Conteúdo

Alpine afirma que questões contratuais obrigam Piastri a pilotar pela equipe em 2023

2 de agosto de 2022

(por Mattheus Prudente)

Depois da saída de Fernando Alonso da Alpine, um assento na equipe ficou livre, e Oscar Piastri é o mais cotado para assumir. No entanto, existem rumores de que o australiano já tem um acordo para ir para a McLaren no próximo ano, deixando a equipe francesa. O chefe da Alpine, Otmar Szafnauer, negou a possibilidade, dizendo que Piastri tem a obrigação contratual de guiar pela Alpine. 

“Eu não sei de nenhum acordo que ele (Piastri) tem com a McLaren, mas eu ouço os mesmos rumores que vocês ouvem no pitlane, mas o que eu sei é que ele tem uma obrigação contratual conosco, assim como nós temos e estamos honrando nossas obrigações com ele. Essas obrigações vão até 2024, se algumas ações forem tomadas. 

Então nós temos um contrato com ele para 2023 e talvez para 2024. Eu não sei o que ele fez com a McLaren, como eu disse, eu não sei de nada.” Disse Szafnauer. 

Segundo informações, Piastri e seu agente Mark Webber fizeram um acordo com a McLaren por conta da possibilidade de Alonso continuar na Alpine. No entanto, a saída surpreendente de Alonso para a Aston Martin abriu uma vaga com a escuderia francesa em que Piastri é o piloto reserva hoje em dia. Não se sabe se ele vai querer forçar uma saída para a McLaren. 

Szafnauer afirmou que Piastri e sua equipe estão “considerando opções”, deixando em aberto qualquer possibilidade. A McLaren também teria situações para resolver se optasse por Piastri na temporada que vem, já que tanto Lando Norris quanto Daniel Ricciardo têm contrato para o próximo ano. Ricciardo seria o mais provável para sair, mas o australiano já confirmou que fica para p próximo ano. 

Mesmo com esse possível acordo com a McLaren, Szafnauer alertou que a Alpine tem recursos para preparar Piastri bem para a Fórmula 1, e não vai deixá-lo ir sem brigar: 

“Existe um investimento significativo, não só financeiro, mas emocional para prepará-lo para o que esperamos ser uma carreira de sucesso na Fórmula 1. Não é toda equipe que faz isso por um piloto de sua academia, mas escolhemos fazer isso para prepará-lo para a F1, e só fizemos isso com a visão de que ele vai pilotar aqui no futuro. Não faríamos isso para deixá-lo correr pelos nossos competidores.” Disse Szafnauer.