadores deixaram a quadra com sangramentos na região do nariz. Mesmo sem Booker, os anfitriões conseguiram terminar o terceiro período na frente, com 75 a 71 a favor, com Cameron Payne (23pts, 4ast, 2stl, 2blk) e DeAndre Ayton (20pts, 11reb, 1blk) mantendo as boas atuações da primeira metade do duelo. Reggie Jackson (16pts, 3reb) e Paul George (16pts, 4reb, 4ast, que esquentou a mão na segunda parte do jogo), lideravam a equipe californiana na peleja.

Para a tranquilidade das torcidas, tanto Booker quanto Beverley voltaram para o jogo na última etapa, que seguia muito equilibrada apesar da vantagem momentânea da franquia de Arizona. Booker era um dos principais responsáveis pela vantagem dos Suns, sofrendo algumas faltas e convertendo seus lances livres com perfeição. O tempo ia passando e Phoenix mantinha a frente do placar, que aos poucos ia diminuindo devido a boa pontaria dos Clippers nas bolas de 3, principalmente com Reggie Jackson e Luke Kennard. Na metade do período as duas equipes desperdiçavam muitos ataques, com o marcador ficando aproximadamente cerca de 3 minutos sem alterações, com 93 a 90 para os Suns. Depois disso as equipes alternaram alguns ataques, com os Suns vencendo por 100 a 95 com menos de 1 minuto e meio para o fim. Kennard anotou uma bela cesta e diminuiu para 100 a 97, com pouco mais de um minuto no cronômetro. No ataque dos Suns, Booker faz falta de ataque em Beverley e deu a chance dos Clippers empatarem a partida. No ataque de Los Angeles, mais uma vez, Booker comete falta, neste momento em Paul George, que converte os dois lances livres e diminui para 100 a 99. Ivica Zubac dá um toco importantíssimo em Payne e, logo após a ação defensiva, George dispara em velocidade para o ataque e faz a bandeja, virando o jogo para os Clippers, agora com 101 @ 100 para a equipe de Los Angeles, com cerca de 35 segundos para o término do embate. Devin Booker responde rapidamente, com uma bela cesta de média distância, fazendo 102 a 101 para os Suns, com o relógio marcando 27 segundos agora. Paul George também é decisivo e anota mais uma grande cesta, dando a vitória parcial de 103 @ 102 para LA novamente. Na última investida dos anfitriões, Beverley consegue atrapalhar Booker e ganhar um arremesso lateral para os Clippers, com 9 segundos restantes. Paul George sofre falta e, ao invés de praticamente decidir o jogo, desperdiça os dois lances livres, com o rebote ficando com Mikal Bridges, ainda com 7 segundos para o fim. Mesmo com um tempo considerável para o final, o time de Phoenix força uma bola de 3 com Bridges, que não cai, mas vai para o fundo de quadra ainda em posse dos anfitriões, com apenas 0.9 segundos restantes. 

Em um lance milagroso, digno de filme, Crowder faz uma ponte aérea para Ayton, que faz 104 a 103, em um dos lances mais icônicos que este que vos escreve presenciou, junto com toda a torcida dos Suns e os amantes do basquete! Um momento para ficar na história! Depois de muita demora dos juízes, que foram verificar o lance por conta da reclamação dos angelinos, que alegaram que a bola havia ido direto para a cesta, com interferência do pivô, porém, a jogada foi validada, e os Clippers, que já não tinham mais tempo técnico para pedir, por conta do desafio no lance da cesta de Ayton, tinham apenas 0.7 segundos no relógio para sair da quadra de defesa para o ataque. Paul George ainda consegue receber o passe, mas sem tempo para tentar o arremesso salvador e evitar a segunda derrota dos Clippers na série, que mais uma vez começam uma disputa perdendo por 2-0.


 

Placar Final: Los Angeles Clippers 103 @ 104 Phoenix Suns

 

Apesar do péssimo aproveitamento nas bolas de 3 (6/26) dos anfitriões, a equipe mais uma vez explorou muito bem o garrafão, sendo o principal fator da vitória de Phoenix. Mesmo com um desempenho não tão bom de Devin Booker (20pts, 5ast e 5/16 nos arremessos), que foi um dos que mais forçou arremessos, destoando do jogo coletivo do restante do time, e cometendo duas faltas em sequência no finalzinho do jogo que complicaram demais a situação dos Suns, os representantes do Arizona mostraram força e muita garra para conseguir a segunda vitória e um cenário confortável para o restante dos jogos, com possibilidade de volta do astro Chris Paul para o jogo 4.

Os Clippers, apesar de mais uma vez mostrarem sangue frio e muita dedicação defensiva, acabaram dando chances ao adversário por conta do erro de Paul George nos dois lances livres finais da partida, que poderiam ter garantido o empate na série para o estreante em finais de Conferência. Ty Lue mais uma vez viu sua equipe ser massacrada no garrafão e ainda assim continuou com o small ball em quadra. Outro jogador que ficou pouco tempo em ação e tem sido crucial para o bom funcionamento do time, é Nicolas Batum, que jogou apenas 15 minutos, e costumar ter um impacto muito positivo no trabalho defensivo.

Destaques

LAC: Paul George (26pts, 6reb, 6ast, 1/8 nas bolas de 3 e 5/10 nos lances livres), Reggie Jackson (19pts, 5reb, 2stl) e Ivica Zubac (14pts, 11reb)

PHO: Cameron Payne (29pts, 9ast, 2stl, 2blk) e DeAndre Ayton (24pts, 14reb, 1blk).