Conteúdo

Apesar do histórico de problemas com a Honda, Alonso lamenta a saída da fábrica japonesa da Fórmula 1

13 de janeiro de 2022

(por Rafael Lima)
 

A Honda, histórica fornecedora de motores para Fórmula 1, deixou a categoria ao final da temporada 2021 com o título mundial de pilotos conquistado por Max Verstappen, pilotando a Red Bull.

Um dos desafetos da fábrica japonesa, Fernando Alonso, que teve muitos problemas quando pilotou a McLaren Honda, chamando inclusive o motor da época de “motor de GP2”, mesmo assim lamentou a saída da histórica companhia.

Alonso comentou sobre a Honda para a revista Autosport. “Claro que, quando deixaram a McLaren, não estavam num ponto em que podiam sonhar com título da Fórmula 1, mas fizeram um trabalho bom e escolheram as pessoas certas”, disse o bicampeão do mundo. “Mudaram o pessoal da chefia e introduziram uma nova filosofia. Fizeram o trabalho, e eu fico muito feliz por eles. Fico, também, triste com o fato de que eles saíram agora, mas espero que voltem”, seguiu. 

Demonstrando estar em paz até com seus antigos desafetos, Alonso ainda falou sobre o chefe da Honda na F1, Masashi Yamamoto. “Estava falando com Yamamamoto-san, na verdade fiz isso nas últimas três ou quatro corridas, porque tenho uma conexão muito legal com ele. Foi quem me permitiu testar na MotoGP, coisas assim, e ainda nos damos bem. Foi a primeira pessoa que parabenizei depois de Max, com quem falei ainda no Parque Fechado. Fiquei muito feliz por eles”, concluiu o piloto da Alpine.