Conteúdo

Abel Ferreira esbraveja contra a arbitragem brasileira: “Sinto-me perseguido”

6 de junho de 2022

(por Rafael Lima)

Palmeiras e Atlético Mineiro empataram em zero a zero no Allianz Parque, mas o jogo foi quente e o treinador Abel Ferreira, do Palmeiras, acabou recebendo cartão amarelo e demonstrou todo o seu inconformismo em entrevista coletiva após a partida.

“Eles (árbitros) fazem o melhor que sabem e o que podem. Eu só fico bravo porque, para mim, ele deu um amarelo quando eu disse que foi falta. Mais nada! E ele veio com aquela arrogância toda e me deu o cartão. Depois, os do Atlético-MG xingaram o bandeirinha e ele não teve a coragem de dar o amarelo”, disse o treinador português.

“Aí realmente começo a sentir que é perseguição. Sinto-me perseguido pelos árbitros brasileiros, especialmente por este senhor (Wilton Pereira Sampaio). Não tenho nada contra ele, mas hoje senti intencionalidade na ação dele”, acusou Abel indignado.

E o técnico do Verdão seguiu explicando seu ponto de vista e mostrando onde seu time foi injustiçado. “Eu não quero que nos ajudem, só não quero que nos prejudiquem. Ele não marcou falta no Piquerez, depois não marcou no Rony. Então, eu pergunto: aonde estão os critérios? E o 4º árbitro só me fala: ‘É o Wilton, é o Wilton, é o Wilton…’. Não quero que os árbitros sejam protagonistas, eles não têm que ser. Não gostei da forma que ele me deu amarelo, e ele tinha que ter dado o amarelo para o jogador que fez a falta, não para mim,” completou Abel Ferreira.

Com o empate, o Palmeiras perdeu a liderança do Brasileirão para o rival Corinthians, que venceu o Atlético Goianiense no sábado, fora de casa.