April 10, 2020

Westbrook decide contra os Celtics, Grizzlies surpreendem Lakers, Heat se recupera, Spurs ressurgem e mais

(por Matheus Correia e Vinícius Freitas)

 

Confira como foi o sábado da NBA:

 

Houston Rockets 111–110 Boston Celtics

As duas equipes não precisavam nem entrar em quadra para sabermos que seria um excelente confronto. O small ball de Houston já tinha levado vantagem sobre os Celtics uma vez nesta temporada e, pelo visto, a franquia de Boston parece ainda não ter encontrado a fórmula para superar o estilo de jogo dos Rockets.

O primeiro quarto foi de domínio dos mandantes, que comandados por Marcus Smart (10 pontos no período), contaram com um início fraco de Houston (36% de aproveitamento nos arremessos) para abrir uma boa vantagem de 10 pontos no placar.

No segundo período, a boa forma ofensiva de Boston continuou, desta vez explorando mais os arremessos de três pontos. Russell Westbrook teve atuação fantástica no primeiro tempo, com 20 pontos, sendo 11 deles no segundo período, mas não adiantou muito já que os celtas aumentaram a diferença para 17 pontos.

Na volta do intervalo, os Rockets começaram a encaixar o plano de jogo. Só no terceiro quarto a equipe distribuiu mais assistências do que no primeiro tempo inteiro (5 no primeiro tempo, 8 no terceiro quarto), a bola era bem movimentada, a transição era rápida e a reação de Houston na partida aconteceu. A franquia texana teve quase 60% de aproveitamento nos arremessos, contra 33% de Boston. O banco da equipe da casa não conseguiu oferecer o mínimo de volume ofensivo, e os visitantes viraram o placar no final do período.

No último quarto, Westbrook manteve a engrenagem de Houston funcionando, mas James Harden encontrou dificuldades em pontuar, ficando zerado nos últimos 8 minutos da partida. Marcus Smart e Jayson Tatum combinaram para 20 pontos no quarto, e Boston tentou se manter no jogo até os últimos minutos. Nos segundos finais do confronto, os Rockets lideravam por três pontos (101-104). A posse era dos Celtics e Tatum estava na linha de lance livre. O ala errou o primeiro arremesso, fazendo com que a partida ficasse pendente de uma bola de três para ir à prorrogação. Tatum errou o segundo arremesso propositalmente, os Celtics pegaram o rebote e a bola acabou sobrando para Jaylen Brown anotar um arremesso espírita de três pontos no estouro do cronômetro.

No tempo-extra, Houston conseguiu se defender melhor, forçando um turnover de Marcus Smart com 30 segundos restantes no relógio, que praticamente selou o a vitória para os visitantes. Westbrook foi o grande destaque da partida com 41 pontos, 8 rebotes e 5 assistências. Harden (21 pontos, 4 rebotes e 8 assistências) e Robert Covington (16 pontos e 16 rebotes) também foram essenciais para a vitória. Por Boston, Tatum novamente se destacou com 32 pontos, além de 13 rebotes e 5 assistências. Jaylen Brown (22 pontos) e Marcus Smart (26 pontos e 7 assistências) também tiveram boas atuações.

 

Los Angeles Lakers 88 – 105 Memphis Grizzlies

 

 

Os anfitriões dominaram a partida desde o começo, indo muito bem nas jogadas de infiltração, com grande desempenho da dupla Ja Morant (27pts, 14ast) e Jonas Valanciunas (22pts, 20reb), que foram um pesadelo para a perdida defesa dos Lakers na noite. Dillon Brooks (24pts, mas com 37% nos arremessos) foi outro nome importante do time no jogo, anotando pontos importantes do perímetro quando a dupla Morant/Valanciunas era bem marcada.

Os Lakers foram muito mal ofensivamente, e até mesmo seus principais jogadores, LeBron James (19pts, 10ast) e Anthony Davis (15pts, 9reb) tiveram um rendimento muito abaixo de suas médias.

