February 19, 2020

No melhor jogo da temporada até aqui, Celtics vencem Clippers em duas prorrogações com show de Tatum

(por Eduardo Schachnik)

 

Senhoras e senhores, apresento-lhes o melhor jogo da temporada até o momento. Esqueçam os Lakers, nessa temporada a rivalidade de Boston é com o outro time de Los Angeles. As equipes se enfrentaram duas vezes até aqui e ambas as partidas foram resolvidas na prorrogação, dessa vez foram necessárias duas delas.

O palco estava montado, cada time ocupava a 3ª posição em sua conferência com o mesmo número de vitórias e tinha até alerta de “lei do ex” em dobro: Doc Rivers, técnico dos Clippers foi o último treinador a dar um título ao Celtics e Marcus Morris, recém-adquirido pela franquia californiana, era peça fundamental dos Celtics no ano passado. Até nas ausências os times se equilibravam: Boston não pôde utilizar Jaylen Brown (panturrilha) e L.A. novamente não contou com Pat Beverly (virilha). Vamos ao espetáculo.

A primeira metade do jogo foi muito equilibrada, no entanto os Clippers sofreram uma perda importante no começo do 2º quarto quando Paul George sentiu a posterior e saiu do jogo para não mais retornar.

Independentemente da ausência de PG, os Celtics começaram melhor o 3º período, girando bem a bola e cansando os Clippers, que voltaram “desligados” do vestiário. Os dois All-Stars de Boston aproveitaram para dar um aperitivo do que vem no fim de semana: primeiro Kemba Walker com uma assistência surreal debaixo da cesta até a linha de 3 pontos e depois Tatum com uma enterrada digna de pôster.

Com Kawhi no banco, coube a Lou Williams manter os visitantes no jogo. No início do 4º período o armador finalizou 8 dos 11 ataques do seu time, marcando os primeiros 8 pontos dos Clippers no quarto.

Nesse momento a arbitragem merece ser destacada. Provavelmente foi a atuação mais criteriosa dos árbitros na história recente da liga. Muitas “andadas” que nunca são assinaladas foram marcadas, não de forma injusta, apenas surpreendente para os padrões “desleixados” da NBA. Tatum e Kemba tiveram violações marcadas durante uma má sequência do Boston, logo depois foram Harrell e Kawhi que desperdiçaram ataques com violações, de forma que nenhuma equipe pode se dizer prejudicada.

A interferência da arbitragem não foi crucial e o jogo pegou fogo por si. No minuto final Montrezl Harrell deu um tocaço em Daniel Theiss e na sequência Marcus Morris buscou um rebote ofensivo, se posicionou e matou uma bola de 3 para empatar o jogo, sem qualquer pena do seu ex-time. Os Celtics sequer tiveram a chance de responder, pois no ataque seguinte Lou Williams bateu a carteira de Marcus Smart e recuperou a posse.

Com o jogo empatado os Clippers pediram tempo a 25 segundos do fim e com 17 segundos restantes de posse. A estratégia era deixar a bola com Kawhi para gastar o cronômetro e resolver, mas Kemba dobrou a marcação junto com Gordon Hayward e cavou uma falta ofensiva da estrela adversária a 10 segundos do final. O próprio Kemba fez o último arremesso, após um lindo crossover, entretanto não obteve sucesso no desempate e o jogo foi para o tempo extra.

Theiss deixou o jogo por extrapolar o limite de faltas logo no começo da prorrogação e seu substituto, Enes Kanter, se lesionou assim que entrou, de forma que os Celtics ficaram sem pivô, porém, os Clippers não souberam aproveitar a fraqueza do garrafão adversário e continuaram mandando bolas para Lou Williams, que precedia Kawhi como finalizador da equipe.

Enquanto os Clippers vacilavam no ataque, Jayson Tatum, o nome do Boston no 4º período, continuou chamando jogo na prorrogação. Após duas belas infiltrações do ala, os mandantes abriram 3 pontos de vantagem com 24 segundos para o término do duelo.

Acontece que o time de L.A. não estava a fim de deixar tudo para um último arremesso: Lou Williams recebeu a reposição de bola imprensado na zona morta, cavou falta de Hayward e ainda converteu o arremesso que seria do empate, mas os juízes marcaram, de forma polêmica, falta antes do arremesso e invalidaram a cesta. Nem deu tempo de reclamar, pois rapidamente Landry Shamet recebeu o lateral e converteu linda bola de 3, ainda que bem marcado, deixando tudo igual.

A última bola novamente era dos Celtics e dessa vez foi Tatum quem arriscou do perímetro, mas também não acertou e o jogo seguiu para a segunda prorrogação.

Os Clippers demoraram, mas usaram Harrell no garrafão de ataque, uma vez que o jogador tinha nítida vantagem contra Grant Williams, porém isso não foi suficiente. Kemba e Tatum estavam inspirados e escolheram o mesmo adversário para demonstrar suas habilidades. Coitado de Shamet, que deve estar até agora com os tornozelos no gelo. Primeiro foi Kemba que em um dos melhores crossovers da temporada mandou o marcador “comprar pão” enquanto matava uma bola de 3. Logo depois Tatum finalizou o ala adversário com outro lindo crossover e enterrada.

Ainda assim o jogo estava aberto esperando por um herói que lhe definisse. Não foi Harrell, Lou Williams, Kawhi, Tatum nem Kemba, mas Gordon Hayward quem decidiu no último minuto. Tudo começou com um belo toco sobre Lou Williams para assegurar a vantagem de 5 pontos, na sequência ele teve a calma e inteligência para perceber o vacilo dos adversários e segurar a bola, mesmo com caminho aberto para a cesta, gastando o relógio até sofrer falta com 13 segundos para o fim. Converteu os dois lances e no instante seguinte roubou o fundo bola e foi novamente para a linha, de onde acertou os dois arremessos e deu números finais à partida.

 

 

Final: Los Angeles Clippers 133 @ Boston Celtics 141

 

Tatum foi o cestinha do jogo com 39 pontos, além de 9 rebotes e mostrou como é difícil marcá-lo quando usa todo seu potencial. Marcus Smart, que começou o jogo no lugar de Brown, surpreendeu com 31 pontos (entre eles os 10 primeiros pontos do time no jogo) e fez o esperado com 4 roubos de bola. Gordon Hayward silenciosamente, na maior parte do jogo, anotou 21 pontos e pegou 13 rebotes. Kemba Walker deu um show em quadra enquanto fazia 19 pontos, 9 rebotes e 7 assistências.

Enquanto os Celtics se alegram pela ótima atuação dos titulares, os Clippers podem afirmar que possuem os melhores 6º e 7º homem da NBA em Lou Williams e Montrezl Harrell. O primeiro é uma máquina ofensiva que acabou com 35 pontos e 8 assistências, já o segundo é uma fera incansável que domina na defesa e contribui no ataque, nessa noite foram 24 pontos, 13 rebotes, 2 roubos de bola e 3 tocos. Kawhi discretamente marcou 28 pontos e pegou 11 rebotes, mas não teve a performance esperada nos momentos decisivos. Landry Shamet assumiu o espaço deixado por Paul George e marcou 19 pontos em 47 minutos de quadra.

Essa partida fechou a temporada antes do All-Star break com chave de ouro e agora as equipes terão uma semana para recuperarem seus atletas após essa desgastante batalha. Aos fãs fica o desejo de assistir, quem sabe, uma série inteira entre os dois times.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.