Conteúdo
×

Error message

  • Image resize threshold of 10 remote images has been reached. Please use fewer remote images.
  • Notice: Trying to access array offset on value of type bool in imagecache_token_tokens() (line 179 of /home/playmakerbr/playmakerbrasil.com.br/sites/all/modules/contrib/imagecache_token/imagecache_token.tokens.inc).
  • Notice: Trying to access array offset on value of type bool in imagecache_token_tokens() (line 183 of /home/playmakerbr/playmakerbrasil.com.br/sites/all/modules/contrib/imagecache_token/imagecache_token.tokens.inc).
  • Notice: Trying to access array offset on value of type bool in imagecache_token_tokens() (line 179 of /home/playmakerbr/playmakerbrasil.com.br/sites/all/modules/contrib/imagecache_token/imagecache_token.tokens.inc).
  • Notice: Trying to access array offset on value of type bool in imagecache_token_tokens() (line 183 of /home/playmakerbr/playmakerbrasil.com.br/sites/all/modules/contrib/imagecache_token/imagecache_token.tokens.inc).

Com 14 jogos, a NBA teve uma rodada mágica de Dia de Ação de Graças, confira os resultados e análises dos confrontos! Parte 1.

23 de novembro de 2017

(por Jefferson Castanheira)

Já que é dia de ação de graças, que tal começarmos agradecendo a NBA e as forças do basquete por essas partidas magníficas? Em uma quarta-feira iluminada, jogos magistrais com muita rivalidade, desempenho, equilíbrio, raça, sangue e suor abrilhantaram a véspera do feriado americano. Inclusive, nesta quinta dia 23, a NBA não tem jogos marcados devido a data comemorativa. Dividimos as análises em duas partes, devido ao número grande de duelos, assim tornando sua leitura mais dinâmica e informativa.
Vamos para a primeira parte de nossa análise diária!

Washington Wizards 124 x 129 Charlotte Hornets

Não é piegas dizer que ontem foi um dia mágico. Teve até Dwight Howard voltando no tempo de boas atuações na época de #12 do Orlando Magic, e a prova disso foram seus 26 pontos e 13 rebotes, na vitória na prorrogação contra o Washington Wizards, visitante da noite. John Wall, que também teve um desempenho brilhante com seus 31 pontos e 11 assistências, não conseguiu segurar o potente ataque dos Hornets, que também contou com mais uma boa presença de seu armador Kemba Walker, com 24 pontos. Uma partida que foi equilibrada o tempo inteiro, com poderios ofensivos se destacando e muitos acertos. Venceu aquele que acertou mais, e ontem, Charlotte estava longe da palavra “erro”. Melhor partida das vespas na temporada até então.

Brooklyn Nets 109 x 119 Cleveland Cavaliers

LeBron James parecia estar cochilando o jogo todo, apenas jogando com baixa capacidade e controlando a partida. Mas os Nets de Rondae Hollis-Jefferson (20pts) assumiu a liderança no terceiro quarto após os Cavs liderarem todo o restante. Diante desse fator, LeBron simplesmente ligou o turbo voltando do intervalo, entre o terceiro e último quarto, pontuando 23 de seus 33 pontos da noite apenas nos últimos 12 minutos, sendo que 18 deles foram seguidos. E seguindo a magia da noite, vimos novamente Dwyane Wade e LeBron James jogando juntos de modo crucial pra partida, em assistências, em visão de jogo e presença de quadra. Wade fez 18 pontos e cedeu 5 assistências vindo do banco, ajudando os Cavs a retornar ao posto de líder da partida e voltar a controlar a vantagem. Excelente vitória dos Cavaliers, emplacando a sexta seguida.

Portland Trail Blazers 81 x 101 Philadelphia 76ers

Mais uma noite daquelas de Joel Embiid. O pivô monstruoso dos 76ers ajudou a franquia dona da casa a liderar a partida toda com extrema tranquilidade e sem sustos, mesmo com noite boa do tão decisivo Damian Lillard (30 pts). Mas ficou só nisso mesmo para Lillard, que praticamente jogou sozinho pelos Blazers, em péssima noite de CJ McCollum, que apenas converteu 7% dos arremessos tentados. Embiid liderou os 76ers para a vitória em casa, com 28 pontos e 12 rebotes, seguido do grande destaque, rookie do ano, Bem Simmons, com 16 pontos, 8 rebotes e 9 assistências.

