Conteúdo

Com emoção até o fim, Utah vence Dallas no retorno de Doncic e empata a série

23 de abril de 2022

(por Cassiano Pinheiro)

Quarto jogo da série Jazz e Mavericks. O segundo confronto seguido em Utah, com Donovan Mitchell & cia tendo praticamente a obrigação de conseguir a vitória para evitar um 3x1, ainda mais considerando que o jogo 5 será em Dallas. Porém, o Jazz tinha uma dificuldade a mais, e não era qualquer uma. Luka Doncic estava de volta à ação, após ficar fora dos primeiros jogos da série. O “Tesouro” retornava à equipe com a missão de liderar o time à mais uma vitória em terreno adversário.
Diferentemente das partidas anteriores, dessa vez o Jazz fez um bom primeiro tempo. O início da partida foi muito equilibrado, porém, principalmente no segundo quarto, Utah defendeu muito bem e conseguiu escapar um pouco na dianteira, vencendo a parcial por 30-19 e terminando a primeira etapa na liderança por 54-42.

No entanto, o terceiro quarto foi totalmente diferente, os Mavs encurralaram o Jazz, tirando toda a vantagem e ainda passando à frente no placar. Dallas fez um período muito consistente, que foi resumido na bola praticamente no estouro do cronômetro de Spencer Dinwiddie para fazer 39-24 no período. Dessa forma, os times entraram no quarto final com uma diferença de apenas três pontos a favor dos Mavs (81-78).

O último quarto começou com os dois times muito nervosos e “queimando” alguns arremessos, basicamente com poucas trocas de passes, sem achar uma posição ideal, ambos os times arremessavam e erravam praticamente todas as bolas. Para se ter uma ideia, nos primeiros três minutos do período ninguém pontuou e, com quase seis minutos disputados, o Jazz tinha feito três pontos e Dallas dois. Porém, daí para frente as equipes se acertaram e reservaram um grande final para os fãs.

Os Mavs basicamente iniciaram um hack-a-Gobert, que foi muito bem-sucedido, o pivô francês deixou pontos importantíssimos na linha do lance livre, acertando apenas 3-8 nos últimos minutos e tendo um aproveitamento geral de 50% (9-18). Enquanto isso, Jordan Clarkson sustentava o time ofensivamente, tendo uma boa sequência de bolas de três, sofrendo uma falta para três lances livres e convertendo todos.

Do outro lado, Luka Doncic comandava o show, como por exemplo no minuto final, quando chamou Gobert para dançar, com um step-back tirou o gigante da jogada e matou uma bola de três incrível, levando o placar para 99-95, restando somente 39 segundos para o fim.

No ataque seguinte, Donovan Mitchell, que estava completamente sumido no segundo tempo apareceu e muito bem, primeiro ele foi para a infiltração, tentou o arremesso, errou, mas pegou o próprio rebote, marcou os pontos e ainda conseguiu a falta. Ao converter o lance livre, Mitchell trouxe a diferença para somente um ponto (99-98).

No jogo de xadrez dos segundos finais, a vez de jogar era dos Mavericks, Dwight Powell sofreu a falta e errou os dois lances livres. Com isso, o Jazz foi para o ataque e fez sua jogada clássica, ponte aérea Mitchell-Gobert, 100-99 e onze segundos para Dallas vencer o jogo. Jason Kidd pediu tempo, planejou algo que falhou miseravelmente quando a partida recomeçou, Doncic recebeu marcação dupla, com um terceiro jogador chegando, o tempo foi passando e no fim a bola sobrou na mão de um desequilibrado e marcado Dinwiddie, que jogou para cima e a laranja não caiu.

Placar Final: Dallas Mavericks 99 – 100 Utah Jazz


 

Vitória do Jazz e suspiro para a equipe de Quin Snyder, que passou de virtualmente eliminada, para uma série empatada e que parece ir longe. No fim, a dupla Mitchell-Gobert funcionou, mesmo com algumas ressalvas e teve um belo terceiro elemento em Jordan Clarkson, que na verdade foi o cestinha do time com 25 pontos.

Do lado dos Mavs, o time fez um terceiro quarto incrível, mas se perdeu nas posses finais, quando basicamente isolou Doncic e viu o tesouro em algumas situações tirar o coelho da cartola e em outras falhar. Faltou um pouco mais de jogadas trabalhadas ou um leque maior de opções nos momentos decisivos.