Conteúdo

Com direito a ‘Career High’ de Al Horford, Celtics batem os Bucks fora de casa e empatam a série em 2-2

10 de maio de 2022

(por Sergio Viana)

Celtics e Bucks chegaram para esse jogo 4 em uma série onde cada equipe teve uma vitória dominante nos jogos 1 e 2 e o jogo 3 foi decidido no detalhe. Como não falta equilíbrio e emoção, Tony Brothers, o cirurgião, estaria pronto para soprar seu apito.

Para os Bucks, era a oportunidade de confirmar o roubo de mando de quadra e encaminhar a vitória na série. Para o time de Udoka a necessidade de recuperar o mando de quadra sob pena de ficar nas cordas e em uma situação delicada de 1-3.

Bucks ainda sem Middleton, que não deve jogar essa série, e os Celtics com Smart "demi bombe", Robert Williams III, fora de combate, preenchem a lacuna médica para a partida. Boston veio com Grant Williams no 'line up' para tentar marcar melhor os Bucks e minimizar a ausência de Timelord.

O jogo começou com os Bucks abrindo com uma corrida de 8-2 e os Celtics errando muito. Melhorou quando começou a espaçar melhor a quadra e trouxe para 8-6 a diferença, quando Budenholzer iniciou a rotação antes mesmo da primeira parada a 06:27 do fim do período com o placar apontando 10-6 para os donos da casa.

Os times voltaram trocando cestas com os Bucks guardando três cestas de 3 pontos seguidas e em uma corrida de 11-5, obrigou Udoka a parar o jogo faltando 03:19 e 21-11 no placar. O Boston Celtics conseguia conter os avanços de Giannis fechando o garrafão e impedindo que ele desse o “primeiro passo” em direção a cesta, mas marcou mal o perímetro, permitindo essa corrida. No ataque, o time seguiu fazendo escolhas ruins de arremesso, com direito a toco para pôster de Lopez em Theis e Tatum mal saindo de quadra antes do final do período com duas faltas.

Giannis fechou o período com uma jogada característica batendo para dentro com enterrada para dar números finais de 25-18. Horford era o melhor com 7 pontos. Ficou barato para os C’s.

Boston voltou melhor do intervalo e, com uma importante corrida de 16-8, Horford colocou o time a frente do placar pela primeira vez, 34-33. Bastou organizar melhor o ataque e escolher melhor os arremessos, que o time tirou rapidamente a vantagem.

Depois da parada os times erraram muito, placar baixo para um jogo desse nível e ligeira vantagem para os Celtics, 43-40. O time da casa melhorou um pouco no final do período e dessa vez ficou bem barato para os anfitriões, que foram para o intervalo com vantagem de um ponto, 48 a 47 no placar.

Chamou atenção na primeira metade do jogo a defesa muito bem executada contra Giannis. Jaylen Brown fez um bom trabalho como defensor do grego, “limitando” ele a 15 pontos mas com 35% de aproveitamento. O veterano Al Horford foi o melhor do time Celta com 11 pontos, 4-4 em arremessos de quadra, e segurou o rojão nessa metade de jogo dos dois lados da quadra.

O jogo voltou na mesma toada, muito equilíbrio e as equipes trocando cestas. Giannis passou a forçar o jogo embaixo e carregou os Celtics em faltas, mandando seu melhor defensor, Jaylen Brown, para o banco cedo, com 4 faltas e 9 minutos para o final do período. Isso fez com que os Bucks levassem uma ligeira vantagem.

Horford mantinha os Celtics no jogo, ajudando Tatum que precisava aparecer. Com 07:01 no relógio a vantagem era de somente dois pontos para os Bucks com 63-61. Então, Giannis começou a colocar o jogo no bolso. Nos dois lados da quadra passou a dominar a partida e ainda carregou Grant Williams com 4 faltas também. Dois marcadores pendurados. 13 pontos de frente (76-65) para os donos da casa.

