Conteúdo

Atuação monstruosa de Giannis, Embiid irreconhecível, Carmelo Anthony mostra serviço contra Chicago, as “viúvas” de Durant travam um belo embate e muito mais

26 de novembro de 2019

(por Matheus Correia e Eduardo Valença)

 

Saiba tudo o que aconteceu na segunda-feira repleta de jogos na NBA:

 

Utah Jazz 118 @ Milwaukee Bucks 122

O Utah Jazz venceu em casa o primeiro confronto com os Bucks na temporada e desde então Milwaukee não perdeu (7-0). Na noite passada os Bucks devolveram a derrota ao Jazz e alcançaram a oitava vitória seguida. O jogo começou bem disputado sem que um dos times abrisse vantagem no placar. No segundo quarto o Jazz teve certo domínio enquanto o Greak Freak não se encontrava em quadra e forçava arremessos de 3 pontos em vez de fazer seu super efetivo jogo de infiltração. Os Bucks reagiram no terceiro período e tomaram a liderança, mas ambas as equipes tem tido problemas em matar os jogos cedo nessa temporada e ontem não foi diferente. Os donos da casa tinham 7 pontos de vantagem com menos de 2 minutos para o fim, até que Bogdanovic e Mitchell cortaram a diferença para 2 pontos. Com o jogo na linha, esperava-se que Milwaukee entregasse a bola nas mãos de seu melhor jogador (Giannis) que estava dominando o adversário e já havia marcado 50 pontos, mas o time preferiu deixar a bola com Eric Bledsoe que desperdiçou o arremesso dando uma sobrevida aos visitantes. Donovan Mitchell decidiu infiltrar para empatar a partida, mas Brook Lopez deu um lindo toco e selou a vitória dos líderes da conferência Leste. O Jazz entrou em quadra com seu lindo uniforme retrô azul da época de Karl Malone e John Stockton, embora essa noite nenhum pivô ou ala-pivô chegou perto das atuações do “Mail Man”. Bojan Bogdanovic liderou o time com 24 pontos, Donovan Mitchell fez 20 e Mike Conley esteve apagado com 6 pontos e 9 assistências. O banco do Jazz contribuiu bem, todos os jogadores fizeram mais de 10 pontos: Joe Ingles (15), Georges Niang (13), Emmanuel Mundiay (12) e Jeff Green (11). Porém, do outro lado estava o atual MVP da liga. Giannis Antetokounmpo tirou proveito da ausência do melhor defensor adversário, Rudy Gobert (torção no tornozelo), e fez o que quis no garrafão acabando o jogo com 50 pontos (melhor marca da temporada) e 14 rebotes. Wesley Matthews anotou 19 pontos em 5/8 arremessos para 3 e Brook Lopez terminou com 4 tocos, um deles o da vitória.

 

Philadelphia 76ers 96 @ Toronto Raptors 101

 

 

