Conteúdo

Análise do prospecto do Draft 2022 - Paolo Banchero

20 de junho de 2022

(por Matheus Correia)

Atleta: Paolo Banchero

País: Estados Unidos

Data de nascimento: 12/11/2002 (19 anos)

Altura: 2,08 m

Peso: 113kg

Envergadura: 2,15m

Posição: Ala-pivô

Time: Duke Blue Devils

Paolo Banchero é um dos principais nomes deste draft, e é sem dúvidas top 5 entre os prospectos de sua classe. A estrela de Duke se encaixa perfeitamente nos moldes do “ala-pivô” moderno: forte, versátil e habilidoso.

Estamos falando de um atleta que tem o potencial para ser um pesadelo para as defesas adversárias. Paolo é alto para a posição, mas isso não significa que ele é lento. O ala-pivô não é capaz apenas de espaçar a quadra, como também possui um raro arsenal de jogadas e movimentos de ataque, graças à sua agilidade incomum para um jogador de seu tamanho.

No post, Banchero pode levar vantagem sobre seu defensor com um excelente trabalho de pés e um arremesso fadeway que é extremamente difícil de ser contestado, além de ter a capacidade de criar o próprio arremesso. Isto é um reflexo de como Paolo possui um excelente controle de seu próprio corpo, seja usando-o para proteger a bola das mãos do defensor adversário com maestria ou criando espaço através de sua força/agilidade.

Além disso, o ala-pivô tem potencial para se tornar um excelente playmaker, algo que provavelmente é seu maior diferencial. Banchero possui uma ótima escolha de passes, e também sabe quando fazê-lo – geralmente quando vence um mismatch no perímetro e atrai a marcação de outro defensor no garrafão. No college, Paolo teve médias de 3.2 assistências.

De meia para longa distância, a cria de Duke definitivamente não passa em branco. Nos Blue Devils, Banchero teve um aproveitamento de 33% nas bolas de três pontos, com média de um arremesso convertido por partida. Na NBA, Paolo deve desenvolver ainda mais este setor, já que possui um arremesso fluido e rápido.

A principal fraqueza do ala-pivô é sua defesa. Em Duke, se demonstrou bastante inconsistente nesta área, com muita dificuldade em ser um protetor do aro e até mesmo um defensor de garrafão decente. No perímetro, a situação é ainda pior, já que não possui praticamente nenhuma agilidade lateral. Sua principal qualidade neste setor são os rebotes, com médias de 7.8 por partida em Duke.

Podendo ser comparado com Julius Randle, Paolo Banchero é o tipo de jogador que dificilmente terá dificuldades em adaptar seu jogo na NBA. Talvez, não demonstre seu impacto logo de cara, já que encontrará defensores muito mais físicos e habilidosos em seu caminho. Mas Paolo não precisa ser “polido” – ele já tem a capacidade de ser um excelente role-player ou um decente titular (dependendo da equipe) em seu primeiro ano, e muito provavelmente estará na briga pelo prêmio de Novato do Ano.