Conteúdo

Harden vai bem em vitória dos Rockets, Pistons superam boa atuação de Jokic, Raptors seguem em alta e Bucks controlam os Suns

3 de fevereiro de 2020

(por Eduardo Schachnik)

Confira como foram os jogos de domingo na NBA:

 

New Orleans Pelicans 109 @ Houston Rockets 117

Os dias de funileiro de James Harden ficaram para trás. O barba parou de amassar o aro e superou a marca de 30 pontos pelo segundo jogo seguido, após passar por uma sequência de 4 jogos sem alcançar tal pontuação.

Em uma partida muito equilibrada, New Orleans dominou os rebotes (63x43) aproveitando a ausência de Clint Capela (calcanhar) que levou a uma escalação “small ball” de Houston. A equipe texana jogou no melhor estilo D’Antoni com muitos ataques rápidos, chegando a 105 arremessos de quadra e claro, Harden se destacou nesse formato. Pelo outro lado, Zion Williamson teve caminho livre para dominar no garrafão e, por mais que tenha feito uma performance sólida, a bola não chegou no calouro tantas vezes quanto deveria. Zion chegou a ficar 4 minutos em quadra sem pegar na bola durante o último período, o que chateou o treinador Alvin Gentry, que prometeu consertar esse problema nos próximos jogos.

Os jovens da Louisiana fizeram sua parte: Zion anotou 21 pontos e pegou 10 rebotes, Brandon Ingram liderou os Pelicans com 28 pontos e 12 rebotes, Lonzo Ball flertou com o triplo-duplo ao marcar 10 pontos, pegar 11 rebotes e dar 9 assistências, e Josh Hart contribuiu com 16 pontos e 10 rebotes.

Mas, todo o esforço não foi o bastante para superar os Rockets em uma boa noite de Harden. O barba foi o cestinha da partida com 40 pontos (7/15 para 3pts), ainda pegou 10 rebotes e ficou a uma assistência do triplo-duplo (9). Russell Westbrook fez 22 pontos, 7 assistências e 6 rebotes e Ben McLemore anotou 22 pontos saindo do banco.

Os Pelicans não devem ter a mesma facilidade no garrafão na terça quando recebem os Bucks de Brook Lopez, que distribuiu 9 tocos no domingo. Houston, por sua vez, recebe os Hornets em casa no que promete ser uma vitória tranquila para os Rockets.

 

Denver Nuggets 123 @ Detroit Pistons 128

Denver realmente não consegue uma folga na NBA. Se fosse no Brasil, o treinador já estaria culpando o calendário inchado e as dimensões continentais do país, afinal os Nuggets estavam jogando sua terceira partida em quatro dias e em um fuso horário bem diferente de sua cidade. Se não bastasse isso, o time do Colorado sofreu muito com lesões no último mês, chegando a perder 3 titulares por longos períodos. Nesse confronto com o Pistons não contaram com Paul Millsap (fora desde 08 de Janeiro com uma lesão no joelho) e Jamal Murray (tornozelo – fora desde 16 de Janeiro), além dos reservas Mason Plumlee (pé) e Michael Porter Jr (tornozelo).

Nesse interstício, Nikola Jokic já deve estar com as costas doendo de tanto carregar o Nuggets, mantendo o time ainda na terceira colocação do oeste. Ontem, mesmo com um triplo-duplo (décimo na temporada), o pivô sérvio não evitou a derrota dos visitantes.

Denver começou a partida muito bem e logo abriu vantagem no placar. Chegou a liderar por 21 pontos ainda no primeiro quarto, até que os times principais foram descansar e os reservas tomaram a quadra. O time de Detroit, que saiu do banco mudou o rumo do duelo, os reservas dos Pistons derrotaram os dos Nuggets por 62x26! O desconhecido Bruce Brown fez 19 pontos, 10 rebotes e 8 assistências e seu colega de banco, Reggie Jackson, anotou 20 pontos. Em poucos minutos o jogo voltou ao equilíbrio e os Pistons foram para os vestiários na liderança (68x65). O esforço coletivo dos donos da casa superou a grande atuação de Jokic e o jogo só foi decidido na prorrogação, onde Detroit tomou as rédeas da partida e finalizou os esgotados Nuggets.

Além dos reservas já citados, Andre Drummond foi o destaque dos mandantes com 21 pontos e 17 rebotes, o que configurou seu duplo-duplo número 400 aos 26 anos de idade! Apenas Dwight Howard atingiu tal marca mais cedo na carreira (25 anos). O ponto negativo para o time de Michigan foi a saída de Derrick Rose com uma lesão na virilha. O armador veterano fez apenas 2 pontos em 12 minutos e quebrou sua sequência de 14 jogos com ao menos 20 pontos.

