Conteúdo

"Azarões campeões”! Charles do Bronx assimila os golpes e finaliza Dustin Poirier; Julianna Peña choca o mundo e derrota Amanda Nunes; Confira tudo sobre o UFC 269

12 de dezembro de 2021

(por Rafael Lima)
 

O UFC 269 trazia a expectativa do card mais estrelado do ano e o evento não decepcionou. Os cinturões ficaram com os azarões, tivemos nocautes implacáveis, performances incríveis e momentos inesquecíveis. Confira tudo sobre mais um sábado histórico para o Ultimate.


Card principal

 

Foi lá e fez! Charles do Bronx vence Dustin Poirier por finalização no terceiro round

O campeão Charles do Bronx era o azarão nas casas de apostas, mesmo com o recorde de finalizações do UFC e grande sequência de vitórias, o brasileiro não era favorito diante de Dustin Poirier, que cresceu na ótica dos fãs e analistas por ter vencido duas vezes Conor McGregor. Ambos são lutadores bem completos, mas, antes do combate, a expectativa era de Charles levar a melhor no chão e Dustin ter superioridade em pé.

Charles Oliveira começou com tudo para cima tentando soltar sequências com boa cotovelada, porém, um direto de Dustin Poirier fez o brasileiro bater no chão e cair. Charles seguia andando para frente, mas Poirier dava golpes mais claros e contundentes. Os jabs do americano abriam caminho e um direto causou mais um knockdown. Poirier apertou o passo e bateu firme, só que o campeão segurou a onda e absorveu os golpes. Além disso, o brasileiro um bom soco que fez o americano bambear. Mesmo assim, Poirier seguiu andando para a frente e ambos trocavam golpes num ritmo frenético até o fim do assalto inicial.

No segundo round Charles do Bronx foi para a cima e depois de trocar, levou para o chão. Só que Poirier acabou girando e ficando por cima, porém, o campeão foi para o braço e conseguiu virar a posição ficando em cima do americano. Daí para a frente Charles foi amassando o rosto do americano e batendo no desafiante quando tinha oportunidade. Assalto todo do brasileiro.

No terceiro round, do Bronx rapidamente acertou um direto e escalou o desafiante, mochilou, passou o braço e aplicou o mata-leão de forma espetacular para novamente chocar o mundo, na técnica, no jiu-jítsu, como um verdadeiro campeão.
 

Chocou o mundo! Julianna Peña vence Amanda Nunes por finalização no segundo round

Amanda Nunes voltou ao octógono para seguir fazendo história. A brasileira tinha os cinturões dos pesos galo e pena do UFC e luta após luta demonstrava uma dominância impressionante. Do outro lado, Julianna Peña, uma das poucas atletas das primeiras posições do ranking que nunca teve chances pelo título, foi para o ‘cage’ pronta para levar o duelo para a luta agarrada, confiando em seu wrestling, porém, tinha treinado muita trocação para tentar lutar à altura da campeã. Durante a semana a troca de farpas foi grande e elas finalmente tiveram a chance de resolver as diferenças na jaula.

A campeã começou desestabilizando a desafiante com chute baixo. Na sequência, Julianna tentou equilibrar o combate com tentativas de socos, porém, Amanda derrubou novamente a adversária com um chute para controlar o duelo no chão. A campeã tentou um mata-leão, mas não encaixou. Apesar disso, a brasileira claramente venceu o round.

Julianna Peña voltou agressiva acertando bons socos e abalando a brasileira. As duas foram para a trocação franca e tudo entrava. O combate ficou feroz, com ambas acertando golpes pesados e cambaleando. Julianna Peña era melhor e dominava as ações de forma incrível. Amanda tonta, buscou a luta agarrada, porém, Julianna Peña caiu por cima e conseguiu bela finalização, chocando o mundo e protagonizando uma das maiores zebras da história do UFC. Julianna Peña é a nova campeã peso-galo do Ultimate. 
 

Luta morna! Geoff Neal vence Santiago Ponzinibbio por decisão dividida

Dois lutadores que foram ao octógono para abrirem caminho no pes- meio-médio. Geoff Neal, depois de um ótima sequência, vinha de duas derrotas, enquanto Santiago Ponzinibbio, que conseguiu uma virada incrível em seu último duelo, precisava da vitória para se colocar na rota de combates contra lutadores do top 6 ou 7 para cima. 

Os lutadores começaram se estudando muito, mas Geoff Neal passou a soltar mais o jogo, acertando primeiro um chute e depois uma sequência de jab e direto. O americano parecia com uma movimentação mais rápida e fluída, mas Ponzinibbio dominava o centro do ‘cage’. O argentino foi para cima no final, mas não foi o suficiente para virar o duelo.

