Conteúdo

Clippers vencem “clássico de LA” com tranquilidade, Nuggets engatam a 5ª vitória seguida, líderes do Leste surpreendidos e mais 

5 de abril de 2021

(por Cassiano Pinheiro e Vinícius Freitas)
 

Confira como foi a rodada de domingo (4) da NBA.
 

Los Angeles Lakers 86 x 104 Los Angeles Clippers

Em um duelo não tão aguardado dessa vez pelos desfalques de Anthony Davis e LeBron James, os Clippers, que tiveram a estreia do armador Rajon Rondo (campeão com os Lakers na última temporada), dominaram o jogo e venceram com tranquilidade. Os Lakers tinham muita dificuldade para quebrar a forte marcação adversária, e iam muito mal nos arremessos de média e longa distância. Markieff Morris começou bem, fazendo os sete primeiros pontos da equipe, mas depois caiu bastante de produção. Outro que começou bem no jogo foi Marcus Morris (irmão de Markieff), com 11 pontos no primeiro quarto, na vitória parcial dos Clippers por 27 @ 20. Os Clippers continuavam marcando forte e anulando muito bem o poder ofensivo adversário, com grande parte do elenco contribuindo ofensivamente, aumentando ainda mais a vantagem. Os Lakers estavam perdidos em quadra, com uma atuação bem abaixo de Kyle Kuzma e Dennis Schröder, errando praticamente quase todos os arremessos que tentavam. Marcus Morris (17pts) seguia como cestinha do jogo até a saída do intervalo com o placar anotando 53 @ 38 para os Clippers.

Na volta do intervalo o cenário continuava igual, com os Clippers dominando e os Lakers perdidos em quadra, mesmo com boa parte dos “bancários” em ação, a equipe continuava dominando e ampliando a vantagem, liquidando o jogo já no final do terceiro período, com uma vantagem de 77 @ 55, com uma ótima atuação coletiva, tanto no ataque quanto na defesa. A última etapa foi só para "cumprir tabela", com as equipes tirando o pé do acelerador, e trocando pontos até o encerramento do cronômetro, sem nenhum esboço de reação dos Lakers ameaçando a supremacia dos Clippers, com o placar final de 86 @ 104. Com a derrota, os Lakers caem do 4º para o 5º lugar do Oeste (31V-19D). Já o Los Angeles Clippers mantém a 3ª colocação, com uma campanha de 33 vitórias e 18 derrotas.

Destaques

LAL: Montrezl Harrell (19pts e 6reb), Talen Horton-Tucker (16pts e 5reb) e Marc Gasol (11pts)

LAC: Marcus Morris (22pts e 7reb), Kawhi Leonard (19pts, 10reb e 8ast), Paul George (16pts e 7reb) e Luke Kennard (15pts).

 

Orlando Magic 109 @ 119 Denver Nuggets 

Apesar da ótima fase dos Nuggets, a jovem equipe da Flórida deu bastante trabalho para os anfitriões, com um ótimo aproveitamento nas bolas de 3 pontos na primeira metade do jogo. RJ Hampton e Aaron Gordon começaram muito bem o duelo, com Hampton anotando os 7 primeiros pontos de sua equipe e Gordon os 9 primeiros de Denver. Os Nuggets giravam mais a bola, aproveitando os vacilos na troca de marcação do oponente para pontuar, já o Magic, explorava os arremessos de longe, com boa colaboração de Chuma Okeke (9pts) para terminar o primeiro quarto na frente, vencendo por 29 @ 23. Na etapa seguinte os anfitriões começaram muito mal ofensivamente, desperdiçando diversos ataques. O Orlando Magic aproveitou o bom momento e abriu uma grande vantagem, ainda explorando muito bem as bolas de 3, colcoando quase 20 pontos de frente. Chuma Okeke (13pts) e Terrence Ross (11pts) lideravam o Magic na vitória parcial por 65 @ 47 na saída para o intervalo. Pelo lado dos anfitriões, Aaron Gordon (14pts) e Nikola Jokic (11pts) eram os cestinhas da noite.

