April 10, 2020

Barry Bonds, uma estrela ofuscada

(por Rodrigo Mota)

 

Estamos vivendo um momento sem esportes infelizmente. As manifestações do Coronavírus fizeram o mundo dos esportes dar uma pausa em 2020. Não há nem argumentação, quando se fala sobre a saúde.

Agora, mais do que nunca, temos a oportunidade de falar sobre o que não está acontecendo dentro dos campos ou quadras. Por isso, falaremos sobre um ídolo do passado, ou devo dizer vilão? Vamos falar de Barry Bonds!

Veio a público na semana passada que Bonds disse que a MLB deu a ele uma sentença de morte. Mesmo sendo um dos mais dominantes jogadores de beisebol de todos os tempos, o grande astro acredita que a liga majoritária do esporte que praticou está sendo dura demais com ele. “Meu coração está partido, realmente partido.” O ex-jogador dos Giants disse ao descobrir que pelo oitavo ano seguido não conseguiu a porcentagem de votos necessária para entrar no Hall da fama do beisebol, apesar de ser o detentor do recorde de home runs da MLB. Ele ainda acrescentou: “Se eles não me querem lá, só digam que não me querem e acabem logo com isso”.

Além de deter o recorde de home runs, Bonds tem números invejáveis e que o fazem como um dos melhores jogadores de todos os tempos. Bonds foi 14 vezes ao All-Star Game, além de receber oito vezes o Golden Glove e ser nomeado sete vezes o MVP da liga. Mas, o grande empecilho para Barry Bonds não está no que ele fez  dentro de campo. Apesar dos números astronômicos, o que tem um peso muito grande no reconhecimento de Bonds são os esteroides. Sim, Barry Bonds foi jogador da “steroids era” na MLB, onde muitos atletas inclusive confirmaram o uso dos compostos químicos para aumento de rendimento. A MLB oficialmente baniu o uso de drogas para melhorar performance em 1991, porém, os testes para os jogadores da MLB não se iniciaram até 2003, ou seja, desde do final dos anos 80 até 2003, a fiscalização sobre o uso ou não das drogas era muito superficial e acredita-se que cerca de 80% dos jogadores da liga usavam esteroides nesta época. Até por uma questão de sobrevivência, Bonds entrou no barco e também admitiu ter usado as drogas para se manter em sua melhor forma.

Os números de Barry, caíram em 1999 e quando parecia que a carreira do jogador de 35 anos estava se aproximando do fim, em 2000 Bonds viu seus números aumentarem novamente. Os anos seguintes foram ainda melhores o que não acabou levantando tantas suspeitas, porém, em 2003, após seu personal trainer ser investigado por fornecer esteroides a atletas, os pontos se ligaram quando foi observado crescimento de massa muscular no corpo de Bonds além de aumento na força da sua tacada de 1999 em diante, apesar de avançar na idade.

 

 

Mesmo com esses fatos, uma coisa é certa: Barry Bonds é um dos melhores jogadores da história. No seu trabalho e em sua época, ele foi o melhor no que fazia. Alguns números são impressionantes, como o 500-500 (514 bases roubadas e 762 home runs) o primeiro a chegar nesta casa e quem sabe o único.

Bonds tinha uma combinação marcante de força e velocidade que talvez nenhum jogador da MLB teve. Apesar de muitos não darem tanta atenção a sua defesa, Bonds ainda venceu o Golden Glove oito vezes. Por ser este tipo de jogador, a MLB talvez não tenha visto um jogador tão completo como Bonds até hoje. Sem contar nas suas rebatidas, ninguém foi mais dominante no taco quanto a estrela dos Pirates e Giants.

Com essa mistura de brilhantismo e escândalo, o que Bonds realizou dentro do campo foi marcante e o que fez fora também foi. Apesar de ter tido seu número aposentado pelos Giants e estar presente como instrutor no Spring Training da MLB, Bonds não foi completamente exilado do beisebol, mas ficou claro que a falta de reconhecimento da liga feriu seus sentimentos. E aqui fica a pergunta: qual é o reconhecimento que Barry Bonds merece?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.