No segundo assalto, Ponzinibbio passou a atacar mais, só que os contra-ataques de Neal eram perigosos. A luta era bem tensa. Santiago Ponzinibbio tentou colocar o confronto para baixo e, mesmo não conseguindo, ele era melhor por tomar mais a iniciativa. No final da etapa os dois trocaram golpes fortes, terminando de forma bem parelha.

Santiago Ponzinibbio e Geoff Neal alternavam momentos de blitz, acertando golpes que tocavam o rosto um do outro. Toda tentativa tinha contra-ataque, os dois se entregavam demais, mesmo claramente cansados. O argentino arriscava mais, porém, a maioria das tentativas ficava na guarda de Neal, que se poupava e colocava socos bem limpos, pontuando para vencer. 
 

Implacável demonstração de boas-vindas! Kai Kara-France vence Cody Garbrandt por nocaute no primeiro round

Cody Garbrandt foi ao octógono para estrear no peso-mosca. Com grande preparo, o ex-campeão dos galos parecia pronto para escalar a montanha na nova categoria. O adversário era uma verdadeira pedreira, o craque no kickboxing, Kai Kara-France, que também é muito veloz e apresenta mãos pesadas.

Como era de se esperar, ambos apresentaram bela movimentação e ninguém acertava golpes contundentes, até que Kai Kara-France acertou um belo overhand que levou Cody Garbrandt para a lona. Garbrandt levantou e tomou um diretaço que o fez cair de novo. Kai Kara-France caçou o adversário, mas o americano conseguiu esquivar e colocar para baixo, conseguindo uma sobrevida. Só que Kara-France seguiu sua caçada e, com uma combinação incrível, demonstrando um belo boxe, o neozelandês acertou socos duros que levaram Garbrandt desnorteado ao chão pela última vez na noite, num belíssimo nocaute.
 

Avassalador! Sean O’Malley vence Raulian Paiva por nocaute no primeiro round

Raulian Paiva tinha a principal missão de sua carreira, o “hypado” Sean O’Malley, que apresenta um estilo de luta bonito, de muita velocidade e golpes cirúrgicos. O brasileiro tinha o objetivo de levar o combate para o chão, mas conseguir isso contra um lutador com uma envergadura muito favorável como O’Malley, seria tarefa das mais difíceis.

Sean O’Malley começou com sua movimentação frenética tradicional, porém, a cada golpe dele Raulian Paiva respondia bem. Apesar disso, na reta final um direto de O’Malley fez Raulian tontear. A partir daí uma sequência brutal do americano, que colocou golpes duros, castigando o brasileiro até o árbitro parar a luta.

Card Preliminar
 

Volta com vitória! Josh Emmett vence Dan Ige por decisão unânime

Josh Emmett foi ao octógono pela primeira vez em dois anos querendo provar que sua mão continuava pesada. Do outro lado, Dan Ige, um havaiano que apresenta belo volume de golpes e é uma verdadeira pedreira para qualquer peso-pena.

Ambos começaram se estudando muito, mas uma bomba de Emmett levou Ige ao chão. O sétimo do ranking tentou aplicar um ground and pound, mas o havaiano acabou conseguindo reverter a posição e se levantar. Após isso, ambos voltaram a se estudar, Ige tentava abrir espaço para combinações, enquanto Emmett buscava acertar um golpe de impacto. Como nenhum dos dois conseguiu se impor, Emmett levou o round pelo knockdown.

Os dois vieram mais abertos no segundo assalto. Josh Emmett tentava atacar com suas bomba, mas Dan Ige foi bem no direto de encontro para fazer o adversário bambear. Ige foi para cima para tentar liquidar a fatura, só que ao invés de investir na luta em pé, tentou levar ao chão, o que facilitou a recuperação de Emmett. Dan Ige tocava mais, porém, a força do oponente era maior. Mesmo com muito equilíbrio, o havaiano empatou o confronto.

O combate continuou parelho com ambos acertando bons golpes, porém, Josh Emmett acertava mais e com investidas potentes. Na reta final Ige acertou alguns socos e igualou a luta, deixando bem difícil o trabalho dos árbitros laterais.
 

Voltando ao passado! Dominick Cruz vence Pedro Munhoz por decisão unânime

Toda luta de Dominick Cruz traz muita expectativa, pela movimentação histórica e os combates empolgantes do ex-campeão, porém, do outro lado, Pedro Munhoz é um combatente dos mais fortes da categoria, com mais ritmo de luta e bom poder de nocaute, o que tornava a luta ainda mais interessante. 

