Conteúdo

Lesão de Doncic na derrota para o Heat, Jokic em grande atuação, Spurs vencem no limite e Bucks fazem outra vítima

15 de dezembro de 2019
(por Leonardo Costa)
Confira tudo o que aconteceu na rodada de sábado da NBA:
Dallas Mavericks 118 x 122 Miami Heat
A torcida texana congelou ao ver Luka Doncic sair de quadra mancando - para não voltar mais - após torcer o tornozelo ainda no começo da partida. Foi a deixa para que Miami tomasse conta do embate, sobretudo com Meyers Leonard, que anotou 10 pontos apenas no primeiro quarto e ajudou sua equipe a abrir uma vantagem de 14 pontos.
Dallas tentou reagir no quarto seguinte, mas a ausência de Doncic era notável, e nem mesmo os 13 pontos de Kristaps Porzingis no primeiro tempo foram suficientes para igualar o placar e frear um mordido Heat, que vinha de uma dolorida derrota para os Lakers.
No segundo tempo os Mavs começaram a criar asas e buscar o resultado. Diminuíram o prejuízo para apenas nove pontos com uma bola longa seguida de falta de Tim Hardaway Jr., distância que ficou ainda menor no final do terceiro quarto e deixando a partida aberta para os minutos finais.
A esse momento, o ritmo da partida favorecia os donos da casa, e uma bola de três de Maxi Kleber provocou uma euforia nos torcedores presentes no American Airlines Center e forçou o técnico de Miami, Eric Spoelstra, a pedir tempo com o placar mostrando 90-95. Não resolveu muito, e com mais um triplo de Kleber e outro de Hardaway Jr., Dallas conseguia sua primeira vantagem na partida (104-103) faltando quatro minutos para o fim.
Sem dúvida, o Heat teve a vitória nas mãos de Butler, mas o ex-jogador dos Bulls e Wolves falhou seu arremesso longo, assim como na partida anterior, e o desfecho do duelo seria decidido na prorrogação.
No tempo-extra a troca de placares seguiu. Uma cesta de Bam Adebayo deu a vantagem de 119-118 para Miami faltando um minuto. Butler aumentou a diferença com dois lances-livres, e os Mavs tiveram sua última chance com Jalen Brunson, mas o jogador não teve êxito e o triunfo voou sentido South Beach.
Hardaway Jr. foi o cestinha da partida com 28 pontos, e Porzingis contribuiu com 22 pontos e 14 rebotes para causa de Dallas. Por Miami, Butler terminou com 27 pontos e 7 assistências, Tyler Herro com 19 pontos e Adebayo com um triplo-duplo de 18 pontos, 11 rebotes e 10 assistências.
Phoenix Suns 119 x 121 San Antonio Spurs
Em partida realizada na Cidade do México, na iniciativa da liga de levar jogos para além dos EUA e Canadá, Suns e Spurs fizeram um duelo muito equilibrado e que só foi decidido após a prorrogação, na qual a franquia texana levou a melhor. É a 30ª vez que a capital mexicana recebe uma partida da NBA.
Sem Devin Booker, Phoenix contou com mais uma boa atuação do armador espanhol Rick Rubio, que terminou a partida com 25 pontos e 13 assistências. Inclusive, foi dele a jogada que terminou na cesta de 3 de Kelly Oubre Jr nos segundos finais e levou o duelo para prorrogação.
Os Spurs começaram melhor, principalmente com boas jogadas de DeMar DeRozan e Patty Mills, mas sofreram um apagão no início do segundo quarto que lhes custou a liderança. LaMarcus Aldridge parecia fora de sintonia, e só foi anotar quando faltavam pouco mais de 3 minutos para o intervalo.
Rubio, que atingiu a marca de 4000 assistências em sua carreira na NBA, estava afiado, e ao lado de Frank Kaminsky, abriram vantagem para os Suns na volta dos vestiários, mas que logo evaporou-se com bolas longas da equipe de Greg Popovich.
Com uma troca de lideranças no quarto final, Oubre Jr acertou a cesta faltando 2,6 para o fim da partida e empatou o jogo. Rudy Gay falhou o arremesso que impediria o tempo-extra.
A prorrogação seguiu o roteiro de equilíbrio da partida, e Rubio parecia ter sentenciado os Spurs ao acertar uma bola de 3. Mas apareceu DeRozan para empatar a partida e Mills para selar a vitória com uma cesta praticamente no estouro do cronômetro, deixando os jogadores dos Suns nocauteados.
Além de Rubio, Kaminski com 22 pontos e 7 rebotes, e Dario Saric com 19 pontos e 17 rebotes, foram os destaques dos Suns. Pelos Spurs, Mills com 26 pontos foi o cestinha da partida, enquanto Dejounte Murray, Aldridge e DeRozan anotaram 18 cada.
