Conteúdo

Vitória fantástica dos Bulls, Lakers vencem com mais dificuldade que o esperado, Jazz e 76ers arrasadores e muito mais

24 de novembro de 2019

(por Rafael Lima)

 

Confira como foram os 10 jogos da sábado da NBA:

 

Chicago Bulls 116-115 Charlotte Hornets

Esse jogo não gerava muita expectativa antes do início, pois reunia duas equipes que não devem brigar por nada na temporada, porém, o que se viu foi entrega, emoção e grandes jogadas dentro de quadra.

Os visitantes começaram arrasadores insistindo e se dando bem do perímetro, com Zach Lavine, Lauri Markkanen, Tomas Satoransky, Wendell Carter Jr. e Cody White anotando pelo menos um arremesso de 3. Desta forma Chicago levou 11 pontos de vantagem para o segundo quarto. No período seguinte, Charlotte foi um pouco melhor e tentou chegar no placar, porém, foi depois do intervalo que os Hornets encaixotaram os Bulls, forçaram turnovers e mudaram completamente o desenho do duelo. O time da casa tomou a liderança e levou uma vantagem de 5 pontos para o período final. No início da etapa final Charlotte abriu uma vantagem de 12 pontos e tudo parecia definido, só que aquele Chicago Bulls das bolas de três voltou após um tempo pedido pelo técnico Jim Boylen. Os Arremessos começaram a cair e Wendel Carter teve uma atuação dominante no garrafão. Mesmo com essa melhora, a vantagem dos Hornets era de 7 pontos, faltando 30 segundos para o fim. Só que LaVine do perímetro, Cody White na bandeja e LaVine, novamente de três, conseguiram uma virada espetacular para os visitantes. Que vitória!
LaVine foi o grande nome da partida, com 13 cestas de fora bateu o recorde de cestas de 3 do Chicago Bulls e terminou o embate com 49 pontos. Como já foi dito, Wendell Carter Jr. atuou muito bem com 17 pontos e 11 rebotes e Coby White foi importantíssimo com seus 28 pontos.

Por Charlotte, Terry Rozier foi o maior pontuador, também com 28 pontos.   

 

Los Angeles Lakers 109-108 Memphis Grizzlies

 

 

Que duelo! Papai LeBron de um lado e o garoto Ja Morant, principal candidato ao prêmio de calouro do ano, do outro. Quando estão frente a frente a equipe de melhor campanha da liga contra uma das mais fracas, a expectativa é de um massacre, mas esqueceram de avisar Ja Morant. O garoto estava “on fire”, comandando as ações dos Grizzlies desde o início. Os Lakers, apesar de terem uma defesa forte, não conseguiam parar a velocidade e os arremessos de 3 do adversário. Dessa forma, mesmo equilibrando no segundo quarto, LA levou para o vestiário uma desvantagem de 8 pontos (63-55).

Na volta do intervalo o Los Angeles Lakers das partidas anteriores foi visto, LeBron comandou as ações, jogou e fez seu time jogar, fazendo os californianos tomarem as rédeas do placar. Apesar disso, LA não conseguia deslanchar e o quarto período iniciou com vantagem de apenas um ponto para os Lakers.

O jogo era lá e cá, Memphis jogava como se brigasse pelas primeiras posições do oeste e os Lakers pareciam não ter o antídoto para parar a molecada. Apesar disso, os visitantes souberam usar de toda a experiência para forçarem trunovers e garantirem a vitória pela vantagem mínima.

Os grandes nomes dos Lakers foram os mesmos de sempre, LeBron James (30pts e 6reb.) e Anthony Davis (22pts e 5blq). Por Memphis, Ja Morant (26pts, 6ast. e 5rdb), Jae Crowder (21pts e 6reb) e Jaren Jackson Jr. (20pts e 7 reb.) foram os principais nomes.

 

Phoenix Suns 100-98 Minnesota Timberwolves

O jogo entre as duas equipes mais surpreendentes do Oeste teve os Suns com um passo a frente desde o início. Jogando de forma mais coletiva, porém, liderado pelo seu principal jogador, Devin Booker, parecia que Phoenix venceria com tranquilidade. Mas, como “o jogo só acaba quando termina”, o quarto período foi dos Wolves, que cortaram a diferença e voltaram para o jogo na reta final, mas erros de Karl-Anthony Towns, melhor jogador do time na partida e dono do garrafão, e Andrew Wiggins, não permitiram a virada dos anfitriões.