No primeiro confronto desde que Kawhi eliminou os Sixers no jogo 7 das finais do leste, o Toronto Raptors manteve-se invicto em casa (7-0) ao derrotar Philly e mostrar que mesmo com a saída de seu melhor jogador o time não está disposto a se levantar do trono da conferência leste. Os Raptors seguem apostando no jogo coletivo para superar seus adversários mais estrelados. Mais uma vez o time canadense não contou com jogadores fundamentais: Kyle Lowry (dedo quebrado) e Serge Ibaka (tornozelo torcido), mas a dupla Fred VanVleet e Pascal Siakam, até pouco tempo desconhecida, continua comandando o time na bela campanha até aqui. VanVleet anotou 24 pontos e deu 8 assistências, enquanto Siakam contribuiu com 25 pontos e 7 rebotes. Mesmo sem a ajuda defensiva de Ibaka (3x NBA all-defense) os Raptors foram capazes de anular Joel Embiid. Anular mesmo! O pivô camaronês terminou o jogo zerado, sem converter qualquer dos seus 11 arremessos de quadra! Os demais jogadores do Sixers contribuíram como esperado: Ben Simmons chegou perto do triplo-duplo com 10 pontos, 14 assistências e 9 rebotes, Al Horford fez um duplo-duplo com 11 pontos e 10 rebotes e Josh Richardson reafirmou seu bom momento anotando 25 pontos e sendo o cestinha da equipe pelo segundo jogo consecutivo. No entanto, a ausência de Embiid no ataque foi muito prejudicial para os Sixers, que não conseguiram quebrar o tabu de 7 anos sem vencer no Canadá. Philadelphia chegou a assumir a liderança com pouco mais de 5 minutos para o fim do jogo após marcar 7 pontos sem resposta. Os Raptors retomaram o jogo com bolas de 3 de VanVleet e Norman Powell e uma jogada de 2 pontos mais a falta de Siakam. Siakam ainda forçou um turnover em um passe de Ben Simmons com cerca de 10 segundos no relógio e VanVleet converteu 2 lances-livres para deixar Toronto à frente por uma posse. Tobias Harris e Ben Simmons ainda erraram uma bola de 3 cada (a única que Simmons tentou no jogo) e Siakam finalizou o jogo com uma bela enterrada. Esperava-se que os 76ers chegassem ainda mais fortes esse ano e que se aproveitariam da ausência de Kawhi para tomar o trono dos Raptors, mas a equipe ainda não tem empolgado e os atuais campeões vem surpreendendo com partidas sólidas mesmo sem jogadores fundamentais.

 

Orlando Magic 88 @ Detroit Pistons 103 

Mesmo em dia difícil para Derrick Rose e Andre Drummond, os Pistons venceram Orlando por um bom placar. Tudo o que precisaram foi aplicar uma boa marcação na equipe adversária, que teve um aproveitamento de 38% nos arremessos de quadra. Luke Kennard foi o grande nome da partida anotando 20 pontos e 7 assistências. Blake Griffin contribuiu com 17 pontos e 5 rebotes. D-Rose e Drummond ficaram marcados por suas atuações bem fracas: 2 pontos e 6 assistências para Rose e 7 pontos para Drummond, apesar dos 18 rebotes. Procurando espantar a má fase, Terrence Ross finalmente fez um bom jogo, anotando 19 pontos e sendo o cestinha do Magic no confronto. Destaque também para Markelle Fultz (16 pontos e 4 rebotes) e Jonathan Isaac (10 pontos, 6 rebotes e 4 tocos).

 

Brooklyn Nets 108 @ Cleveland Cavaliers 106

Na ausência de Kyrie Irving, Spencer Dinwiddie resolveu assumir o posto de principal jogador de Brooklyn e levou sua equipe para mais uma vitória com uma boa atuação. Mas não foi um jogo fácil. Cleveland deu trabalho durante todo o confronto, resultando em uma partida bem equilibrada e com várias mudanças na liderança do placar. No último minuto, o embate ainda estava em aberto. Após duas cestas de três pontos de Jordan Clarkson, o placar ficou empatado (106-106). Com apenas três segundos restantes no relógio, Dinwiddie anotou um arremesso de meia distância para sacramentar a vitória da franquia nova-iorquina. O armador foi o grande destaque da partida, mas é bom ressaltar a atuação de Jarrett Allen: foram 21 pontos e 22 rebotes para o pivô. Joe Harris (19 pontos e 6 rebotes) e Taurean Prince (18 pontos e 6 rebotes) também foram destaques positivos para os Nets. Por Cleveland, Jordan Clarkson (23 pontos) e Larry Nance Jr. (20 pontos e 13 rebotes) foram os grandes destaques. Esta foi a quinta vitória em seis jogos para Brooklyn, mesmo contando com a ausência de Kyrie. Esta situação levantou a seguinte questão nos bastidores da NBA e nas redes sociais: os Nets são melhores sem Irving?

