Conteúdo

Jogadas Inesquecíveis do Super Bowl - O drive que definiu uma dinastia

28 de janeiro de 2020

(por Nilton Sergio)

22 de janeiro de 1989. Com apenas 11 anos de idade*, eu não fazia a menor ideia do significado de palavras como “dinastia” ou “legado”. Porém, esses eram dois dos mais relevantes fatores que entraram em campo no Joe Robbie Stadium, em Miami, para a disputa do Super Bowl 23, envolvendo o San Francisco 49ers e o Cincinnati Bengals.

As duas franquias já haviam se enfrentado na final do futebol americano sete anos antes, com a vitória por 26 a 21 garantindo o primeiro título dos Niners. Três anos depois, os californianos ganhariam outro troféu. Por isso, a revanche de 1989 significava muito para os dois times: para os 49ers, o terceiro campeonato em 7 anos e a confirmação de time dominante da década de 80. Para os Bengals, a vingança pela derrota de 1982 e, principalmente, o primeiro troféu Vince Lombardi para uma franquia que nunca teve história rica em playoffs de NFL.

Os elencos chegaram ao Super Bowl com seus ataques figurando entre os melhores da liga. Surpreendentemente, as defesas iniciaram a partida dominando as ações. Somente no final do terceiro quarto, com a batalha de field goals deixando o placar em 6 a 6, um retorno de kickoff de 93 jardas para TD deu praticamente o primeiro highlight da partida e a vantagem de 13 a 6 para os Bengals.

Aparentemente, a big play era que bastava para trazer emoção ao confronto. Primeiro, os Niners rapidamente responderam com um TD do WR Jerry Rice, em um drive que durou apenas 1 minuto. A equipe ainda perderia a chance de virar a partida, mas o erro FG de 49 jardas deu boa posição de campo aos Bengals, que marcharam até desempatar com outro FG.

O placar mostrava 16 a 13 para Cincinnati, faltando pouco mais de 3 minutos. Exatamente neste ponto, uma autêntica lenda da NFL começava a surgir. Na linha de 8 jardas, o QB Joe Montana reuniu seus companheiros no huddle e, antes de recitar a primeira jogada do drive, seus olhos se desviaram para a arquibancada: “Hey, não é o ator John Candy?”.

Não são poucos os que dizem que o único objetivo de Montana era acalmar os companheiros- afinal, celebridades assistindo o Super Bowl é algo totalmente corriqueiro. O fato é que a partir daí, os Niners começaram a mostrar o melhor de seu ataque.

Numa performance magistral que consolidaria seu apelido de Joe ‘Cool’, Montana acertou 8 de 9 passes para 97 jardas, campanha que entraria para a história da NFL. O passe derradeiro, um lindo TD de 10 jardas para o WR John Taylor, garantiu o terceiro e último título ao técnico Bill Walsh, um dos maiores gênios da  história da NFL, que se aposentou após a partida.
 

https://www.youtube.com/watch?v=JVS2wexQyhE
 

*Licença poética para um apaixonado torcedor dos Niners que, no início de 1989, ainda não acompanhava o futebol americano ou o time. Mas, não poderia deixar de pesquisar sobre e homenagear com este texto um dos mais momentos mais icônicos desta linda trajetória vencedora da franquia na NFL.