Conteúdo

Sacramento Kings e Milwaukee Bucks participarão de jogos de basquete em prisões

14 de dezembro de 2019
(por Leonardo Costa)
Duas franquias da NBA decidiram abraçar a causa do projeto 'Represent Justice Campaign' e participarão de jogos que serão realizados dentro de prisões do Estados Unidos. A partir desse mês, jogadores e treinadores atuarão como técnicos honorários, em uma campanha que também incluirá palestras para os detentos. O objetivo da campanha é quebrar alguns estigmas associados à indivíduos impactos pela justiça criminal, que afeta principalmente a negros e pobres.
A franquia de Sacramento será a primeira a participar do evento, chamado "Play for Justice", e uma prisão ainda não revelada, mas que está sediada no norte da Califórnia. Já os Bucks participarão do evento ainda este mês. Além disso, ambas farão outra partida de forma conjunta, em Milwaukee, no dia 10 de fevereiro de 2020.
Segundo Vivek Ranadivé, CEO dos Kings, a participação da franquia no projeto é dar voz ao enfrentamentos que os detentos se deparam em prisões de todo o país, além de trazer para os mesmos impactos positivos por meio do esporte. Pelos Kings, um dos participantes do projeto será o jogador Trevor Ariza, além do técnico de desenvolvimento de jogadores, Rico Hines. Ambos servirão como treinadores durante a partida, além de participarem de uma debate pós-jogo com cerca de 500 detentos. O técnico de Sacramento, Luke Walton, também deve participar.
Pelos Bucks, os atletas Sterling Brown e George Hill serão o os representantes, e conforme afirmou Hill, "é uma oportunidade única de ouvir algumas histórias sobre o que eles passam no sistema prisional, além de compartilhar informações com eles e promover essa importante conversa em todo o país através do basquete".
A Nike também entrou na ação e doará as roupas e calçados que serão utilizados pelos detentos nas partidas. Após o jogo o material será levado para casa dos presos, pois eles não podem permanecer com tais artigos enquanto cumprem pena.
Segundo dados da World Prision Brief, os Estados Unidos possuem a maior população carcerária do mundo, com aproximadamente 2.121.600 detentos, números 3 vezes maior se comparado com o Brasil, que ocupa a terceira posição no ranking. Tanto lá, como em nosso país, não são poucos os casos de abusos por parte das penitenciárias contra os detentos, além de que boa parte dos presos, cerca de 500 mil no caso dos EUA, sequer terem sido condenados.
Com o pioneirismo de Kings e Bucks, espera-se que a iniciativa atinja mais franquias da NBA e, por consequência, eleve ainda mais o alcance do debate.