Conteúdo

Com emoção no final, Pelicans vencem os Clippers com ótima atuação de Ingram e garantem a última vaga nos playoffs

16 de abril de 2022

(por Matheus Correia)

O Los Angeles Clippers recebeu o New Orleans Pelicans na Crypto.com Arena para o jogo final do play-in da conferência oeste, que dá a vaga na oitava colocação da tabela. Após perder a partida pela 7ª colocação para os Wolves, os Clippers entraram em quadra com a dura missão de encontrar um "protagonista" na ausência de PG13 e Kawhi. Apesar das boas atuações de Reggie Jackson e Marcus Morris, a equipe da casa não conseguiu ir bem no "clutch-time" e viu os Pelicans, guiados por Brandon Ingram e embalados pela vitória contra o Spurs, conquistarem o resultado e a vaga para pós-temporada.

No primeiro quarto, os Pelicans levaram a melhor ao explorar jogadas de infiltração e atacar o garrafão dos Clippers, que demonstraram uma enorme fragilidade defensiva e pouca eficiência no ataque. O jogo de perímetro foi praticamente nulo, algo normal para um confronto com poucos shooters de volume em quadra. Brandon Ingram foi excelente no período ao anotar 16 pontos. New Orleans finalizou o quarto com uma vantagem de oito pontos no placar (22 a 30).

NOLA conseguiu manter o bom ritmo no segundo período, e o novato Jose Alvarado foi essencial para isso. O “baixinho” contribuiu não só no setor defensivo como também conseguiu dar fluidez e rapidez ao ataque de sua equipe. Após um primeiro quarto ruim, LA esboçou uma recuperação apostando em boas atuações de Marcus Morris e Norman Powell, explorando bastante os arremessos de meia-distância.

Se no primeiro tempo o cenário foi favorável para os Pelicans, o panorama mudou completamente após o intervalo. Os Clippers aproveitaram o início desastroso de NOLA e tomaram as rédeas da partida. A equipe de LA necessitava de alguém para assumir o protagonismo e ser “o cara” do ataque – e esse cara foi Reggie Jackson. Com bolas de três e jogadas de infiltração, o armador guiou sua equipe para a virada no placar. Os Pelicans tiveram muita dificuldade em entrar no garrafão e viram Jonas Valanciunas ter uma atuação desastrosa, sendo completamente engolido por Ivica Zubac. No fim do terceiro período, LA conseguiu emplacar uma diferença de 10 pontos no placar (84 – 74).

Apesar de ter a faca e o queijo na mão, os Clippers não conseguiram manter o ritmo no último período, cometendo muitos erros e dando a bola de graças para New Orleans. Brandon Ingram deu uma bela enterrada que animou sua equipe – logo em seguida, o novato Trey Murphy converteu uma bola de três que diminuiu a vantagem para apenas dois pontos (87 – 85). O confronto ficou “lá e cá”, com uma boa troca de jogadas protagonizadas por Marcus Morris e Murphy. E a capacidade de NOLA silenciar a torcida de LA com rápidas respostas após uma posse adversária parece ter frustrado os jogadores da equipe da casa.

Após uma sequência de 10 pontos, New Orleans conseguiu virar o placar. Em uma jogada linda, CJ McCollum fintou Norman Powell e converteu um arremesso de média distância. Em seguida, Murphy brilhou novamente e anotou três pontos para deixar os Pelicans com uma vantagem de 7 pontos (94 – 101). Os últimos minutos ficaram marcados por uma sequência de erros por parte de ambas as equipes – Uma falta boba de Batum levou Herbert Jones à linha de lance-livre e deixou NOLA aumentar a vantagem no placar em quatro pontos; Larry Nance foi para linha de lance-livre com a oportunidade de matar o jogo, mas errou os dois arremessos; Norman Powell poderia ter diminuído a diferença no placar após sofrer a falta de arremesso, mas converteu apenas um lance-livre.

E na última posse dos visitantes foi aonde ocorreu o erro decisivo. Com 16 segundos restantes no relógio, Ingram recebeu o passe na saída de bola e sofreu marcação dupla de Batum e Reggie Jackson. Entretanto, nenhum dos dois fez falta e Brandon encontrou Valanciunas completamente livre debaixo da cesta. Enterrada tranquila do lituano e vitória garantida para New Orleans.

Resultado: Los Angeles Clippers 101 – 105 New Orleans Pelicans

O fator psicológico foi decisivo para os Pelicans conseguirem a recuperação no último quarto. A equipe foi excelente na defesa e limitou ao máximo as principais armas de LA. Apesar da eliminação 99,9% certeira para os Suns, a vaga para a pós-temporada não é um desfecho nada mal para quem iniciou o campeonato com 12 derrotas nos 13 primeiros jogos. O destaque individual da equipe foi Ingram, com 30 pontos, 6 rebotes e 6 assistências.

A sensação que fica para os Clippers não chega a ser de decepção. Sem suas principais estrelas, a equipe fez o que dava e no geral, pecou apenas no “clutch-time”. Porém, o problema de uma eliminação precoce como esta é o início do pensamento de que o projeto de um “supertime” deu errado. Mesmo se Kawhi e Paul George voltem saudáveis na próxima temporada, não é fácil imaginar uma grande melhoria no basquete jogada pela equipe. O destaque individual da equipe fica para Reggie Jackson e Marcus Morris, ambos com 27 pontos.