 

Memphis Grizzlies 114 @ Indiana Pacers 126

Os Pacers dominaram a franquia de Memphis e conquistaram a terceira vitória seguida. Foi um verdadeiro massacre, em uma noite quase perfeita do ataque de Indiana: 55% de aproveitamento nos arremessos de 3 pontos (18/33) e 54% nos arremessos de quadra (51/94). TJ Warren foi o cestinha da equipe com 26 pontos e 4 rebotes. Jeremy Lamb (19 pontos), Aaron Holiday (16 pontos) e Malcolm Brogdon (14 pontos, 6 rebotes  e 8 assistências) também foram destaques para a franquia de Indianápolis. Pelos Grizzlies, foi a juventude quem deu um show. Com ótimas atuações dos jovens Jaren Jackson Jr. (28 pontos e 5 rebotes), Ja Morant (19 pontos e 10 assistências) e Brandon Clarke (17 pontos e 4 rebotes), dá pra se dizer que apesar da derrota, o torcedor de Memphis fica animado com o futuro da equipe.

 

Portland Trail Blazers 117 @ Chicago Bulls 94

 

 

O Chicago Bulls acabara de suar sangue para vencer o Charlotte Hornets e quebrar uma sequência de 4 derrotas e então voltou à mediocridade ontem ao perder para um time de Portland que ainda não se encontrou no campeonato. Foi a vez dos Trail Blazers quebrarem uma sequência de 4 derrotas com grande atuação de, pasmem, Carmelo Anthony. Melo estava distribuindo currículos há certo tempo na NBA e ninguém parecia gostar do que estava sendo oferecido, até que Portland, em um ato de desespero (2 jogadores importantes lesionados e sem conseguir reproduzir o sucesso que os levou às finais do oeste na última temporada) trouxe o veterano “3 and no D”. Anthony tirou a ferrugem nos primeiros jogos e ontem fez uma partida de qualidade, embora o adversário não possa ser considerado desafiador. Ainda sem Nurkic (perna quebrada) e Zach Collins (ombro deslocado) e com Lillard jogando abaixo do seu nível por estar sofrendo com dores nas costas, foi o recém-contratado veterano foi quem assumiu o comando do ataque. Carmelo foi o cestinha da partida com 25 pontos (10/20 e 4/7 para 3pts) e ainda ajudou com 8 rebotes. CJ McCollum fez 21 pontos, Lillard contribuiu com 13 pontos e 12 assistências e Hassan Whiteside fez 13 pontos e 12 rebotes. Portland não sentiu a ausência de seus pivôs e dominou os rebotes (55x37). Os visitantes abriram vantagem no terceiro quarto e não precisaram mais olhar para trás. Com a partida ganha Carmelo Anthony foi poupado no começo do último quarto e deixou a quadra sob aplausos da torcida adversária que gritava “we want Melo”. Quem diria? Bem, a situação dos Bulls não é das melhores e tiveram uma péssima noite no ataque, de forma que é compreensível que a torcida peça um pontuador de alto calibre. Zach LaVine (que vinha do melhor jogo da carreira – 49pts contra o Hornets) foi o cestinha do time com apenas 18 pontos e 1/5 arremessos de 3 convertidos (13/17 no jogo anterior contra Charlotte). Lauri Markannen voltou a sumir e marcou apenas 10 pontos em escassas 7 tentativas de arremesso de quadra. O calouro Coby White também não estava com a mão boa e fez apenas 8 pontos em 3/13 arremessos e 1/8 para 3 pontos. Os jovens talentos dos Bulls não estão respondendo como esperado e o clima no vestiário também não é dos melhores, por mais que LaVine e o treinador Jim Boylen digam que já se acertaram. Pelo lado dos Blazers Carmelo tem roubado os holofotes, pela fama e agora pelo desempenho. Um jogo bom é muito pouco para acreditar que o ex-desempregado mais famoso da NBA é um novo homem, ou melhor, o antigo homem da época do Knicks e Nuggets, mas essa atuação, no momento que o time vive, é um fio de esperança ao qual os torcedores da Rip City estão loucos para se agarrar.

