Conteúdo

Astros voltam a vencer os Rays, forçam o jogo 7 e ficam a um triunfo de uma virada histórica

17 de outubro de 2020
0h 43

(por Leonardo Costa)


Os Rays pareciam ter a série no bolso após vencerem os três primeiros confrontos. Com muita eficiência e capitalizando os erros do rival, a franquia de Tampa Bay precisava de apenas um triunfo para avançar a World Series. Faltou apenas um detalhe: combinar com os Astros.

Os campeões de 2017 parecem outra equipe desde que ficaram a beira da eliminação. Os erros defensivos minguaram, a ofensiva ficou ainda mais confiante e agora estão a um passo de disputar outra final e completar uma virada histórica.

Tampa Bay até saiu na frente após rebatida dupla de Willy Adames na segunda entrada. Mas, o bastão de Houston engrenou no quinto inning e com quatro corridas, em rebatidas de George Springer, Jose Altuve e Carlos Correa, abriram vantagem, deixando o placar em 4 a 1.

Na sexta, com HR de Kyle Tucker, e na sétima, com Tucker e Michael Brantley impulsionando uma corrida cada, a vitória ficou mais próxima. Mas, os Rays não desistiram fácil, e ainda diminuíram com dois quadrangulares de Manuel Margot, porém, pararam por aí.

Final: Houston Astros 7-4 Tampa Bay Rays

O núcleo forte dos Astros, que já venceu um título e disputou duas finais, vem crescendo no momento certo. Nomes como Jose Altuve e George Springer, que ficaram bem abaixo durante a temporada regular, recuperaram a velha forma, Carlos Correa segue sendo imprescindível em playoffs, sendo Alex Bregman o único que vem destoando.

A experiência de jogos decisivos parece estar pesando a favor de Houston neste momento, mas os Rays já provaram contra os Yankees, na série passada, que jogo decisivo não é problema. Charlie Morton será o abridor e precisa mostrar todo seu repertório, enquanto que Randy Arozarena e Manuel Margot são as apostas da franquia de Tampa Bay para o triunfo.

O jogo decisivo será disputado neste sábado (17), com Morton abrindo pelos Rays e Lance McCullers Jr. pelos Astros.