O grande destaque do embate foi Devin Booker que ficou por uma assistência do triple-double com 35 pontos, 12 rebotes e 9 assistências. Outro jogador dos Suns que merece ser citado é Kelly Oubre Jr., que anotou 25 pontos e pegou 11 rebotes.

Pelo lado derrotado os principais nomes foram Towns e seu 11º duplo-duplo (31pts e 17reb), Wiggins (21pts) e Keita Bates-Diop (22pts).

Orlando Magic 106-111 Indiana Pacers

O Orlando Magic foi até Indiana para tentar se consolidar na oitava posição do leste, mas teria que passar por cima dos desfalques de Nikola Vucevic e Aaron Gordon, além do jogo coletivo de Indiana. Depois de um primeiro período bastante equilibrado, os Pacers passaram a dominar com sua coletividade e defesa intensa e assim foram abrindo vantagem. Os times foram para o intervalo com a vitória parcial dos anfitriões por 55 a 45.

Na volta dos vestiários a intensidade mudou de lado, Orlando veio totalmente diferente, melhorou na defensivamente e as bolas de 3 começaram a cair. E assim o Magic foi para o quarto período com dois pontos de vantagem. Desde então o equilíbrio tomou conta, jump shots dos dois lados e Indiana segurando a vantagem de uma posse até o minuto final, quando de Holiday pra Holiday, faltando 8 segundos, saiu a jogada que terminou com a bola de 3 vencedora dos Pacers, anotada por Aaron.

O cestinha de Indiana foi Domantas Sabonis com 25 pontos e ainda contribuiu com 9 rebotes. Do lado de Orlando, os destaques foram Evan Fournier (26pts) e Jonathan Isaac (25pts e 9 reb).

 

Toronto Raptors 119-116 Atlanta Hawks

Duelo entre um time que está entre os primeiros contra um dos últimos da Conferência Leste. Apesar da diferença entre elencos, o confronto foi em Atlanta e o time da casa tinha Trae Young. No primeiro tempo os Hawks foram melhores com um jogo de transição interessante e Young calibrado, em contrapartida, os Raptors pareciam dispersos em quadra. Assim, o placar do intervalo anotava 61 a 52 para os anfitriões.

Depois de uma boa conversa de Nick Nurse o embate mudou totalmente, a defesa de Toronto melhorou e, apesar de não conseguir anular totalmente, dificultou demais as ações de Young. Desta forma a partida foi para o período derradeiro com uma posse de bola de diferença, após bela cesta de Vince Carter.

Toronto, mais experiente, tomou a liderança rapidamente e o jogo ficou com troca de bolas até a metade do quarto, quando os Raptors se aproveitaram de erros do time da casa para conseguiram abrir uma vantagem de 10 pontos, que apesar de um susto final com uma tentativa de cesta de 3 de Trae Young que empataria o duelo, administraram o triunfo apertado.

O cestinha do confronto foi Pascal Siakam com 34 pontos. Fred VanVleet foi bem de novo com 25 pontos e 9 assistências. Pelo lado de Atlanta os destaques foram Trae Young com um triplo-duplo (30pts, 10reb. e 10ast.) e De’Andre Hunter com 26 pontos.

 

Miami Heat 86-113 Philadelphia 76ers

 

 

Um massacre! Assim pode ser definida a partida entre Sixers e Heat. Logo de cara uma parcial de 13 a 2. E assim continuou o embate. Embiid dominou o garrafão, Simmons cadenciou o jogo de forma bem solidária e Jason Richardson, no melhor estilo lei do ex, pontuou de todas formas nessa verdadeira doutrinação aos meninos de Miami.

O tempo foi passando e a vantagem aumentando, dessa forma a diferença chegou a 41 pontos. No quarto período os reservas assumiram e Philadelphia perdeu a parcial, mas o triunfo já estava pra lá de assegurado.

Jason Richardson terminou como cestinha da partida com 32 pontos. Outro destaque foi Joel Embiid, com 23 pontos e 11 rebotes. Por Miami o maior pontuador foi Tyler Herro com 20 tentos.