Chicago Bulls 109 x 106 Los Angeles Clippers
Um dos resultados mais surpreendentes da rodada ficou por conta do triunfo dos Bulls sobre os Clippers. O duelo foi equilibrado, com leve tendência para Chicago, que chegou a abrir 14 pontos na metade do terceiro quarto, mas no final parecia que a vitória ficaria com os visitantes, porém, esqueceram de combinar o roteiro com Zach LaVine.
LaVine foi o cestinha da partida com 31 pontos, incluindo a cesta decisiva para vitória quando faltavam dois segundos para o fim, e foi o principal responsável por cortar a sequência de quatro triunfos seguidos dos Clippers.
Com um time desfigurado, que não contou com Kawhi Leonard, Lou Williams, Patrick Beverley e JaMychal Green, os Clippers centraram todas suas forças em Paul George e Montrezl Harrell. George terminou a partida com 27 pontos, enquanto Harrell foi o cestinha da equipe com 30 pontos, além de 7 rebotes por um LA Clippers  que estava jogando a terceira partida em um período de quatro dias.
Além de LaVine, os Bulls tiveram outros quatro jogadores com dígitos-duplos em pontos: Thaddeus Young com 17, Denzel Valentine com 16, Wendel Carter com 14 e o finlandês Lauri Markkanen com 13 e mais 17 rebotes. Fato bem diferente por Los Angeles, que sem contar com PG e Harrell, teve Patrick Patterson e Landry Shamet contribuindo com 11 pontos apenas, e todos os demais jogadores do elenco não passaram dos seis pontos.
Memphis Grizzlies 128 x 111 Washington Wizards
Mesmo com o calouro-sensação, Ja Morant, em quadra, quem decidiu para os Grizzlies foi a dupla canadense Brooks e Clark. Foi a terceira vitória de Memphis nas últimas quatro rodadas, que aos poucos vai deixando a disputa do fundo da tabela do Oeste restrita aos Pelicans e Warriors.
Assim como Morant, Brandon Clarke também é rookie, e contra os Wizards saiu do banco para anotar sua maior pontuação da carreira na NBA, com 25, enquanto seu compatriota Dillon Brooks foi o cestinha da equipe com 27. Morant foi mais tímido, mas mesmo assim contribuiu com 18 pontos, 4 rebotes e 5 assistências.
Com exceção do primeiro quarto e do início do segundo, a partida teve amplo domínio de Memphis, que deslanchou minutos antes do intervalo e não permitiu reação do adversário. Bradley Beal fez sua parte, foi o cestinha do duelo, anotou 29 pontos e 10 rebotes, mas teve um aproveitamento baixo em seus arremessos (8-23) e pouca ajuda de seus inconstantes companheiros, sendo o reserva Troy Brown Jr o mais participativo com seus 16 pontos.
Denver Nuggets 110 x 102 Oklahoma City Thunder
Nikola Jokic resgatou sua melhor versão e deu o triunfo aos Nuggets sobre OKC. Foi sua principal atuação na atual temporada, com uma segunda metade brilhante e que culminou em um triplo-duplo de 28 pontos, 14 rebotes e 12 assistências.
Os Nuggets seguem mostrando forças quando jogam como mandantes (10-3), e diante de um aguerrido Thunder, conseguiram uma importante vitória. O primeiro tempo terminou equilibrado, com o placar mostrando 52-49 para Denver, mas o ar dos vestiários não parece ter feito bem ao adversário, ou fez muito bem para os donos da casa, que venceram o terceiro quarto por uma cômoda vantagem de 11 pontos.
O grande nome da noite foi Jokic, que estava calibradíssimo com seus 11 de 14 nos arremessos de quadra. Somente na segunda metade teve 18 pontos, 9 rebotes e 8 assistências, e não falhou nenhum arremesso que tentou (7-7). Cada vez que OKC se aproximava do placar, o sérvio respondia anotando.
Com o triunfo, Denver segue brigando pelo alto da tabela do Oeste, enquanto o Thunder ocupa a oitava posição no momento, com uma campanha negativa e empatado com Suns e Kings.
O cestinha do jogo foi Jokic, que teve o auxílio dos 18 pontos de Will Barton e dos 14 de Jamal Murray. Por OKC, o alemão Dennis Schroeder foi o maior anotador com 22 pontos, enquanto Steven Adams terminou com um duplo-duplo de 18 pontos e 14 rebotes.
Houston Rockets 107 x 115 Detroit Pistons
Assim como a derrota dos Clippers para os Bulls, o revés dos Rockets também entra no tópico zebra da rodada, mas com o agravante da derrota ser diante da torcida, mesmo sem a presença do poupado Russell Westbrook.