 

Minnesota Timberwolves 125 @ Atlanta Hawks 113

Trae Young vs. Karl-Anthony Towns. Jabari Parker vs. Andrew Wiggins. Uma batalha que coloca de frente dois jovens franchise players e dois jogadores que buscam sua redenção na NBA. São duas equipes que possuem bastante em comum, mas venceu aquela que soube defender. Os Wolves demonstraram que eram a equipe superior no início do confronto, mas a “mocidade” de Atlanta se aproveitou das cestas debaixo do garrafão e viraram o placar, indo para o intervalo com 10 pontos de vantagem (64-54). Na volta dos vestiários, Towns resolveu decidir anotando 15 pontos no terceiro quarto, colocando Minnesota na liderança novamente. No último quarto, os Wolves souberam defender e conseguiram a vitória. KAT terminou o confronto com 28 pontos, 13 rebotes e 8 assistências. Por outro lado, o imenso esforço de Trae Young não foi suficiente. Atuação fantástica do armador com 37 pontos, 6 rebotes e 9 assistências.  Andrew Wiggins teve mais uma boa atuação pelos Wolves com 25 pontos e 6 rebotes. Idem para Jabari Parker por Atlanta, que anotou 22 pontos e 7 rebotes.

 

Sacramento Kings 102 @ 103 Boston Celtics 103

Procurando recuperar a boa forma depois de duas derrotas, os Celtics conseguiram uma vitória apertada contra os Kings. Enquanto os celtas não contaram com Kemba Walker e Gordon Hayward para a partida, Sacramento também não contou com De’Aaron Fox e Marvin Bagley III (que está fora desde o início da temporada). Foi um confronto extremamente equilibrado, com Jayson Tatum (20 pontos e 6 rebotes) e Jaylen Brown (24 pontos e 4 rebotes) destoando de um lado e Buddy Hield e Harrison Barnes do outro. Mas quem decidiu de fato o jogo foi Marcus Smart; Sacramento liderava o placar por um ponto (101-102) com menos de um minuto restante relógio. Na posse de Boston, Smart fez uma ótima jogada vencendo a marcação de Cory Joseph e anotando a bandeja que deixou sua equipe na frente. Os Kings tiveram a última posse do confronto, mas desperdiçaram com um arremesso de Bogdanovic. Smart teve boa atuação com 17 pontos, 7 assistências e 5 roubos de bola. Sacramento contou com atuação especular de Buddy Hield: 41 pontos e 5 rebotes para o ala-armador. Harrisson Barnes também teve um bom jogo com 20 pontos.

 

Oklahoma City Thunder 100 @ Golden State Warriors 97

 

 

