Conteúdo
×

Error message

  • Notice: Trying to access array offset on value of type bool in imagecache_token_tokens() (line 179 of /home/playmakerbr/playmakerbrasil.com.br/sites/all/modules/contrib/imagecache_token/imagecache_token.tokens.inc).
  • Notice: Trying to access array offset on value of type bool in imagecache_token_tokens() (line 183 of /home/playmakerbr/playmakerbrasil.com.br/sites/all/modules/contrib/imagecache_token/imagecache_token.tokens.inc).
  • Notice: Trying to access array offset on value of type bool in imagecache_token_tokens() (line 179 of /home/playmakerbr/playmakerbrasil.com.br/sites/all/modules/contrib/imagecache_token/imagecache_token.tokens.inc).
  • Notice: Trying to access array offset on value of type bool in imagecache_token_tokens() (line 183 of /home/playmakerbr/playmakerbrasil.com.br/sites/all/modules/contrib/imagecache_token/imagecache_token.tokens.inc).

Confira os confrontos, análises, datas e horários da primeira rodada dos playoffs da NFL

31 de dezembro de 2018

(por Rafael Lima)

 

Pois é, passa rápido. A temporada regular da NFL acabou. A saudade já começa a aparecer, mas a partir do próximo sábado, a parte mais emocionante do campeonato iniciará, os playoffs. Veja as datas e horários dos jogos, anote na sua agenda e não perca! A ESPN irá transmitir todos eles ao vivo.

No sábado, no próximo dia 5, às 19h25 (horário de Brasília), o Houston Texans recebe o Indianapolis Colts, no NRG Stadium. Os Texans conquistaram a seed#3 da AFC com 11 vitórias e 5 derrotas, jogam em casa e tem uma defesa monstruosa (terceira melhor contra o jogo corrido), liderada por J.J. Watt (segundo em sacks na temporada regular com 16), além de um ataque versátil, que conta com um dos melhores QBs da nova geração, Deshaun Watson e, provavelmente, o melhor wide receiver de todos os times que estão disputando os playoffs, DeAndre Hopkins (segundo em jardas recebidas com 1.572, atrás apenas de Julio Jones).

Isso coloca o favoritismo em Houston, mas do outro lado existe um time que se acertou ao longo da temporada com Frank Reich, resolvendo problemas defensivos para terminar com o líder da liga em tackles, Darius Leonard. Além disso, Andrew Luck é um dos mais talentosos QBs da atualidade, voltou de contusão neste ano, demorou para retomar a forma, mas na reta final mostrou do que é feito, terminando como o quinto quarterback com mais jardas lançadas na temporada. Existe também o fator rivalidade, pois as duas equipes fazem parte da AFC Sul e, por isso, já se enfrentaram duas vezes neste ano, com uma vitória para cada lado, curiosamente quem jogou fora de casa se deu melhor. Com todos esses ingredientes, só podemos esperar um jogaço.

Também no sábado, só que às 23h15, o Seattle Seahawks vai até Arlington, no Texas, enfrentar o Dallas Cowboys, no AT&T Stadium. Os queridinhos da América, como os Cowboys ficaram conhecidos, fizeram uma campanha surpreendente, vencendo a NFC Leste, que pelos prognósticos antes da temporada começar, seria vencida pelos atuais campeões, os Eagles. Os segredos da campanha surpreendente foram a defesa fortíssima, principalmente contra o jogo corrido (5ª no quesito), a contratação de Amari Cooper, que fez o ataque deixar de ser unidimensional, e a aberração, Ezekiel Elliott, melhor running back da temporada em jardas conquistadas, praticamente um ônibus em alta velocidade pra cima das defesas.

 

[[{"type":"media","view_mode":"media_large","fid":"2194","attributes":{"class":"media-image size-full wp-image-8672","typeof":"foaf:Image","style":"","width":"3667","height":"2445","alt":""}}]]

 

Por ter uma defesa mais sólida e jogar em casa, os Cowboys levam um mínimo favoritismo, pois do outro lado tem um time que, apesar de ter perdido grandes peças da temporada passada para esta, mostrou um sistema de jogo competente, definido por Pete Carroll, uma defesa que foi se ajustando ao longo das rodadas, um ataque que tem o melhor jogo corrido da liga e é liderado por Russell Wilson, o quarterback mais talentoso de sua geração, atleta completo que une a facilidade de movimentação no pocket com a precisão nos lançamentos, mas principalmente, uma equipe que tem um coração gigante, que vibra dentro de campo como poucas.
Outra partida de difícil palpite, que deve ser decidida com muita emoção.