 

San Antonio Spurs 111-104 New York Knicks

Nesta temporada a melhor coisa para um time que está em baixa e vem de uma sequência de derrotas é enfrentar o New York Knicks. Os Spurs vinham caindo pelas tabelas, mas em visita ao Madison Square Garden tudo mudou. LaMarcus Aldridge e DeMar DeRozan jogaram como All-Stars, o time marcou bem, anulou os anfitriões e chegou a abrir uma vantagem de 28 pontos durante o confronto. No intervalo o placar marcava 68 a 43 para San Antonio. Com o jogo sob controle, os Spurs relaxaram um pouco mais, mas nunca tiveram a vitória ameaçada até o fim.

No final, Aldridge terminou com 23 pontos e 6 rebotes e DeRozan fechou sua participação com 21 pontos e 9 rebotes. O maior destaque na pífia atuação coletiva dos Knicks foi novamente Marcus Morris, com 20 pontos e 7 rebotes.

 

Portland Trail Blazers 104-110 Cleveland Cavaliers

Quando parece que a situação do Portland Trail Blazers não tem como piorar, eis que a equipe consegue ser derrotada pelo Cleveland Cavaliers sem Kevin Love. Realmente o caldo entornou na franquia do Oregon, o time não tem alma e a coletividade do ano passado se transformou em jogadas individuais de seus principais jogadores.

Mesmo atuando mal, Portland conseguiu equilibrar o jogo diante do fraquíssimo Cleveland sem seu melhor jogador. Porém, na rotação, se aproveitando de jogadas forçadas dos Trail Blazers e de um momento iluminado de Jordan Clarkson, os Cavs abriram uma vantagem determinante no segundo quarto, conseguindo administrar até o final do confronto, já que o adversário sem criatividade dava a bola nas mãos e Melo e Lillard, que converteram menos de 40% de seus arremessos.

Jordan Clarkson foi o cestinha da partida com 28 pontos, enquanto Tristan Thompson foi importante dos dois lados da quadra, anotando 25 pontos e pegando 9 rebotes. Apesar dos erros, Damian Lillard foi o principal destaque dos Blazers com 23 pontos, 8 rebotes e 8 assistências.

Detroit Pistons 90-104 Milwaukee Bucks

O decepcionante Detroit Pistons foi até Milwaukee enfrentar os líderes do leste e, apesar do domínio de garrafão de Andre Drummond e da ótima atuação de Derrick Rose saindo do banco, não foi páreo para os Bucks de Antetokunmpo.

O time da casa nem sentiu falta do desfalque de Khris Middleton, dominou a partida desde o início e não ficou nem um minuto atrás no placar, baseando seu jogo em um basquete de força e intensidade defensiva, contando com um dominante Giannis Antetokunmpo, impossível de ser marcado quando ataca a cesta.

A vantagem de Milwaukee chegou a 22 pontos em determinado momento, mas Detroit conseguiu reduzir no final, mas longe de ser o suficiente para vencer.

Giannis terminou sua atuação com 28 pontos e 10 rebotes. O cestinha dos Pistons foi Rose com 20 tentos.

 

New Orleans Pelicans 120-128 Utah Jazz

 

 

Mais um monólogo na rodada, o Utah Jazz é fortíssimo jogando em seus domínios e começou arrasador. Tudo o que tentavam caía, com menos de 4 minutos o placar já marcava 20 a 5 para os anfitriões. Bojan Bogdanovic e Donovan Mitchell estavam irresistíveis do perímetro. A partir daí o duelo se tornou um tiroteio e o primeiro quarto terminou com um placar de All-Star Game, 44 a 31 para Utah.

O time da casa manteve uma produção ofensiva alta, seguindo bem da linha dos 3, mas também jogando em transição. Sendo assim, o placar do intervalo foi de 74 a 54 para o Jazz.

O segundo tempo foi protocolar. Os anfitriões administraram o jogo e os visitantes forçavam bolas de fora e brigaram  para diminuir a desvantagem, porém, não conseguiram nem assustar Utah, que venceu tranquilamente a partida.

Donovan Mitchell terminou sua participação com 37 pontos, 7 rebotes e 5 assistências. Bogdanovic também merece destaque, finalizando sua participação com 28 pontos, 5 rebotes e 5 assistências. Do lado dos Pelicans, os principais nomes foram Brandon Ingram, com 33 pontos e 5 assistências, Jrue Holiday com 28 pontos e 5 rebotes e JJ Redick com 20 pontos e 7 rebotes.