Conteúdo

Boston Celtics passeia em Toronto e proporciona um belo presente de natal para seus torcedores

25 de dezembro de 2019

(por Rafael Lima)

 

Todos os olhos dos fãs de basquete pelo mundo estavam voltados para Toronto, afinal, o dia 25 de dezembro é uma das datas mais bacanas da NBA e o primeiro dos cinco jogos seguidos transmitidos pela TV reunia os atuais campeões, Toronto Raptors, contra um dos times mais quentes da liga, o maior campeão da história, Boston Celtics.

Toronto começou quente, se aproveitando das falhas de posicionamento da defesa de Boston e dos arremessos tortos dos visitantes para abrir 10 a 0. Mas, nada como um pedido de tempo de um bom treinador, Brad Stevens consertou sua equipe e os celtas marcaram 9 pontos seguidos para voltarem ao jogo.

Depois dos acertos do técnico, os Celtics passaram a tomar conta das ações, a defesa contestou os ataques dos anfitriões e, na transição ou nas jogadas trabalhadas, Boston encontrava um sistema defensivo convidativo para pontuar. Com esse cenário, os forasteiros de verde abriram vantagem e finalizaram o primeiro quarto com uma parcial de 28 a 19.

O duelo dos treinadores era bom, Nick Nurse acertou o time e Toronto chegou a reduzir a desvantagem para uma posse de bola, mas veio um tempo, Stevens encaixou a marcação, e os arremessos de perímetro dos Celtics devolveram o conforto no placar para a equipe. A partir daí, os visitantes controlaram o jogo na base da coletividade e foram para o intervalo com uma vantagem de 8 pontos (55-47).

Os times voltaram dos vestiários e os Celtics continuaram dominantes e, para piorar as coisas para os canadenses, Kemba Walker retornou disposto a definir a partida, quente nas bolas de 3 e distribuindo bem o jogo, o armador foi um fator importante no aumento da vantagem de Boston, que chegou a 20 pontos de diferença no início do quarto período.

 

Toronto Raptors guard Fred VanVleet (23) and teammate Kyle Lowry (7) guard the net against Boston Celtics' Kemba Walker (8) during first half of an NBA basketball game in Toronto, Wednesday, Dec. 25, 2019. (Cole Burston/The Canadian Press via AP)

 

Além de Kemba, outro atleta dominante no embate foi Jaylen Brown, que é frio, calculista e evolui a cada jogo.

Com todo esse cenário favorável para os Celtics a vantagem do time variou entre 14 e 22 pontos no último quarto. Isso, com Brad Stevens decidindo mesclar mais a equipe, dando minutos para os reservas. Até o fim o coletivo celta controlou bem as ações e venceu sem sofrimento em plena Scotiabank Arena.

Final: Boston Celtics 118-102 Toronto Raptors

O Boston Celtics, mesmo com os destaques de Jaylen Brown (30pts, 6reb e 4ast.) e Kemba Walker (22pts e 4ast.), mostrou ser um time acertado, com um sistema de jogo que privilegia a marcação forte e a troca de bolas constante para achar o definidor da jogada na melhor posição possível, fazendo o coletivo sempre se sobressair ao individual.

Já os atuais campeões sentiram bastante a ausência de Pascal Siakam e Marc Gasol, fazendo o time focar muito no small ball de Kyle Lowry e do ótimo Fred VanVleet, cestinha da equipe no confronto com 27 pontos, além de ter participado com 6 assistências. Quando o coletivo não funciona bem, principalmente na defesa, o ataque sofre e, por melhor que um ou dois jogadores atuem, fica muito difícil enfrentar de igual um time com um sistema tão bem treinado como o de Boston.