Na volta do intervalo, os Nuggets voltaram melhores, com Jamal Murray e Michael Porter Jr. aparecendo para o jogo e a defesa atuando melhor do que no primeiro tempo.  Já na metade do período, os Nuggets já haviam diminuído a diferença para menos de 10 pontos, voltando para o jogo e criando reais esperanças de ainda saírem com a vitória. Conforme o tempo ia passando, a vantagem construída pelo Magic ia diminuindo, devido a grande atuação coletiva dos anfitriões. O Magic voltou muito mal ofensivamente dos vestiários, talvez achando que o jogo já estivesse ganho, e a vantagem que estava quase em 20 pontos foi escapando das mãos, com o time terminando o terceiro quarto na frente por apenas 86 @ 85. O placar seguiu equilibrado na etapa final, enquanto o time de Denver mantinha os reservas em quadra, descansando o quinteto titular, com o placar próximo até a metade do período. Depois da volta do quinteto principal, os Nuggets dominaram o jogo, dificultando as jogadas de infiltração do Magic e fazendo a equipe forçar seus arremessos. O duelo, que estava praticamente perdido, virou uma vantagem de 10 pontos nos minutos finais, com muito sangue frio e coletividade de uma das melhores equipes da liga depois da trade deadline, vencendo o jogo por 119 @ 109. 

Com a derrota o Orlando Magic continua no 13º lugar do Leste (17V-33D). Já os Nuggets, sobem para o 4º lugar do Oeste, agora com 31 vitórias e 18 derrotas.

Destaques

ORL: Chuma Okeke (19pts, 7reb e 5ast), Terrence Ross (19pts), James Ennis III (17pts e 5ast), Wendell Carter Jr. (16pts e 9reb) e R.J. Hampton (16pts).

DEN: Aaron Gordon (24pts e 7reb), Jamal Murray (22pts e 5reb), Michael Porter Jr. (20pts e 12reb) e Nikola Jokic (17pts, 9reb e 16ast).

 

Charlotte Hornets 86 x 116 Boston Celtics

Apesar das ausências de Gordon Hayward e LaMelo Ball, os Hornets fizeram um bom começo de jogo, brigando de igual contra os anfitriões na primeira etapa da peleja. Terry Rozier (10pts) liderava a equipe, com boa contribuição ofensiva de Devonte' Graham e Miles Bridges, que exploravam bem as jogadas de infiltração. Pelo lado dos celtas, Jaylen Brown (11pts) era o nome da equipe, chamando a responsabilidade no começo do jogo e equilibrando o confronto, que terminou com 26 @ 25 no placar para os Hornets. No segundo quarto os celtas acordaram e aos poucos foram tomando conta da partida, rodando muito bem a bola, com um ótimo aproveitamento nas bolas de 3, e limitando as ações ofensivas de seu oponente, conseguindo retomar a frente do placar vencendo o período por 33-17 e indo para os vestiários com uma confortável vantagem de 58 @ 43.

E o que já estava bom ficou ainda melhor para os anfitriões, que foram ainda mais avassaladores no terceiro quarto, continuando com o ótimo aproveitamento nas bolas longínquas, graças ao trabalho coletivo de girar a bola até encontrar o melhor jogador para concluir a jogada. Os Hornets, apesar do esforço, não conseguiram equilibrar o jogo, além de sofrer com a boa marcação por zona dos celtas, perdendo o terceiro quarto por 27-40, indo para o último turno do jogo com um revés de 70 @ 98. Diferentemente dos outros períodos, o último contou com muitos erros de ambas as equipes, que colocaram os reservas em quadra e apenas aguardavam o final do jogo, já arrematado no período anterior, em uma grande exibição do time verde e branco de Massachusetts, que venceu sem dificuldades por 116 @ 86. Os Hornets, com a derrota, chegam a 25 vitórias e 24 derrotas, caindo da 5ª para a 6ª posição do Leste. Os celtas alcançaram uma campanha de 25 vitórias e 25 derrotas, se mantendo na 8ª posição do Leste.