Já no domingo, a rodada começa às 16h05, com o confronto entre Baltimore Ravens e Los Angeles Chargers, direto do M&T Bank Stadium, casa dos corvos. Os Ravens tiveram uma reta final de temporada regular irretocável, baseando seu jogo em um sistema defensivo espetacular, o melhor da liga em jardas cedidas, e um ataque que mudou completamente sua forma de jogar, após a contusão de Joe Flacco, que mesmo recuperado, está amargando a reserva de Lamar Jackson. A mudança ocorreu na prioridade das jogadas, se antes com Flacco era tudo previsível, com Jackson as ameaças são muito maiores com read options, corridas com vários jogadores (segundo em jardas terrestres conquistadas), além de sobrar tempo também para o calouro arriscar passes, pois a atuação fantástica da defesa, dá mais relógio para o ataque em campo. O ataque livre, leve e solto, surpreendeu todos os adversários e deu um novo ânimo para os torcedores de Baltimore, que jogaram junto com o time e ajudaram na dramática conquista de AFC Norte.

 

[[{"type":"media","view_mode":"media_large","fid":"2195","attributes":{"class":"media-image size-full wp-image-8673","typeof":"foaf:Image","style":"","width":"3434","height":"2467","alt":""}}]]

 

O adversário dos Ravens, teve uma campanha sensacional de 12 vitórias e 4 derrotas, segunda melhor da AFC, perdendo apenas nos critérios de desempate para o rival de divisão, Kansas City Chiefs. O azar, já característico da franquia, fez com que mesmo com essa ótima campanha, o time não tivesse o mando de campo na pós-temporada. Porém, isso não desabona a equipe na partida contra Baltimore, pois os Chargers não perderam nenhuma partida fora de Los Angeles nesta temporada (a única derrota fora de casa foi contra o LA Rams). O LA Chargers é um time completo, competente na defesa e no ataque, não está entre os cinco melhores da liga em nenhum dos principais quesitos, mas está entre os 10 na maioria deles. Phillip Rivers tem ótima química com seus recebedores, lançou para 4.308 jardas e 32 TDs e, por terra, Melvin Gordon é uma ameaça real. Por isso, o duelo entre ataque e defesa deve ser fantástico.
Todos os jogos são de prognóstico dificílimo, mas pra mim esse é o mais complicado de prever.

Para finalizar a rodada, ainda no domingo, vamos começar a conhecer o último semifinalista da conferência nacional, a partir das 19h40, direto do Soldier Field, onde o Chicago Bears vai receber o Philadelphia Eagles. Os Eagles e, principalmente, Nick Foles, viveram um conto de fadas na reta final da temporada, os atuais campeões estavam desacreditados, iniciaram sua trajetória com muitos altos e baixos e repleta de contusões. Na semana 14, foram derrotados pelo Dallas Cowboys e, praticamente, deram adeus ao sonho do bicampeonato. Mas Philadelphia, tem o seu "Santo Expedito" particular, aquele das causa impossíveis, o nome dele é Nick Foles. O QB liderou o time nas vitórias diante de adversários duríssimos como Rams e Texans, para chegar com chances de classificação contra os Redskins. A equipe venceu com facilidade e contou com a ajuda do adversário do próximo domingo, o Chicago Bears, que derrotou o Minnesota Vikings, para comemorar sua classificação. Assim como nos últimos playoffs, os Eagles entram como azarões, mas possuem boas peças em praticamente todas as posições e contam com seu talismã, Nick Foles.

 

[[{"type":"media","view_mode":"media_large","fid":"2196","attributes":{"class":"media-image size-full wp-image-8674 aligncenter","typeof":"foaf:Image","style":"","width":"2048","height":"1365","alt":""}}]]

 

O Chicago Bears é favorito para a partida, talvez o maior entre os quarto jogos do próximo fim de semana. O time tem a melhor defesa da NFC, liderada por Khalil Mack, que mudou a mentalidade da equipe, a forma como os adversários enxergam os Bears e fez os companheiros evoluírem assustadoramente. O time é o líder em interceptações e tem dois jogadores entre os cinco que mais interceptaram passes na temporada, Eddie Jackson com seis e Kyle Fuller, o melhor no quesito com sete, empatado com Xavien Howard, dos Dolphins, e Damontae Kazee, dos Falcons. O time não é só defesa, e se Mitchell Trubisky não é totalmente confiável, a dupla de running backs, Jordan Howard e Tarik Cohen, é uma das minhas preferidas na liga, pois dá uma dinâmica interessantíssima ao ataque, é difícil prever as jogadas. Todos esses pontos importantes devem  ser creditados também a Matt Nagy, um técnico que soube aproveitar o que tem de melhor e formou um timaço com vários jogadores desacreditados.
Bears e Eagles devem fechar o domingo com chave de ouro, pode esperar jogadas espetaculares e turnovers dos dois lados, ou seja, emoção!