Conteúdo

Saiba como Celtics e Rockets saíram vitoriosos nas partidas de ontem (16/11)

17 de novembro de 2017

(por George Cruz)

Nesta quinta tivemos na NBA dois jogos, o primeiro e mais aguardado da noite, onde o líder de conferência e dono da melhor sequência de vitórias (treze), Boston Celtics, recebeu o líder do Oeste, Golden State Warriors.
No outro embate o Phoenix Suns recebeu o Houston Rockets, que desde a estreia não contava com o principal reforço para a temporada, o veterano armador Chris Paul.

(11-4) Golden State Warriors 88 x 92 (14-2) Boston Celtics

Se você esperava um jogo com pontuação alta, jogadas plásticas, shows de habilidade de dois dos melhores armadores da NBA, eu e você nos enganamos. Em partida marcada pela forte defesa das duas equipes, apesar de em certo momento o time de Oakland abrir 17 pontos, os Celtics conseguiram cortar a diferença para apenas cinco pontos e foram para o intervalo com o placar bem baixo, com a diferença em cinco pontos (47 a 42 para os Warriors).
O ponto alto do primeiro tempo foram duas enterradas de Jaylen Brown ainda no quarto inicial. Na etapa inicial, vale ressaltar também o baixíssimo número de bolas convertidas de três pontos por parte de cada time, ambos não conseguiram atingir nem a marca dos 30% (o aproveitamento dos visitantes foi um pouco melhor com 28,6% enquanto o time de Boston com 21,1%).

Na volta do intervalo, o Golden State entrou mais ligado e abriu uma boa margem até Stephen Curry cometer a quarta falta e ter que ficar um bom tempo no banco, dando espaço para a entrada de Shaun Livingston. Após esse momento, o time começou a perder desempenho e não conseguia mais pontuar. Depois de cometer cinco erros de ataque e desperdiçar mais de 4 arremessos, os atuais campeões perderam a liderança.

No período final o jogo estava parelho e os times seguiam trocando cestas, Curry que estava até então apagado, mandou uma bola de três e colocou o GSW na frente por 81 a 77, mas foi aí que brilhou a estrela de Kyrie, chamando a responsabilidade para recolocar o Celtics no jogo, anotando os próximos quatro pontos e empatando a partida.

Faltando menos de dois minutos para o fim e com dois rebotes ofensivos monstruosos de Green, Thompson recoloca o Warriors na frente por 88 a 86. Só que Irving, mais uma vez, colocou a bola debaixo do braço e só foi parado com falta. Após bater os dois lances livres deixou tudo igual, restando 14 segundos para o fim da partida. Aí que apareceu o lance mais controverso do confronto, após erro do ataque dos visitantes, Irving forçou o contato e pediu falta, a arbitragem marcou e ele foi para a linha de lances livres e acertou os dois, colocando o Celtics com 90 e deixando o Warriors em desvantagem, com pouco menos de sete segundos no relógio. Durant arremessou da zona morta e acabou errando, Horford pegou o rebote e passou para Tatum, que sofreu a falta e acertou os dois lances livres, dando números finais para a partida.

Como destaques temos os 22 pontos e 7 rebotes de Jaylen Brown, sem contar que defendeu muito o perímetro e Kevin Durant, por parte do Warriors, que anotou 24 pontos e terminou como o cestinha da partida.
Quem decepcionou? Com certeza os Splash Brothers, que combinaram para apenas 32 pontos e tiveram um aproveitamento para menos de 25% para três pontos e, de certa forma, Kyrie Irving, que até o término do terceiro período estava com 9 pontos.

 (12-4) Houston Rockets 142 x 116 Phoenix Suns (5-11)

Se no primeiro jogo da noite quem ditou o ritmo foi a defesa, não podemos falar o mesmo da segunda partida, onde no estado do Arizona, vimos um festival de pontos dos comandados do Barba, que alcançaram a incrível marca de noventa, isso mesmo NOVENTA pontos antes do intervalo e um aproveitamento de 61% nos arremessos.

Nos primeiros minutos o placar esteve bem próximo, mas quem dava as ordens eram os visitantes, pois com várias cestas certeiras de longa distância e insucessos do Phoenix, foram aumentando a vantagem a ponto de terminarem o primeiro quarto na frente por 45 a 23.
Os Rockets continuaram com a mesma pegada e anotaram mais 45 pontos, porém a defesa não foi a mesma, levando 42 pontos. Os times foram para o intervalo com 90 a 65 para os visitantes e James Harden, que no final do período fez um belo eurostep pra cima de Greg Monroe, foi responsável por 33 pontos.

Na volta do break o ritmo teve uma leve queda, mas com Houston com a bola de três calibrada, seguiu a frente do placar e não deu nenhuma chance para o jovem time do Suns chegar perto do placar.

No último quarto com os times já recheados de reservas, a equipe da casa ganhou por 25 a 22, o que não adiantou muito, pois o massacre estava desde o intervalo desenhando o placar final, que terminou em 142 a 116. O que impressionou foi que sete jogadores do time de Houston terminaram com 10 ou mais pontos. Os Rockets anotaram 21 bolas de três pontos com um aproveitamento total de 47,7% (47,8% nos arremessos de dentro do garrafão).
Como destaques temos Harden com os 33 pontos antes do intervalo (terminou a partida com 48 e 7 assistências) e Chris Paul voltando de lesão, e com apenas 20 minutos em quadra, chegando a um duplo-duplo com 11 pontos e 10 assistências.

Por parte do Phoenix Suns, Greg Monroe foi quem se destacou. O pivô do time do Arizona contribuiu com 20 pontos e 11 rebotes. O outro destaque, que não é surpresa nenhuma para os torcedores, foi Devin Booker, que anotou outro DD com 18 pontos e 10 assistências.