Conteúdo

Análise da NFC Norte: batalha de duas cabeças pela divisão e Lions com mais uma reconstrução

6 de setembro de 2021

(por Henrique Rodrigues)
 

A NFC Norte é acostumada com boas brigas pelo título de divisão, mas o Green Bay Packers a dominou nos últimos dois anos, sendo bicampeão e perdendo apenas um jogo dos 12 disputados. Contudo, tanto Vikings quanto Bears esperam ser times melhores do que foram. Minnesota refez a sua defesa após um 2020 cheio de lesões e calouros que fizeram a unidade ser uma das piores ano passado. Já os Bears torcem para finalmente ter achado seu franchise QB em Justin Fields. O patinho feio da divisão continua sendo os Lions, mais uma vez tendo que ir para um “rebuild”.

Vamos ver o que esses times fizeram para melhorar e o que esperar para 2021.
 

Green Bay Packers

Os Packers tiveram uma das maiores novelas da offseason – de novo. Mais uma vez o time correu o risco de não contar com Aaron Rodgers para a temporada, com o QB decidindo se apresentar ao time poucos dias antes de começar o training camp. Rodgers tem reclamado muito de como a franquia é gerida, e o que parece é que 2021 será a última temporada dele em Wisconsin.  Para piorar, o WR Davante Adams disse no meio do ano que as chances de renovar com o time seriam menores se Rodgers saísse. Um dos melhores da liga, Adams está no último ano de contrato.

O time começa a temporada com uma perda grande, com David Bakhtiari fora por pelo menos seis semanas. Com isso, Elgton Jenkins assumirá seu lugar, e, com a saída do center Corey Linsley, a linha ofensiva dos Packers começará bem diferente. Para a OL não é o fim do mundo, parece que todo mundo que joga lá vira All-Pro – vantagens de ter um dos melhores técnicos de posição da NFL.

A defesa também teve uma grande mudança, com o coordenador defensivo Mike Pettine sendo demitido após a última temporada. Para seu lugar veio Joe Barry, que era técnico de linebackers e assistente de head coach nos Rams. O time ainda precisa de ajuda na posição de linebacker, e tem que ver como a secundária vai ficar após a escolha de Eric Stokes na primeira rodada do Draft.
 

Chicago Bears

Os Bears fizeram o que foi para mim a melhor escolha do Draft, conseguindo o QB Justin Fields na 11ª escolha geral, após uma troca com o New York Giants. Ainda assim, é preciso pisar um pouco no freio da empolgação. A linha ofensiva não é boa e não devem contar com Teven Jenkins, escolhido na segunda rodada do Draft e que fez uma operação nas costas. A defesa ainda é boa, mas perdeu talento na posição de cornerback. Os prováveis titulares para esse ano na posição são Jaylon Johnson e Kindle Vindor. 

Essa temporada também pode acabar sendo a última sob o comando de Matt Nagy. A torcida está impaciente com a falta de evolução do ataque (não ficaram no top 20 em eficiência ofensiva em nenhum ano), e, caso ele mantenha Andy Dalton muito tempo como titular, tem chance de ser demitido, ainda mais se os Bears não forem para os playoffs.

O front seven do time ainda promete bastante, com uma DL comandada por Khalil Mack, Akiem Hicks e Eddie Goldman, enquanto Roquan Smith vem a cada ano se provando como um dos melhores linebackers na NFL.
 

Minnesota Vikings

Para qualquer pessoa falando que a defesa é uma incógnita para 2021, aconselho olhar novamente. A linha defensiva é totalmente diferente, após os apenas 23 sacks (menor marca da história dos Vikings) e o desastre contra o jogo corrido, evidenciado no jogo contra os Saints. Danielle Hunter e Michael Pierce voltam após não entrar em campo em 2020. Hunter teve uma lesão no pescoço e Pierce resolveu não jogar por conta da COVID. O time ainda veio e trouxe Dalvin Tomlinson na free agency, então correr contra essa defesa será quase impossível.

O time também terá a volta dos linebackers Eric Kendricks e Anthony Barr, Patrick Peterson e Bashaud Breeland vieram trazendo experiência na posição de cornerback e Xavier Woods substituirá Anthony Harris como safety. Além desses nomes, Harrison Smith continua sendo um dos melhores safeties da NFL mesmo já passando dos 30 anos.

O ataque pode acabar tendo dificuldades para engrenar logo de cara, já que Klint Kubiak é o novo coordenador ofensivo e chamará jogadas pela primeira vez. A linha ofensiva recebeu investimentos, mas Christian Darrisaw, left tackle escolhido na primeira rodada, deve perder alguns jogos por lesão na virilha. Pior do que foi ano passado é quase impossível, e o interior da linha pareceu bem melhor, com Ezra Cleveland de LG, Garrett Bradbury de C e Oli Udoh de RG. 

Se a linha ofensiva segurar, o ataque tem tudo para pelo menos manter o nível mesmo com a lesão de Irv Smith. Dalvin Cook é um dos melhores running backs da liga, Justin Jefferson acabou de ter uma das melhores temporadas por um recebedor calouro e Adam Thielen é absurdamente subestimado. Kirk Cousins mostra evolução a cada ano em Minnesota, e a expectativa é que ele mantenha o nível apresentado na segunda metade do ano passado, quando jogou em nível similar aos melhores QBs da liga.
 

Detroit Lions

Pelo que parece a milésima vez, os Lions vão começar outro processo de reconstrução. Após demitir mais um head coach – demoraram até – os Lions apostam em Dan Campbell, ex-técnico de tight ends nos Saints. O time também trocou Matthew Stafford, que estava no time desde 2009, para os Rams. Nessa troca vieram duas escolhas de 1ª rodada (2022 e 2023), uma de 3ª (2021, usada em Ifeatu Melifonwu) e Jared Goff. Brad Holmes, novo GM do time, era parte do front office dos Rams que subiu para a primeira posição do Draft de 2016 por Goff. 

O ataque, mesmo quase sem wide receivers, pode conseguir aprontar um pouco. A linha ofensiva, que já era uma das principais da liga, ficou ainda melhor após a escolha de Penei Sewell. Isso deve ajudar o jogo corrido com D’Andre Swift, running back escolhido no ano passado. A principal arma no jogo aéreo será o TE TJ Hockenson, mas o WR calouro Amon-Ra St. Brown é bastante promissor. 

A defesa deve ser parecida com o que foi nos últimos anos, o que não é um bom sinal. A linha defensiva tem problemas pressionando o QB e parando a corrida. O time aposta que Jamie Collins volta 100% após uma lesão no pescoço e em Alex Anzalone, ex-Saints. Na secundária a esperança é que Jeff Okudah, 3ª escolha geral em 2020, consiga fazer alguma coisa após um 2020 bem ruim. 
 

Previsão para a temporada

Com Lions tendo que fazer tudo de novo e os Bears ainda a um ou dois anos de brigarem novamente pela divisão, a disputa deve ficar entre Packers e Vikings. Caso o time de Minnesota consiga evitar lesões, uma vaga nos playoffs deve vir, e o mesmo vale para Green Bay. Com ambos os times tendo calendários difíceis, a campanha dentro da NFC Norte pode fazer muita diferença. Se eu tivesse que dar um palpite, seria:

1º - Minnesota Vikings

2º - Green Bay Packers 

3º - Chicago Bears

4º - Detroit Lions