Os visitantes terminaram o confronto com apenas 41% de acerto nos arremessos e não conseguiram igualar o jogo de infiltração e garrafão com a inspirada equipe dos Grizzlies na noite, amargando não só a derrota, mas também uma surra tática que perdurou durante todo o duelo.

 

Portland Trail Blazers 117-129 Atlanta Hawks

Apesar da boa atuação de CJ McCollum, os Blazers sucumbiram para a jovem equipe de Atlanta. Os mandantes tiveram um lento início na partida, graças à forte marcação de Portland em cima de Trae Young. Os visitantes exploraram a fraca defesa debaixo da cesta de Atlanta para pontuar, chegando a abrir 9 pontos de vantagem no primeiro tempo. A marcação em Trae Young funcionou, mas a habilidade de playmaker do armador foi um dos fatores que garantiram a reação dos Hawks em quadra. Young anotou 25 pontos em um aproveitamento de 39% nos arremessos, mas distribuiu 15 assistências.

John Collins (24 pontos e 10 rebotes), De’Andre Hunter (22 pontos e 4 rebotes) e Kevin Huerter (19 pontos e 8 assistências) não decepcionaram no ataque, com isso, Atlanta dominou o placar no segundo tempo. Sem Lillard, Portland busca protagonismo em McCollum, que cumpriu seu papel anotando 35 pontos, 5 rebotes e 5 assistências. Hassan Whiteside também teve boa atuação com 21 pontos e 13 rebotes.

A partida ficou marcada por uma cena entre Trae Young e Trevor Ariza, dos Blazers. Trae tentou driblar Ariza jogando a bola entre suas pernas, mas o ala de Portland não ficou nem um pouco feliz com a jogada e impediu a passagem do armador dando um empurrão. No final da partida, ambos se cumprimentaram e parecem ter resolvido o problema.

 

Chicago Bulls 115–125 New York Knicks

Com uma grande atuação ofensiva na primeira metade do jogo, vencendo por 66-53, os Knicks administraram a vantagem e venceram o duelo das equipes mais mal administradas da liga.

Os Knicks dominaram o garrafão, terminando a partida com 50 rebotes, (os Bulls contabilizaram apenas 33) e também tendo um bom aproveitamento nas bolas de fora, com 40% (8/20). Os pivôs Mitchell Robinson (23pts, 10reb), Julius Randle (22pts, 10reb) e Taj Gibson (17pts, 8reb) foram os cestinhas dos Knicks, mostrando o quão dominante a equipe foi na zona pintada.

Os visitantes, apesar de esboçarem uma reação no terceiro período, vencendo por 33-23, iam muito mal na defesa e não conseguiam pontuar dentro do garrafão. Mesmo terminando a partida com 48% (17/35) de eficiência nas bolas de 3, finalizaram a noite com mais uma derrota na temporada. Zach LaVine (26pts, 7ast), Coby White (22pts) e Thaddeus Young (15pts, 5 roubos de bola) foram os cestinhas dos Bulls no embate.

 

Brooklyn Nets 113-116 Miami Heat 

 

 

Com um final de partida catastrófico os Nets perderam para o Heat em Miami. Após um tenebroso mês de fevereiro, a equipe de South Beach finalmente parece ter retomado à boa forma, com uma bela atuação contra Brooklyn apesar do susto no final. Os mandantes lideraram a maior parte do confronto, com Kendrick Nunn (21 pontos) sendo cirúrgico nos arremessos de meia distância e Goran Dragic suprindo a artilharia da equipe com 19 pontos e 10 assistências saindo do banco.

Os Nets tiveram Joe Harris (20 pontos e 4 rebotes) e Spencer Dinwiddie (25 pontos, 4 rebotes e 12 assistências) como destaques. Dinwiddie, entretanto, proporcionou o que foi provavelmente a cena mais bizarra da rodada. Brooklyn conseguiu reagir nos minutos finais da partida, e com 6 segundos restantes no relógio e um placar de 115–113 favorecendo Miami, a bola estava nas mãos do armador. Dinwiddie não só segurou a bola por muito tempo como realizou um passe horrível para Wilson Chandler, que passou longe de atingir o alvo, indo para a arquibancada. Uma jogada no melhor estilo JR Smith, mas pra sermos justos, se não fosse Dinwiddie, os Nets não estariam por uma bola no final da partida.

