Conteúdo

Com 72 pontos de vantagem, Dixon pode ser campeão em Indianápolis - e em plena sexta-feira

15 de setembro de 2020
1h 33

(por Geferson Kern/colaborador Brasil do IndyCarLatinos.com)

Scott Dixon está impossível em 2020. Com quatro vitórias em 11 provas, o pentacampeão tem 72 pontos de vantagem para seu rival mais próximo, o americano Josef Newgarden, na briga pelo título da Fórmula Indy nesta temporada. Com três provas para o fim do campeonato e 162 pontos ainda em disputa, o neozelandês pode ter a honra de comemorar seu sexto título da carreira no Indianapolis Motor Speedway, palco das duas próximas provas. E em plena sexta-feira.

 

Afinal, a 12ª e 13ª etapas de 2020 ocorrerão novamente no sistema de rodada dupla, no misto de Indianápolis, dias 2 e 3 de outubro. Uma sexta-feira e um sábado. O motivo: quando a prova foi marcada, já em meio aos reagendamentos causados pela pandemia, o domingo daquele fim de semana já estava reservado para uma prova de endurance que vai durar o dia todo: as 8 Horas de Indianápolis, válidas pelo Intercontinental GT Challenge (IGTC). Com a matemática de momento, o campeonato pode ser decidido antes mesmo de começar o fim de semana de fato, ainda na primeira prova, na sexta.
 

Para que isso aconteça, Dixon precisaria vencer, o que o faria somar ao menos 51 pontos (50 da vitória mais um ponto por liderar, no mínimo, uma volta da prova). Chegaria aos 123. Newgarden, nessa simulação, não poderia somar pontos bônus por pole position ou voltas na liderança nem passar do 15º lugar, posição que lhe renderia 15 pontos. Neste cenário, o piloto da Penske ficaria 108 pontos atrás de Dixon, com exatos 108 pontos em jogo na segunda prova do misto de Indy e na etapa derradeira, dia 25 de outubro, em St. Petersburg. 
 

Se Dixon vencer e somar dois dos quatro pontos bônus em Indianápolis, Newgarden precisaria chegar até o 14º lugar para que o piloto da Chip Ganassi carimbasse o título. Se Dixon vencer com três pontos de bonificação, Josef pode ser até 13º. Se levar todos os quatro pontos bônus, será campeão mesmo com o rival em 12º. Ainda que ambos terminem empatados em pontos, Dixon levaria o troféu para casa, pois teria cinco vitórias, enquanto o americano poderia chegar no máximo a quatro triunfos. 
 

O piloto do #9 também pode chegar ao título de outras formas: se as etapas derradeiras do campeonato contarem somente com 23 carros que participam de todas as provas, Dixon já teria garantido sete pontos em cada corrida, mesmo que chegasse na 23ª e última posição na etapa 2 do misto de Indy e em St. Pete. Nesta hipótese, se vencer a prova 1 de Indianápolis e Newgarden chegar em sexto, Dixon poderia ser o campeão apenas largando e chegando em último nas duas últimas corridas do ano, mesmo que o adversário direto somasse todos os pontos possíveis em ambas. 
 

Neste caso, o neozelandês somaria 137 pontos, enquanto Newgarden acumularia no máximo 136 tentos. A conta sofre ligeiras alterações em caso de possível vitória com mais pontos bônus conquistados por Dixon na prova inicial da rodada dupla em Indianápolis. O fato é: o piloto da Chip Ganassi está cada vez mais perto de ficar a apenas um título de A. J. Foyt como o maior campeão da Fórmula Indy em todos os tempos.