Conteúdo

Atlético pressiona muito no fim, mas City segura o empate e avança para as semifinais da Champions

13 de abril de 2022

(por Cassiano Pinheiro)

O Atleti recebeu o City no Wanda Metropolitano para mais uma grande noite de Champions, algo que já se tornou rotina para as duas equipes nos últimos tempos. Os donos da casa estavam em desvantagem já que perderam o jogo de ida pelo placar mínimo de 0x1.

No início da partida, nada de riscos; mesmo jogando atrás no placar agregado, Simeone tratou de manter a precaução e só se arriscar quando fosse estritamente necessário. Dessa forma, a primeira etapa foi relativamente tranquila para o City, que jogou melhor, teve um certo controle da partida e as melhores chances, inclusive um bate-rebate incrível na área aos 29 minutos, com direito à bola na trave de Gundogan.

No segundo tempo, os colchoneros não tiveram alternativa e a partir dos 20 minutos, foram para o abafa. Simeone fez alterações, colocando em campo de uma vez Correa, De Paul e Carrasco. O trio melhorou o time ofensivamente, criando mais chances e começando de fato a assustar e deixar o City em posição desconfortável. Pouco depois, Luiz Suárez e Matheus Cunha também vieram à campo como as últimas opções para um golzinho salvador que levaria o duelo para a prorrogação.

Nos minutos finais o clima era de tensão total, a torcida colchonera apaixonada se recusava a se dar por vencida e fazia um barulho ensurdecedor, e os jogadores em campo tentavam mais na raça e vontade do que qualquer outra coisa, com Correa e Griezmann criando boas oportunidades. O City se fechou, Guardiola colocou Fernandinho para reforçar a marcação e os papéis se invertaram com o Atleti totalmente ofensivo e o City se fechando na defesa. Já nos acréscimos, o zagueiro brasileiro Felipe foi expulso ao deixar o pé para atingir Phil Foden após um corte de carrinho.

Como um último respiro, o Atleti ainda assustou mais duas vezes - a primeira com uma boa falta cobrada por Carrasco e a segunda com um chute de dentro da área de Correa. Nas duas oportunidades, o goleiro brasileiro Ederson foi muito seguro - não foram defesas tão espetaculares, porque de certa forma, os chutes foram próximos dele - mas devido à tensão do momento e por ter espalmado as bolas nas direções corretas, o arqueiro foi muito importante para garantir a ida as semi-finais da Champions para sua equipe.

Para o Atlético, fica a dor da eliminação em frente à sua torcida e a sensação de que, com esse elenco, era possível extrair mais futebol. O City consegue uma grande classificação em um terreno hostil e contra um adversário copeiro. Cada dia é necessário dar mais créditos para o enorme trabalho de Pep Guardiola.

Placar Final: Atlético de Madri 0 x 0 Manchester City