Pedro Munhoz começou bem agressivo, soltando o jogo, porém, Dominick Cruz e sua movimentação diferente, começou a tocar o brasileiro. Apesar disso, Munhoz acertou um jab em Cruz que fez o ex-campeão beijar a lona, ele tentou se recuperar e levou um direto que configurou outro knockdown. O brasileiro tentou finalizar, mas o americano conseguiu resistir e voltar de pé. Aparentemente recuperado, Dominick Cruz tocou mais Pedro, entretanto, sem chances de virar.

No segundo assalto, Dominick Cruz passou atingir mais o brasileiro com boas sequências. E, além disso, Pedro Munhoz não encontrava o americano. Com a sequência do round, Cruz foi soltando ainda mais o jogo, abrindo um grande sangramento em Munhoz. As combinações entravam em abundância, num domínio completo do ex-campeão.

Ambos foram ao ataque na etapa final, Pedro Munhoz tentava ataques com golpe único, enquanto Dominick Cruz batia e saia, além de tentar combinações. O volume de luta do americano era insano, tocando mais o brasileiro. Cruz lutou como nos velhos tempos, dando um verdeio show de ângulos e movimentação. Desta forma o ex-campeão venceu claramente por dois rounds a um.
 

Devastador! Tai Tuivasa vence Augusto Sakai por nocaute no segundo round

Um combate entre pesos-pesados é sempre tenso, a qualquer momento alguém pode cair. Ambos buscaram a luta o tempo inteiro, soltando golpes fortes e trabalhando a agressividade no clinche. Por ter acertado mais bombas, Tuivasa foi superior no primeiro assalto. 

Mas, se na etapa inicial o equilíbrio prevaleceu, no segundo Tai Tuivasa demonstrou a potência de sua famosa mão. Com uma sequência devastadora, Tuivasa impôs um dos nocautes mais impressionantes do ano, tirando de órbita o brasileiro, que caiu muito feio no octógono. E dálhe cerveja no tênis!

Sensacional! Bruno Blindado vence Jordan Wright por nocaute técnico no primeiro round

O brasileiro Bruno Blindado mostrou mais uma vez o poder de suas mãos. Jordan Wright começou mais intenso, acertando bons golpes, como chutes e joelhadas, porém, Blindado ressurgiu das cinzas e deu uma sequência de socos frenética para forçar o árbitro a encerrar o combate.
 

Prometeu e cumpriu! André Sergipano vence Eryk Anders por finalização no primeiro round

André Sergipano tem um jiu-jítsu espetacular e colocou em prova contra o wrestling de Eryk Anders. Com muita técnica o brasileiro levou o combate para o chão. O americano chegou a se levantar, mas Sergipano foi para as costas, variou para um armlock e venceu de maneira fantástica com certa facilidade.
 

Luta agarrada eficiente! Erin Blanchfield vence Miranda Maverick por decisão unânime

Erin Blanchfield rapidamente levou Miranda Maverick ao chão e foi soberana por lá. Nos momentos em que a luta ficou de pé Maverick era mais perigosa, porém, Miranda não conseguia manter o combate por lá, sendo derrubada pelo bom wrestling de Blanchfield. Erin controlou o duelo desta forma e venceu sem sustos. 
 

Plano perfeito! Ryan Hall vence Darrick Minner por decisão unânime

Ryan Hall criou uma bela armadilha para Darrick Minner, que foi melhor em pé, mas não conseguiu manter a luta por lá. Hall trabalhou o jiu-jítsu buscou finalizações, bateu por cima e levou a luta de forma incontestável, executando perfeitamente seu plano de combate. 
 

Tempestade de golpes! Tony Kelley vence Randy Costa por nocaute técnico no segundo round

Tony Kelley desde o início tomou a iniciativa do combate, acertando mais chutes e joelhadas, porém, Kelley foi melhor. Na segunda etapa Randy Costa foi levado para a grade e, depois de algumas inversões, Kelley acertou fortes cotoveladas e joelhadas que fizeram o adversário sentir.  Caindo por cima, Kelley deu uma saraivada de golpes para vencer a luta.
 

Ficou feio para a brasileira! Gillian Robertson vence Priscila Pedrita por finalização no primeiro round

Priscila Pedrita teve um evento para esquecer. Após não bater o peso, a brasileira foi dominada pela maior técnica e velocidade de Gillian Robertson, que colocou Pedrita para baixo, evoluiu nas posições e aplicou um mata-leão. Para defender, a brasileira colocou o dedo nos olhos da rival propositadamente, mas mesmo assim, Robertson apertou o cadeado e venceu de forma merecida.