O que o Thunder e os Warriors tem em comum? Nada dá certo para ambos desde a saída de Kevin Durant. OKC não vence uma série de playoffs desde que sua estrela os deixou e os Warriors foram de finalistas para últimos colocados na NBA (3-15). Nesta segunda-feira Oklahoma se aproveitou das lesões do time californiano para arrancar sua primeira vitória fora de casa (era, junto com o Orlando Magic, os únicos times a não vencerem “on the road”), a segunda em dois jogos contra os Warriors. Os atuais vice-campeões da NBA vem usando apenas 8 jogadores por partida em razão das lesões que assolam o elenco. Além de Curry e Klay, fora das quadras por um bom tempo, ontem também não jogaram Green (calcanhar), D’Angelo Russell (dedão) e Kevon Looney (posterior da coxa). Dessa forma os Warriors seguem mandando “desconhecidos” à quadra e alguns tem aproveitado a oportunidade. Eric Paschall tem sido o melhor jogador da equipe e ontem anotou um duplo-duplo com 13 pontos e 10 rebotes, Glenn Robinson III também tem se destacado e foi o cestinha da partida com 25 pontos. Por fim, foi a vez de Ky Bowman sair do anonimato e fazer 24 pontos, 5 assistências e 3 roubos de bola. Pelo lado dos Clippers, Chris Paul fez 20 pontos e cresceu nos momentos finais, Gallinari fez um jogo completo com 15 pontos, 7 rebotes e 6 assistências e Dennis Schroder, mesmo saindo do banco, terminou a partida como cestinha da equipe com 22 pontos. Mesmo com todas as lesões, os Warriors fizeram um jogo muito equilibrado e lideraram por toda a partida até os últimos minutos quando o Thunder ressurgiu com uma sequência de 13 pontos sem resposta. A defesa do Oklahoma se intensificou, botou muita pressão nos inexperientes jogadores dos Warriors e forçou 5 turnovers no quarto período. Com o Thunder a frente por 1 ponto, Chris Paul converteu seu arremesso característico de meia distância para ampliar a vantagem para 3 com pouco mais de 30 segundos por jogar. Alec Burks não conseguiu converter um arremesso bem defendido no garrafão e o jogo teve números finais (OKC 100x97 GS). Vitória muito importante para a equipe do meio-oeste que vinha de três derrotas em jogos brigados contra as fortes equipes de Los Angeles (Lakers, duas vezes, e Clippers). Dessa vez o Thunder cresceu no fim do jogo e não deixou o triunfo escapar diante de um adversário bem mais frágil.

 

Charlotte Hornets 100 @ 117 Miami Heat 117

Em um placar esperado, Miami atropelou os Hornets e conquistou a sexta vitória em sete jogos. A franquia de Charlotte não demonstrou perigo para os donos da casa em nenhum momento no confronto e Miami simplesmente fez seu papel. Bam Adebayo foi o destaque do confronto com 21 pontos, 13 rebotes e 5 assistências. Mais uma atuação do ala-pivô que o consolida como um dos grandes candidatos ao prêmio de “Most Improved Player”. Jimmy Butler (21 pontos e 7 assistências), Kendrick Nunn (19 pontos e 4 rebotes), Tyler Herro (18 pontos) e Kelly Olynyk (15 pontos e 16 rebotes) também tiveram bons números pela franquia da Flórida. Os destaques de Charlotte foram Terry Rozier (19 pontos, 9 rebotes e 5 assistências) e Devonte Graham (16 pontos e 8 assistências). Provavelmente o jogo mais “miserável” da rodada, mas que reforça cada vez mais o bom basquete de Miami nesta temporada.

 

Los Angeles Lakers 114 @ San Antonio Spurs 104

 

 

Os Spurs até começaram bem, LaMarcus Aldridge inclusive levou a melhor sobre LeBron no primeiro quarto, contudo o King James se recuperou na partida e pela segunda vez comandou os Lakers em uma vitória sobre os Spurs em San Antonio nessa temporada. Papai Lebrão agraciou os fãs dos Lakers que estiveram presentes em grande número na arena visitante com uma performance clássica, com direito a todos seus “signatures moves”, inclusive um toco por trás em um contra-ataque de Dejonte Murray no melhor estilo finais de 2016. James terminou o jogo com 33 pontos e 14 assistências, e sua dupla, Anthony Davis, fez 19 pontos e 12 rebotes. Apesar da derrota, a dupla de estrelas (não tão brilhantes) de San Antonio teve um bom jogo: 30 pontos para LaMarcus Aldridge e 24 para DeMar DeRozan. Os Spurs voltam à coluna das derrotas após escaparem brevemente da pior sequência nos 23 anos da era Pop (8 derrotas seguidas). Do outro lado, os Lakers (15-2), lideram a liga e tem seu melhor começo de temporada desde 08/09.