Conteúdo

Australian Open - Dia 9: Em duas verdadeiras batalhas, Nadal e Berrettini garantem vaga nas semifinais

25 de janeiro de 2022

(Por Leonardo Costa)

 

Os amantes do tênis que passaram a noite em claro no Brasil para acompanhar os dois primeiros jogos das quartas de final do Australian Open devem estar em êxtase. E não é para menos, afinal, os jogos entre Shapovalov e Nadal, e Monfils e Berrettini foram teste para cardíacos, cheios de reviravoltas, mas que no fim os favoritos levaram a melhor. Confira o resumo:

Rafael Nadal 3 x 2 Denis Shapovalov

Calor intenso em Melbourne, Nadal comandando a partida nos dois primeiros sets, Shapovalov errando mais do que o normal e entregando pontos: a receita para um triunfo sem sustos do espanhol. Esse era o panorama antes do começo da terceira parcial, momentos antes do canadense virar a chave e encurralar o multicampeão e deixar a tensão solta nos ares da Rod Laver.

Nadal foi dominante no primeiro set, não apenas pelo seu bom começo de jogo, mas muito pelos erros não forçados do rival, liquidando a parcial em apenas 39 minutos. No segundo set, Shapovalov deu sinais de melhoras, mas a quebra no sétimo game abriu o caminho para o espanhol abrir 2 a 0. Tratando-se de Grand Slam, Nadal perdeu apenas três vezes na carreira quando abriu dois sets. Esse era o tamanho da montanha que o canadense precisava escalar, ele chegou perto do topo.

Shapo elevou muito seu nível em quadra, foi mais agressivo, seu saque fez ainda mais estrago e venceu o terceiro set ao conseguir uma quebra no 10º game. Nadal parecia desconfortável ao ver a ascensão do rival, fazendo escolhas incomuns com seu estilo de jogo, como saque e voleio, e o jogo foi mesmo para o set decisivo.

Em uma mistura de necessidade com experiência, Nadal foi aos vestiários trocar de roupa entre o quarto e o quinto set. Foram mais de sete minutos entre um set e outro e, não somente por isso, o espanhol conseguiu uma quebra no segundo game. Suou para confirmar no jogo seguinte, e depois disso, mentalmente, o jogo era dele. No fim, mesmo aparentando estar melhor fisicamente, Shapovalov sentiu o peso de enfrentar uma montanha da altura da Nadal e sucumbiu. Mas caiu de pé.

Vitória da Nadal, com parciais de 6-3/6-4/4-6/3-6/6-3 em 4h08' de batalha.

Matteo Berrettini 3 x 2 Gael Monfils

Não menos épica e com enredo e resultado semelhantes, foi a partida entre Matteo Berrettini e Gael Monfils. O primeiro set do italiano foi primoroso, sobretudo no serviço, que castigava Monfils. Por outro lado, o francês estava descalibrado e cometeu o dobro de erros não forçados na parcial.

O segundo set foi muito mais equilibrado. Monfils, teve três chances de quebra em um interminável quarto game em que Berrettini suou para confirmar o saque. Já no sétimo game, na única oportunidade do italiano em roubar o saque do rival, ele aproveitou e logo depois fechou o set.

Monfils acertou a mão no saque no terceiro set, vencendo 89% dos pontos no primeiro serviço, além de disparar mais do que o dobro de winners de Berrettini na parcial. O reflexo foi a quebra no sexto game e o francês mostrando que não ia vender fácil a passagem para as semifinais.

O quarto set mostrou mais uma vez o francês mais concentrado e eficiente. Monfils não cedeu nenhuma possibilidade de quebra ao rival, ao tempo que teve sete oportunidades. Com poucos erros, quebrou o saque de Berrettini duas vezes e levou o jogo para o quinto set.

Porém, no momento decisivo da partida, Monfils foi quebrado logo no primeiro game, repetindo a dose no terceiro, e a vaga nas semifinais ficou mesmo com Berrettini, que venceu após 3h49" de jogo, com parciais de 6-4/6-4/3-6/3-6/6-2.