Os algozes de Houston foram Luke Kennard e Derrick Rose, que anotaram 22 e 20 pontos, respectivamente, e foram essenciais na manutenção da vantagem dos Pistons nos períodos finais, mesmo diante de uma blitz texana.
Houston se acercou do placar após uma sequência de 9-2, e diminuiu a desvantagem para para cinco pontos faltando 41 segundos. Mas Tony Snell jogou um banho de água fria ao anotar dois lances-livres na sequência.
James Harden liderou os Rockets com 39 pontos, logo após dois jogos consecutivos com 50 pontos. Mas sua atuação não foi suficiente para dar continuidade a série de vitórias de Houston. O barba jogou 38 minutos e não voltou para o jogo nos momentos finais. Além dele, Chris Clemons teve sólida atuação pela equipe ao terminar com 17 pontos e 4 rebotes.
Toronto Raptors 110 x 102 Brooklyn Nets
Provavelmente os Raptors estão passando pela fase mais conturbada da franquia na temporada até o momento. Antes da partida contra os Nets era apenas uma vitória em cinco jogos, incluindo uma acachapante derrota para os Clippers de Kawhi, em pleno Canadá.
Talvez essa pressão de voltar a vencer com contundência trouxe aos jogadores uma fluidez que não aparecia nas últimas partidas, além de mãos calibradas - foram 9 bolas de três somente no primeiro quarto -, os principais nomes da equipe tiveram boas atuações, a começar por Paskal Siakam e seu duplo-duplo de 30 pontos e 10 rebotes.
Mesmo começando com um show de bolas longas, os Raptors não conseguiram abrir uma vantagem segura sobre os Nets, sobretudo porque Spencer Dinwinddie, novamente ele, tratava de manter sua equipe firme na proposta de jogo, ao mesmo tempo em que os pontos de 3 de Toronto começaram a falhar.
Mesmo assim os Raptors foram mais eficientes e terminaram o primeiro tempo com uma vantagem de 16 pontos, mas diante de uma equipe arisca como Brooklyn, todo cuidado é pouco. Em questão de minutos a vantagem já estava pequena, em sete pontos, mas Norman Powell foi a mente pensante dos canadenses no quarto final e fez com que a equipe pudesse respirar melhor.
No final, vitória dos Raptors, que além de Siakam, que recentemente havia feito uma auto-crítica sobre sua baixa agressividade, serviu para dar mais confiança a Kyle Lowry (17pts, 4reb e 6ast) e Serge Ibaka (12pts e 12reb) que têm sofrido com lesões na temporada. Outros destaques foram Powell e seus 25 pontos, muitos deles em momentos cruciais do duelo, além de Marc Gasol, que terminou a partida com 17 pontos e 15 rebotes.
Pelos Nets, Dinwinddie foi o mais destacado com 24 pontos e 8 assistências, e teve ajudas medianas de seus companheiros, como os 16 pontos de Garrett Temple e o duplo-duplo de Taurean Prince que anotou 14 pontos e 10 rebotes.
Milwaukee Bucks 125 x 108 Cleveland Cavaliers
Foram necessários menos de 24 minutos em quadra para que Giannis Antetokounmpo terminasse a partida como cestinha na vitória dos Bucks sobre os Cavaliers. Já são 18 vitórias seguidas para Milwaukee, 23 triunfos em 26 partidas disputadas até o momento, além de anotarem ao menos 110 pontos nos últimos 11 jogos, um recorde para franquia, que eram 10 jogos na temporada 1970-71, ano em que ganharam o título.
Sem contarem com Eric Bledsoe, que perderá um par de semanas após lesionar a fíbula direita, os Bucks ficaram em desvantagem apenas duas vezes em toda a partida, ambas na metade do segundo quarto. Fora isso, foi um domínio total, cimentado nos 29 pontos de Giannis e nos 24 de Khris Middleton, que aos poucos vai mostrando sua melhor forma após lesão no começo da temporada.
Os Cavs seguem com sua campanha melancólica, 6 vitórias em 26 partidas e pior campanha do Leste, empatados com os Knicks. São muitos os rumores da saída de jogadores de Cleveland, sobretudo de Kevin Love, principal nome do elenco, e até mesmo Tristan Thompson, que vem tendo sólidas atuações.
No final, os 17 pontos de desvantagem saíram baratos, pois chegaram a ser de 28, e além de Giannis e Middleton, Robin Lopez com 16 pontos e 6 rebotes ajudou a construir o triunfo dos Bucks. Por Cleveland, Kevin Porter Jr. foi o cestinha com míseros 15 pontos, enquanto Jordan Clarkson terminou com 13.