Brown voltou para a quadra, mas por pouco tempo. Brothers não falha nunca e em uma marcação polêmica deu falta de ataque de Brown em Holiday, mandando o astro dos Celtics de novo para o banco. Mesmo com todos esses problemas, os Bucks não se aproveitaram e foram para o último período com “somente” 7 pontos de vantagem, 80-73 no placar.

Os Celtics contra todos os prognósticos voltaram muito bem para o último período e, com uma corrida de 7-0 em enterrada incrível de Al Horford em cima de Giannis, trouxeram o placar para 80-80. Técnica contra Horford e And One para Horford, 81-81. Jogo aberto de novo.

Com Brown pendurado e sentado no banco, Tatum mal, Smart sendo ele mesmo, Horford insistia em manter os Celtics vivos no jogo e, com mais uma cesta de 3 pontos, colocou o time de Boston na frente, com 88-85, e 08:01 no placar. Improvável e até então inacreditável com todo o contexto do jogo.

Horford estava realmente pegando fogo, depois de grande jogada defensiva contra Giannis e Lopez, em contra-ataque Horford mais uma vez converteu o arremesso para parar o relógio com 05:09 e o placar em 97-94. And one 98-94. Tatum, que estava apagadíssimo, acordou e marcou seis pontos seguidos para colocar os visitantes 10 tentos na frente (106-96).

Bud armou boa jogada ofensiva com Grayson Allen, que guardou chute de 3 pontos para diminuir a diferença para 7 pontos. Tatum em jogada acrobática guardou dois, que teve resposta de 3 pontos de Mathews, reduzindo a distância para 6.

O Milwaukee Bucks não conseguiu reagir nesse momento, estranhamente a bola não foi para a mão de Giannis e, com 01:27 no relógio, a vantagem confortável de 10 indicava uma surpreendente vitória. Daí para o fim foi só os celtas administrarem a grande vitória.

Final: Boston Celtics 116-108 Milwaukee Bucks

Estou aqui ainda tentando entender que raio de jogo foi esse. O Milwaukee Bucks teve a partida na maior parte do tempo sob seu controle e não soube se aproveitar das dificuldades do adversário. O time fez uma partida normal, mas não nocauteou o adversário quando ele estava nas cordas.

Já o Boston Celtics teve a sorte de Al Horford fazer seu 'Carrer High' em um jogo de playoffs com 30 pontos e indecentes 11-14 em arremessos de quadra. Foi também seu melhor quarto período em pós-temporada da carreira com 16 pontos. Tatum, que amassou o aro no jogo, apareceu no final e fechou o jogo com 30 pontos e 13 rebotes.

Mérito total do esquema defensivo dos Celtics que criou problemas para Giannis o jogo todo. Udoka parece mesmo ter esse elenco nas mãos, mesmo com os problemas de falta de seus principais defensores, conseguiu manter a intensidade  defensiva da equipe, e contra os Bucks isso não é pouco, ainda mais com Theis vindo do banco.

Na noite que Giannis fez história com a camisa dos Bucks, ao se igualar a ninguém menos que Kareem Abdul Jabbar, ao ter 30 jogos com mais de 30 pontos em playoffs, viu sua performance de 34 tentos e 18 rebotes, ser insuficiente para a vitória. Lopez, com 17 pontos, e Holiday, com 16, foram os demais destaques do time de Wisconsin.

Boston esteve nas cordas e mostrou ótimo poder de reação com uma partida de playoffs dura, com 50% de aproveitamento. Já os Bucks tiveram o jogo 4 e a serie na mão e desperdiçaram.

Bud precisa de ajustes para a boa defesa dos comandado de Udoka em Giannis. Udoka precisa fazer seu time escolher melhor os arremessos para sofrer menos nos jogos. Não pode contar com mais um jogo da vida de Horford, precisa que o banco ajude um pouco.

O emocional vai ser a chave do jogo 5 e possivelmente da série. Essa disputa está com cara de 7 jogos, continuo achando que o Milwaukee Bucks é o time a ser batido pelo fator Giannis, mas não ouso cravar um vencedor na série.