Conteúdo

Confira a análise da NFC Sul e saiba o que esperar de Saints, Falcons, Panthers e Buccaneers

2 de setembro de 2019

(por Marcos André)

 

É difícil acreditar que só cinco anos nos separam de 2014. De lá para cá, tanta coisa mudou – em tantos aspectos! – que algumas eternidades já parecem ter se passado. Pouco depois de Klose, Khedira e Schweinsteiger tabelarem na área do Mineirão, uma nova temporada da NFL – para nosso alívio! – se iniciou. E nesse tempo, na bola oval, as coisas também se transformaram de forma radical. Basta ver a NFC South como exemplo.

À época, ela era uma espécie de “patinho feio” da liga. Ao fim daquele ano, os Panthers se tornaram apenas o segundo time da história da liga a vencer uma divisão tendo mais derrotas do que vitórias. Hoje, cinco anos depois, não é exagero dizer que o Sul da Conferência Nacional é casa das disputas mais acirradas da liga.

De 2015 para cá, os próprios Panthers e os Falcons chegaram ao Super Bowl, ficando a um detalhe do título. Os Saints só não chegaram à decisão da liga no ano passado por causa de um dos erros de arbitragem mais absurdos que a centenária NFL já presenciou. Dos últimos 4 MVPs da temporada regular, dois jogam na NFC South – e vale lembrar que Drew Brees nem entra nessa conta. Pois bem... com tantos altos e baixos, o que esperar dessa divisão para 2019?

 

New Orleans Saints

[[{"type":"media","view_mode":"media_large","fid":"3631","attributes":{"class":"media-image size-full wp-image-14018 aligncenter","typeof":"foaf:Image","style":"","width":"5000","height":"2500","alt":""}}]]

Com um dos elencos mais fortes da liga, a equipe de Nova Orleans é favorita não só ao título da divisão, mas a chegar ao Super Bowl. Drew Brees, ano após ano, se consolida como um dos maiores quarterbacks da história da NFL. Kamara, um RB extremamente explosivo, é ameaça tanto no jogo terrestre como em passes curtos – e agora terá a companhia de Latavius Murray, outro bom corredor que chega para ajudar no backfield. Michael Thomas, recebedor que tem uma sintonia quase imparável com Brees, deve vir ainda mais motivado com seu novo contrato de 100 milhões de dólares. Jared Cook, um dos TEs mais subestimados da liga, foi contratado na última offseason e agora também veste preto e dourado.

Resumindo: não há dúvidas de que, no ataque, os Saints vão produzir como sempre. Uma incógnita um pouco maior fica no lado defensivo, que também se portou bem na última temporada. Cameron Jordan é um dos melhores pass rushers da liga, e o resto da unidade, apesar de não ser brilhante, vem conseguindo manter um trabalho sólido – o que já é suficiente.

Palpite: 12-13 vitórias e primeiro lugar na NFC South

 

Atlanta Falcons

[[{"type":"media","view_mode":"media_large","fid":"3632","attributes":{"class":"media-image size-full wp-image-14019 aligncenter","typeof":"foaf:Image","style":"","width":"1200","height":"800","alt":""}}]]

Apesar de um resultado frustrante na última temporada, com 7 vitórias e 9 derrotas, os Falcões de Atlanta terminaram o ano com um voo alto. Foram três triunfos consecutivos – algo importante para motivar o talentoso time para 2019.

Matt Ryan e Julio Jones foram uma das melhores duplas QB-WR da liga. Com uma OL reforçada na intertemporada, o RB Devonta Freeman terá a missão de permanecer saudável - ponto crucial para o equilíbrio do ataque de Atlanta. Outro aspecto chave é como a unidade vai se portar na redzone (últimas 20 jardas do campo). Durante vários jogos, as oportunidades perdidas à beira da endzone foram cruciais para os Falcons.

Do lado defensivo, é fundamental que as duas primeiras linhas consigam pressionar constantemente o QB adversário. Vale lembrar que na temporada de 2017, em que os Falcons chegaram ao Super Bowl a pressão em cima dos QBs adversários foi fundamental. Nesse sentido, Vic Beasley Jr., principal nome da defesa precisa aparecer bem.

Palpite: 9-10 vitórias e segundo lugar na NFC South

 

Carolina Panthers

[[{"type":"media","view_mode":"media_large","fid":"3633","attributes":{"class":"media-image size-full wp-image-14020 aligncenter","typeof":"foaf:Image","style":"","width":"1280","height":"720","alt":""}}]]

Começo aqui fazendo uma pergunta. Quando foi a última vez, amigo leitor, que você viu Cam Newton jogar sem estar nitidamente baleado? Difícil lembrar – e a temporada de 2019 dos Panthers passa justamente por isso.

No aspecto físico, Newton é o QB mais dominante da liga. Extremamente forte, é uma ameaça tanto no jogo aéreo quanto no terrestre. Mas as lesões parecem ser uma companhia inseparável do camisa #1 de Carolina. Para o ataque dos Panthers ter sucesso, é fundamental que as defesas adversárias temam a versatilidade da dupla Cam-McCaffrey. E isso só vai acontecer se ex-MVP da liga, de fato, tiver saudável.

Na defesa, Kuechly, como sempre, será a chave. O MLB, que é uma espécie de “QB defensivo”, é fundamental – e também precisa ficar longe das lesões. Na temporada passada, a unidade defensiva não conseguiu pressionar os QBs adversários, sendo a 6ª pior da liga nesse aspecto. Com a chegada de Gerald McCoy, um dos melhores DTs da NFL, e a escolha do LB Brian Burns no Draft, isso tende a mudar. E pro sucesso dos Panthers, precisa mudar.

Palpite: 7-8 vitórias e terceiro lugar na NFC South

 

Tampa Bay Buccaneers

[[{"type":"media","view_mode":"media_large","fid":"3634","attributes":{"class":"media-image size-full wp-image-14021 aligncenter","typeof":"foaf:Image","style":"","width":"1280","height":"720","alt":""}}]]

Com a chegada do experiente Bruce Arians para o comando da equipe, a expectativa de Tampa é que temporada de 2019 seja bem melhor do que as últimas duas - nos últimos 32 jogos, os piratas somam apenas dez vitórias –, mas acima de tudo, que abra caminho para um futuro mais promissor.

A principal chave vai ser o instável QB Winston. Apesar de bastante dominante no aspecto físico, é difícil sabermos qual versão do quarterback vai aparecer em 2019. Mike Evans continua sendo um dos melhores WRs da liga e deve tornar a missão de Jameis um pouco menos complicada. Na intertemporada, a principal aquisição dos Bucs foi Deone Bucannon, um LB muito versátil que trabalhou junto com Arians em Arizona. Junto com Devin White, primeira escolha do time no Draft, a tendência é que a defesa seja bastante agressiva em 2019.

Palpite: 6-7 vitórias e quarto lugar na NFC South