Conteúdo

Ativismo de Colin Kaepernick será tema de série da Netflix

29 de junho de 2020
17h 42

Fala Rafa, segue o texto, abraços João Zarif

(por João Zarif)



A jornada ativista de Colin Kaepernick será tema de uma série de seis episódios na Netflix, como anunciado pela plataforma nesta segunda-feira (29/06). A cineasta Ava DuVernay, criadora e diretora da série "Now They See Us", da Netflix, colaborará com o ex-quarterback da NFL em uma série de drama, "Colin in Black & White". O indicado ao Emmy, Michael Starrbury, escreveu o roteiro em 2019 e atuará como produtor executivo ao lado de DuVernay e Kaepernick. A data de lançamento não foi anunciada.

Os seis episódios narrarão a educação de Kaepernick e as experiências que o levaram a se tornar um ícone nacional por protestar contra a brutalidade policial e a injustiça racial. DuVernay contratará um ator para interpretar Kaepernick em seus anos de formação, enquanto Kaepernick, de 32 anos, aparecerá nos dias atuais.

"Frequentemente vemos histórias raciais e pretas retratadas através de lentes brancas", disse Kaepernick em comunicado à imprensa. "Buscamos dar uma nova perspectiva às diferentes realidades que os pretos enfrentam. Exploramos os conflitos raciais que enfrentei como homem adotado em uma comunidade branca, durante meus anos de ensino médio. É uma honra trazer essas histórias à vida em colaboração com Ava para o mundo ver." completou Kaep.

Kaepernick começou a protestar contra a injustiça social em 2016, quando se ajoelhou durante o hino nacional como jogador do San Francisco 49ers. Após a morte de George Floyd, no mês passado, com inúmeras cidades organizando protestos contra o racismo, Kaepernick permaneceu sendo uma figura importante no movimento Black Lives Matter.

"Com seu ato de protesto, Colin Kaepernick iniciou uma conversa nacional sobre raça e justiça, com consequências de longo alcance para o futebol, cultura e para ele, pessoalmente",disse DuVernay em comunicado à imprensa. "A história de Colin tem muito a dizer sobre identidade, esportes e o espírito duradouro de protesto e resiliência. Eu não poderia estar mais feliz do que contar essa história com a equipe da Netflix". Completou a cineasta.