Destaques

CHA: Terry Rozier (22pts e 6reb), Devonte Graham (11pts e 6ast) e Miles Bridges (10pts e 5reb).

BOS: Jayson Tatum (22pts e 8reb), Jaylen Brown (17pts e 6reb), Evan Fournier (17pts e 6ast) e Robert Williams III (16pts e 8reb).

 

Memphis Grizzlies 116 @ 100 Philadelphia 76ers 

Os Grizzlies foram até a Philadelphia e surpreenderam os Sixers. Com um bom jogo coletivo e sem nenhuma grande performance individual, a “molecada” de Memphis colocou os líderes da Conferência Leste no bolso. 

Em um contexto muito parecido com o triunfo de Chicago sobre Brooklyn. O jogo começou equilibrado, porém, logo antes do intervalo, os Grizzlies abriram vantagem e essa diferença aumentou mais ainda no terceiro perído, quando chegou a ser mais de 20 pontos. Philadelphia chegou a ficar mais de 5 minutos sem marcar um único ponto. 

Seis jogadores de Memphis marcaram 14 ou mais pontos, incluindo três do banco. Pelos 76ers, Tobias Harris foi a estrela solitária com 21 pontos.

 

New Orleans Pelicans 122 @ 115 Houston Rockets

Mesmo sem suas principais estrelas, Zion Williamson e Brandon Ingram, os Pelicans aproveitaram a péssima fase dos Rockets e, mesmo fora de casa, conseguiram uma importante vitória.

Liderados por Lonzo Ball, New Orleans comandou grande parte do jogo. Do primeiro ao fim do terceiro quarto os Pelicans davam as cartas controlando o jogo e mantendo certa vantagem no placar. Porém logo no início do último período os Rockets viraram a partida, com bons minutos coletivos e destaque para o recém chegado Kelly Olynyk, cestinha do time com 26 pontos. 

Os Pelicans só foram retomar a liderança com pouco mais de 3 minutos para o fim, houve uma certa emoção nos momentos finais, mas os visitantes sacramentaram a vitória. 

Ball foi o cestinha da partida com 27 pontos e 8 bolas de três em 15 tentativas.

 

Brooklyn Nets 107 @ 115 Chicago Bulls

Grande vitória dos Bulls para cima dos favoritos Nets! Jogando em casa os Bulls não se intimidaram em enfrentar o melhor time do Leste e foram para cima dos Nets. Chicago se aproveitou da ausência de James Harden para ter um pouquinho mais de sossego na defesa, mas não muito, porque Kyrie Irving estava inspirado. Foram 24 pontos e 15 assistências para o “Uncle Drew”, que desfilou todo seu talento e plasticidade em quadra. O jogo estava bem equilibrado, com Brooklyn ligeiramente superior até o fim do segundo quarto, quando Chicago fez uma ótima corrida e, em poucos instantes, abriu uma vantagem de 11 pontos. 

Na volta do intervalo os Bulls não deram mole e trataram de abrir mais vantagem ainda. No último período, os Nets ainda esboçaram uma reação, mas não foi suficiente. 

Pelo lado vencedor, destaques para Zach LaVine (25 pts), Tomas Satoransky (19 pts e 11 ast) e para o reforço Nikola Vucevic (22pts e 13 reb). Os Bulls ocupam a 10ª posição do Leste e, com os reforços recém adquiridos, vai brigar forte por uma vaga na pós-temporada via play-in.

 

Golden State Warriors 111 @ 117 Atlanta Hawks

Confira como foi a bela vitória dos Hawks: https://www.playmakerbrasil.com.br/noticia/num-jogo-bastante-ofensivo-hawks-vencem-os-warriors-e-se-consolidam-no-leste