 

Indiana Pacers 113–104 Cleveland Cavaliers

Com um duelo bastante equilibrado em todos os setores durante quase todo o jogo, os Pacers conseguiram uma pequena vantagem faltando pouco mais de um minuto para o final, e conquistaram uma importante vitória.

Os Cavs eram mais efetivos no garrafão, onde contaram com grandes atuações de Andre Drummond (27pts, 13reb, 4stl) e Kevin Love (20pts, 12reb, 7ast), porém, nas jogadas de perímetro, a equipe ia muito mal, tendo apenas 22% (5/22) de acerto nas bolas de 3 pontos e com grandes dificuldades para vencer a boa marcação dos Pacers. Collin Sexton (16pts) e Kevin Porter Jr. (14pts) eram os que conseguiam ter um pouco de êxito, mas mesmo assim ambos tiveram aproveitamentos abaixo dos 50% nos arremessos (43% e 38% respectivamente).

Os visitantes, apesar de contarem com grande atuação de Myles Turner (10pts, 10reb, 4blk) defensivamente, tiveram dificuldades para anular as jogadas de garrafão dos Cavs, mas equilibraram o duelo nas jogadas pick’n’roll e nos arremessos de média e longa distância, sendo esse o fator que definiu a vantagem no final do embate e garantiu a vitória. T.J. Warren (30pts, 6ast), Malcolm Brogdon (22pts, 8ast), Victor Oladipo (19pts) e Domantas Sabonis (18pts, 13reb, 9ast) foram os destaques dos visitantes no jogo.

 

Golden State Warriors 115 – 99 Phoenix Suns

Apesar de começar o jogo muito bem, fazendo 41-28 no primeiro quarto, os Suns não conseguiram manter o nível de eficiência e aos poucos a equipe visitante foi revertendo a diferença até tomar a liderança do placar. Apesar do ótimo aproveitamento nos arremessos de 3 pontos, onde teve 41% de eficiência (12/29), a franquia do Arizona fez apenas 34 pontos depois do intervalo, (16 no 3º período e 18 no último), terminando a partida com 19 erros também e, apesar das boas atuações de Devin Booker (21pts), mas apenas 37% nos arremessos), e DeAndre Ayton (20pts, 9reb, 2blk), a equipe não conseguiu manter o ótimo desempenho do primeiro quarto e acabou sofrendo mais uma derrota na temporada.

Os Warriors, apesar do susto no começo, conseguiram manter a calma e fizeram um bom jogo coletivo, mantendo o mesmo nível de eficiência ofensiva durante todo o duelo e  anulando as jogadas de garrafão dos anfitriões, com o controle do jogo depois do intervalo para conquistar a vitória, que apesar de não mudar nada nas pretensões da equipe na temporada, mostra que o elenco pode ter peças para serem aproveitadas futuramente. Eric Paschall (25pts), Damion Lee (20pts, 8ast) e Andrew Wiggins (17pts, 7reb, 5ast) foram os principais destaques do Golden State na partida.

 

Orlando Magic 113-114 San Antonio Spurs

 

 

Com susto no último quarto, os Spurs venceram Orlando e continuam vivos na disputa pelos playoffs. A equipe de San Antonio dominou a maior parte do confronto, mas sofreu a reação no último período.

A franquia da Flórida foi espetacular ofensivamente nos últimos 12 minutos, com um aproveitamento de 60% nos arremessos. O time chegou a virar o placar, mas Bryn Forbes e DeMar DeRozan selaram a vitória para a equipe da casa no final.

Foram 7 jogadores com dígitos duplos de pontuação para os Spurs, sendo os destaques entre eles Trey Lyles (20 pontos e 9 rebotes), Rudy Gay (19 pontos, 6 rebotes e 4 assistências) e DeRozan (16 pontos e 9 assistências).

Por Orlando, Evan Fournier (23 pontos e 5 assistências) e Terrence Ross (21 pontos e 4 rebotes) foram os principais nomes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.