Conteúdo

Palavra de torcedor - Agradeço ao meu Niners, independente do resultado  

30 de janeiro de 2020

(por Nilton Sergio)

Não existe nada mais exigente e passional do que coração de torcedor. A alegria pela conquista de um título pode se transformar em ódio e pedidos da cabeça do técnico um ano depois, após uma campanha ruim. Porém, independente do resultado que definir o Super Bowl 54, na madrugada da próxima segunda-feira, este apaixonado fã do San Francisco 49ers já está muito feliz e agradecido.

Nos últimos anos, a franquia viveu momentos pavorosos, como a demissão de Jim Harbaugh; as duas passagens meteóricas e ridículas dos técnicos Jim Tomsula e Chip Kelly; a ascensão e derrocada de Colin Kaepernick e a lesão de joelho de Jimmy Garoppolo. Foram tempos sofridos, sim, mas se analisarmos os números, foi uma década absolutamente bipolar: entre 2010 e 2019, 80 vitórias, 79 derrotas e 1 empate; 4 temporadas com mais de 10 vitórias e 5 com mais de 10 derrotas; 4 aparições na final da NFC (apenas uma a menos do que os icônicos times das décadas de 80 e 90),  e, o que é mais doído: cinco técnicos diferentes!

É um tremendo privilégio ver seu time do coração novamente na final da NFL. Primeiro, existem tantos torcedores que nunca tiveram esse prazer em décadas e décadas (Detroit Lions, Cleveland Browns, Jacksonville Jaguars e Houston Texans).

Nós, os torcedores fanáticos, que passamos 365 dias por ano acompanhando tudo sobre a equipe, acabamos considerando os jogadores quase parte da família, de tantos detalhes que sabemos sobre eles. De repente, chega janeiro e toda a mídia se volta para os nossos heróis. Como é bom ver entrevistas na TV de caras que sequer foram draftados e comem poeira faz tempo, como o QB reserva Nick Mullens e o RB Raheem Mostert!

Independente do resultado, agradeço demais por essa superexposição momentânea de uma franquia que, se não é a mais obscura da liga, passa longe de ter os holofotes de gigantes como New England Patriots, Dallas Cowboys e Green Bay Packers. É muito bom ver todo dia alguém falando do seu time na TV; alguém te perguntando se você acha que será campeão; ver até veículos que ignoram NFL nas outras 50 semanas do ano falando sobre a coisas que nos são tão familiares.

Independente do resultado, agradeço demais ao elenco. Com talento e garra, foi dominante nas vitórias e manteve os jogos apertados mesmo nas derrotas, fazendo valer a pena deixar compromissos e famílias de lado em todos os domingos do segundo semestre. Só de pensar que no início da temporada, San Francisco era considerando zebra para o jogo contra o Cincinnati Bengals. Hoje, um está a uma vitória do topo, enquanto o outro escolhe a primeira posição do próximo draft.

Independente do resultado, agradeço demais por Kyle Shanahan ter devolvido o gosto de assistir o meu Niners. Com seu brilhantismo nas chamadas de ataque e a constante honestidade nas entrevistas, recuperou a alegria de ver aquele time de vermelho entrar em campo não apenas torcendo para não ser humilhado por um Seattle Seahawks da vida.

 

 

Independente do resultado, agradeço demais por Robert Saleh e a defesa inesquecível que arquitetou. Nos últimos anos o ponto fraco do time, neste 2019 chegou a patamares históricos e deu orgulho porque chegava a intimidar os adversários.

Independente do resultado, agradeço demais ao general manager John Lynch. Se não acertou em todas as escolhas de draft e free agency, pelo menos montou um elenco talentoso no ataque, defesa e especialistas, sempre tomando decisões minimamente compreensíveis.

Independente do resultado, agradeço demais ao proprietário Jed York. Após finalmente entender que é essencial o head coach e o general manager terem um bom relacionamento (lição aprendida com a desastrosa guerra entre Jim Harbaugh e Trent Baalke), teve a paciência de dar um contrato de seis anos a Shanahan e Lynch. E os apoiou mesmo nos dois primeiros anos ruins, com campanhas 6-10 e 4-12.

Independente do resultado, agradeço demais por essa campanha que finalmente nos deu imagens positivas dentro do Levi's Stadium. Desde a inauguração, foram tantos momentos tristes que já estava começando a acreditar que o estádio novinho em folha realmente estava "zicado". Mas, uma vitória no divisional round e o titulo da NFC já entram para a história de um gramado que nasceu com a difícil tarefa de substituir o inesquecível Candlestick Park em nosso corações- Quer saber? Vou mais longe e aproveitar que ainda posso dizer: meu Niners nunca perdeu um jogo de playoff na nova casa!

Independente do resultado, agradeço demais pela felicidade de estar aproveitando cada segundo dessa semana. A esperança, a ansiedade para que o jogo comece logo. Eu sei que passa rápido, demora para se repetir e deixa muitas lembranças.

Quer saber, são tantos motivos para agradecer. Mas, eu vou deixar para ser honesto no final....

... independente do resultado uma ova! EU QUERO É VER O MEU NINERS CAMPEÃO!