Pelos Nuggets Nikola Jokic fez 39 pontos, 10 rebotes e 11 assistências, Will Barton marcou 20 pontos e pegou 9 rebotes e Monte Morris fez 19 pontos, 7 rebotes e 7 assistências.

Denver volta para casa onde encara na terça-feira os Trail Blazers com Damian Lillard pegando fogo. Já Detroit, que quebrou uma sequência de 5 derrotas, vai até Memphis enfrentar o Grizzlies de Ja Morant nessa segunda.

 

Phoenix Suns 108 @ Milwaukee Bucks 129

 

 

Os líderes da NBA seguem sem enxergar adversários no retrovisor. Mais uma vez comandados por Giannis Antetokounmpo, os donos da casa não tomaram conhecimento dos fracos adversários vindos de Phoenix e agora já estão a 8 vitórias de uma vaga garantida nos playoffs.

Milwaukee converteu quase metade dos arremessos que tentou, com um aproveitamento de 49,5% os Bucks não tiveram trabalho na noite desse domingo diante dos desfalcados Suns (Baynes, Rubio e Saric ficaram de fora).

Diante da falta de jogadores, Phoenix precisou convocar atletas da G-League, entre eles Tariq Owens. O jogador de Northern Arizona teve como primeira missão na NBA marcar o Greak Freak e como esperado, não deu muito certo. Giannis fez um jogo dominante com 30 pontos, 19 rebotes e 9 assistências. Khris Middleton também foi bem com 25 pontos, 8 rebotes e 6 assistências e Brook Lopez quase fez um duplo-duplo com pontos e TOCOS! Foram 17 pontos e 9 tocos para o porteirão de Milwaukee.

O cestinha da partida foi Devin Booker com 32 pontos, além de pegar 7 rebotes e dar 6 assistências. Deandre Ayton contribuiu com 20 pontos e 14 rebotes e Kelly Oubre Jr. fez 15 pontos e pegou 10 rebotes.

Phoenix já tem confronto marcado com o Brooklyn Nets nessa segunda-feira, enquanto os líderes vão até New Orleans enfrentar os Pelicans na terça.

 

Chicago Bulls 102 @ Toronto Raptors 129

Os Raptors de 2020 estão começando a lembrar os Raptors de 2019. Toronto passou por Chicago sem dificuldades e alcançou a 11ª vitória seguida, igualando um recorde da franquia. A sequência contra os Bulls é ainda maior, são 12 vitórias de Toronto nos últimos 12 encontros.

Esse novo episódio da freguesia foi um oferecimento de Terence Davis. O calouro não-draftado da universidade de Mississippi aproveitou a ausência do companheiro Norman Powell (dedo quebrado) e fez o máximo dos 28 minutos de quadra à sua disposição. Com 31 pontos (maior marca da jovem carreira) o calouro se tornou apenas o sexto novato da história dos Raptors a superar a marca dos 30 pontos e o primeiro a fazê-lo saindo do banco.

Os reservas de Toronto anotaram 66 pontos e os 31 de Davis superaram todos os pontos do banco de Chicago (30). A diferença no aproveitamento nos arremessos também foi assustadora: os Raptors acertaram impressionantes 56% dos arremessos de quadra, 47% da linha de 3 e 82% do lance livre; os Bulls tiveram 38% de aproveitamento de quadra, 31% detrás do arco e míseros 65% da linha de lance livre.

Sem Kris Dunn (joelho), Otto Porter Jr. (pé), Wendell Carter Jr. (tornozelo) e Lauri Markanen (pelvis), os Bulls ainda chegaram a liderar o jogo antes do intervalo (63x60), mas Toronto iniciou o terceiro quarto com uma sequência de 17-4 e resolveu o jogo bem cedo.

Thaddeus Young liderou os Bulls com 21 pontos e Zach LaVine marcou 18 pontos, pegou 7 rebotes e deu 7 assistências.

Terrence Davis foi o cestinha do jogo com 31 pontos, Pascal Siakam anotou 19 pontos e 9 rebotes, Serge Ibaka fez 16 pontos e Kyle Lowry 14 para os Raptors que não contaram com Norman Powell e Marc Gasol (posterior da coxa).

Os Raptors, que há quatro anos vencem no domingo de Superbowl, terão dois dias para descansar antes de receber Indiana na quarta-feira. Chicago tem ainda mais tempo para se reorganizar e recuperar seus atletas lesionados, já que só volta à quadra na quinta-feira em casa contra os Pelicans.