Conteúdo

Análise Finais de Conferência: NFC - Tampa Bay Buccaneers

20 de janeiro de 2021

(por João Zarif)
 

A final da NFC terá em campo dois dos maiores nomes da história da NFL: Tom Brady, quarterback do Tampa Bay Buccaneers, e Aaron Rodgers, QB do Green Bay Packers. O duelo entre as duas lendas estará em evidência no domingo quando as equipes entrarem em campo no Lambeau Field, porém, esse é apenas um ingrediente desse jogaço. E apesar do favoritismo dos Packers, por ser o mandante da partida e a melhor campanha da Conferência Nacional na temporada regular, irei detalhar abaixo o motivo do time de Tampa Bay ser um grande candidato a jogar o grande jogo em casa no dia 7 de fevereiro.
 

Campanha

O time comandado pelo técnico Bruce Arians teve uma campanha de 11 vitórias e 5 derrotas, perdendo duas vezes para o rival de divisão New Orleans Saints, inclusive uma surra de 38x3 na semana 9, além de uma derrota para o Chicago Bears, para o Los Angeles Rams, e para o favoríto ao título, Kansas City Chiefs, por 27-24. A derrota para o New Orleans Saints ligou o sinal de alerta em Tampa, que naquele momento ficou com uma campanha de 6 vitórias e 3 derrotas. 

De lá para cá, foram 7 vitórias e apenas duas derrotas, incluíndo as duas vitórias nos playoffs, contra o Washington Football Team, e a revanche contra o New Orleans Sains na semana passada, que mostrou o verdadeiro potencial da equipe, que conseguiu vencer um dos favoritos ao título, fora de casa, e aumentou a confiança dos Buccaneers em buscar o segundo Super Bowl da franquia, que venceu pela primeira vez em fevereiro de 2003, no Super Bowl XXXVII, quando Jon Gruden, atualmente no Las Vegas Raiders, era técnico de Tampa, e venceu o Oakland Raiders por 48x21.
 

Ponto Forte

A equipe é completa, e têm talento dos dois lados da bola. Porém, há de se destacar principalmente as armas ofensivas a disposição do “Senhor dos Anéis”, Tom Brady. O veterano quarterback de 43 anos, que faz história não apenas pela sua idade atual, mas também por ela, conta com os recebedores Mike Evans, Antonio Brown, Chris Godwin, Rob Gronkowski e Cameron Brate. De longe o melhor corpo de wide-receivers/tight-ends da liga. Para dar uma dimensão melhor, vamos falar de números. Os 5 jogadores receberam juntos 33 touchdowns nessa temporada, mais de 250 passes, mais de 3000 jardas e o principal, quando Tom Brady lança para algum dos 5 jogadores citados, seu Passer Rating é de pelo menos 104, com os índices chegando a 131,1 quando tenta conexão com Chris Godwin. 

Outro número que impressiona são as interceptações de Brady nos últimos 6 jogos, ou a falta delas. Foi apenas uma interceptação, na vitória tranquila sobre o Atlanta Falcons, enquanto lançou 18 touchdowns no mesmo período. Com tantas armas qualificadas para acionar, toda sua experiência, e em excelente fase, Tom Brady coloca seu ataque como o principal perigo para os Packers nesta partida, já que é muito difícil parar tantos alvos impactantes.
 

Ponto Fraco

A equipe não possui pontos fracos muito evidentes, e eles costumam aparecer eventualmente. Na primeira metade da temporada, Tom Brady era inconstante, e não é mais. A defesa fazia jogos excelentes e em seguida jogos péssimos. Nesse momento a defesa dos Bucs está voando, como ficou claro nas três interceptações sofridas por Drew Brees no último domingo. Mas, um fator climático pode ser o grande ponto fraco da equipe nesse domingo. As temperaturas devem estar abaixo de 0 no momento da partida, e a possibilidade de nevasca é de 50% no momento que escrevo o texto. 

Sabe qual o pior pesadelo de um quarterback com idade avançada? Jogar uma partida de playoffs contra o Green Bay Packers, no Lambeau Field, com neve. O jogo aéreo ficará muito comprometido se estiver nevando, e mesmo que não esteja, o frio pode atrapalhar bastante, fazendo com que Tampa tenha que focar no seu jogo terrestre, que têm sido consistente, mas quando o jogo aéreo é uma ameaça. Sabemos que um ataque previsível na NFL costuma perder jogos, e o clima pode atrapalhar os planos de Bruce Arians no caminho para o Super Bowl.
 

Chave para a vitória

Vencer o Green Bay, com Aaron Rodgers em ano espetacular, em janeiro, no frio da “Tundra Congelada”, é missão para poucos, mas para isso acontecer, os Bucs sabem do que precisam. Estabelecer o jogo terrestre será fundamental para controlar o relógio. Tarefa impossível? Não, o time dos Packers sofreu o ano todo para evitar as corridas de seus adversários, porém, na semana passada, contra o Los Angeles Rams, a equipe cedeu “apenas” 96 jardas para o time visitante, que acabou minando o ataque dos Rams, muito dependente do jogo terrestre. Os Bucs não dependem assim do jogo terrestre, e se o “espaço aéreo” estiver liberado em Green Bay, sem neve, Tom Brady provavelmente poderá contar com seu jogo terrestre para fazer campanhas longas fora de casa. 

Essa é a chave para o ataque, mas jogando contra Aaron Rodgers, Aaron Jones, Davante Adams e cia., o time precisará ter a defesa em seu melhor nível, pois senão a eliminação é quase certa. Parar a conexão Rodgers x Adams é quase impossível, mas os os Buccaneers conseguiram fazer isso na semana 6. 

Venceram por 38x10 os Packers em Tampa, limitaram Davante Adams em apenas 6 recepções para 61 jardas e nenhum touchdown, com a menor porcentagem de recepções por alvo de Adams em toda a temporada (60%). Além disso, nesse jogo, Aaron Rodgers teve seu pior desempenho entre todos os 17 jogos da equipe desde setembro.

Foram duas interceptações, nenhum passe para touchdown, passer rating de 35,4, e apenas 160 jardas lançadas, segunda pior marca do quarterback no ano, e para piorar foi sacado 4 vezes na partida. O único do principal trio de ataque de Green Bay que teve algum sucesso no jogo foi o running back Aaron Jones, que correu para um touchdown, porém, os números foram pífios, com 10 corridas e apenas 15 jardas. 

Dito isso, fica claro que se a defesa tiver um desempenho como esse, a equipe vencerá, mesmo em Green Bay, porém, para isso acontecer, o time precisa anular os 3 “craques” dos Packers. Rodgers precisa ser pressionado o jogo todo, a secundária precisa incomodar a conexão com Adams, e o jogo terrestre não pode fluir com Aaron Jones, senão Rodgers irá castigar a secundária dos Bucs, como fez em toda a temporada com outros times, menos com Tampa. A chave da vitória já é conhecida e já foi executada pelo time de Bruce Arians, no domingo saberemos se o raio cai no mesmo lugar mais de uma vez.