 Los Angeles Clippers 116 x 103 Atlanta Hawks

Os Hawks, time de pior campanha da NBA, com apenas 3 vitórias na temporada, receberam o Los Angeles Clippers com a esperança de vencer o time visitante, já que o LAC também vem tendo um desempenho bastante irregular. Mas quem disse que a dupla de bigmans da Lob City deixou isso acontecer? Blake Griffin com um sonoro triple-double de 26 pontos, 10 rebotes e 10 assistências, com seu sidekick DeAndre Jordan também fazendo uma ótima partida com um double-double de 14 pontos e 16 rebotes, dominaram o jogo e conseguiram segurar a reação dos Hawks, que veio na metade do terceiro quarto, liderada por Marco Bellineli, vindo do banco, com 20 pontos anotados. Mas Lou Williams, o ala-armador dos Clippers, devolveu a reação com muita ação, ajudando a conter a rebeldia dos Hawks, com 20 pontos anotados.

Boston Celtics 98 x 104 Miami Heat

Boston passou o carro praticamente na metade da liga, até mesmo no atual campeão Golden State Warriors, mas quem parou a sequência de 16 vitórias consecutivas do maior campeão da liga, foi um rival já bem conhecido da franquia.
Visitando o Miami Heat na American Airlines Arena, os Celtics foram surpreendidos por um Heat que talvez tenha feito sua melhor partida desde o fim da era D-Wade. Podemos dizer isso graças ao sistema defensivo da equipe da Flórida, que sufocou o potente lado ofensivo do Boston Celtics nos arremessos e esteve muito ligado na leitura das jogadas de Kyrie Irving, que teve uma atuação ainda boa com seus 23 pontos anotados. Al Horford batalhou no garrafão de Hassan Whiteside, que cada vez mais é visto como uma peça imprescindível para Miami, com uma marcação colada e equilibrada, não deixando uma das principais armas celtas livre. A vitória do Miami Heat, que só foi ameaçada nos quatro primeiros minutos da partida, único momento de liderança de Boston, e no fim do confronto, quando os Celtics tentaram reverter a diferença de 18 pontos. Veio nas mãos de Dion Waiters com 26 pontos e 6 assistências e também do MVP da Euroleague, Goran Dragic, com 27 pontos e 5 rebotes, a belíssima vitória do Heat, que deveria manter o foco e a movimentação de bola como principais fatores para as conquistas.

Toronto Raptors 100 x 108 New York Knicks

Podemos resumir a vitória do Knicks com as palavras “persistência” e “superação”. Mas também outra: “Milagre”. Às vezes parece que Tim Hardaway Jr vem com alguma espécie de cósmica energética brilhante, outras ele parece tão útil quanto asas num submarino. Mas ontem, foi o primeiro caso. Jogando como um All-Star, Hardaway fez 38 pontos para os Knicks, que ficaram atrás do placar durante toda a primeira metade da partida, mas com a união de seus poderes e de Porzingis (22pts, 12 rbs), NY superou a vantagem construída da equipe canadense de Kyle Lowry (25pts, 10rbs) no terceiro quarto, e nunca mais saiu da liderança, com poderio ofensivo muito incisivo e defesa sufocante, atrapalhando o plano dos visitantes de invadirem a ceia de Thanksgiving e roubarem o peru.

Denver Nuggets 95 x 125 Houston Rockets

Blowout é pouco. Os Rockets chegaram a liderar a partida por sonoros 48 PONTOS!!! E o estrago só não foi maior, porque como diria Galvão Bueno, virou passeio e os Rockets tiraram o pé. E se você pensa que o grande destaque foi Harden (21 pts, 8 rbs, 9 ast), você até que está certo, afinal, foi quase uma partida de triple-double do grande barba. Mas Trevor Ariza ofuscou um pouco o destaque único para Harden, conseguindo 25 pontos para Houston, sendo o líder do quesito no jogo, em que o esforço do ala Will Barton dos Nuggets, com 20 pontos, acabou em vão. A terceira vitória seguida do Houston Rockets, que agora lidera a Conferência Oeste, foi com requintes de crueldade.