February 19, 2020

Com triplo-duplo de LeBron, Lakers vencem jogaço contra os Nuggets; Memphis derrota Portland em confronto direto; Pacers surpreendem Bucks e mais

(por Rafael Lima, Vanessa Monte Bello e Jefferson Castanheira)

 

Confira como foram os jogos da rodada de quarta-feira da NBA:

 

Los Angeles Lakers 120-116 Denver Nuggets

Duelo entre líder e vice-líder do oeste foi de acordo com todas as expectativas, um jogaço!

O Denver Nuggets apostou em sua principal arma que é o jogo coletivo, sem foco em um determinado jogador, porém, orquestrado por Nikola Jokic. Enquanto isso, os Lakers baseavam sua estratégia na dupla LeBron James, que jogava e fazia os companheiros jogarem, e Anthony Davis, dono do garrafão, mas também trabalhando bem fora dele.

Pelo fato de entrarem mais ligados e terem um elenco nivelado, os Nuggets começaram melhores e faziam LA sofrer na ausência de LeBron ou Davis, quando os mesmos iam para o descanso, abrindo uma vantagem de dois dígitos no início do segundo período.

A diferença em favor de Denver chegou em 13 pontos, mas uma run de 24 a 6, com participação importante de Alex Caruso, o “Carushow”, e da dupla Howard e James, fez os visitantes virarem e irem para o intervalo com 6 pontos de frente (61-55).

Os Lakers chegaram a abrir 11 pontos de vantagem no início do terceiro quarto, mas novamente sofreram quando LeBron e Davis descansavam. A dupla Jokic e Jamal Murray, pegou fogo e os anfitriões tomaram a liderança com belo trabalho de bola no ataque.

O embate foi aberto para o quarto período, com Denver uma posse na frente (3pts) e a etapa foi lá e cá o tempo todo. Os Nuggets trabalhavam mais a bola e os Lakers se aproveitavam dos benefícios de terem LeBron James e Anthony Davis a seu favor, pois os dois trabalhavam bem o isolation e o “papai Lebrão” estava bem em todos os fundamentos.

O placar era de 111 a 107 para LA faltando 1 minuto para o fim, porém, Denver se aproveitou de um erro de Davis e de jogadas certeiras de Jerami Grant e Gary Harris para levarem a partida para a prorrogação.

No tempo extra, James e Davis “colocaram a bola embaixo dos braços”, se aproveitaram dos erros e do cansaço dos Nuggets, para fazerem o LA Lakers liderar a etapa do início ao fim e conquistar o excelente resultado contra um rival direto pelo topo da conferência.

Anthony Davis foi o cestinha dos vencedores (33pts e 10reb) e LeBron James alcançou mais um triplo-duplo na carreira (32pts, 12reb e 14ast.). Por Denver, Jamal Murray (32pts e 10ast.) e Nikola Jokic (22pts, 11reb e 6ast.) foram os grandes nomes do time.

 

Portland Trail Blazers 104-111 Memphis Grizzlies

 

 

Os Grizzlies receberam os Blazers em Memphis num duelo direto pela oitava colocação da Conferência Oeste. O time da casa continuaria em oitavo independente do resultado, mas a vitória, além de dar moral, dificultaria ainda mais a vida de Portland.

O duelo começou muito equilibrado, com os visitantes tendo um bom momento no primeiro período, onde se aproveitou de um apagão da franquia do Tennessee para abrir vantagem em uma “run” de 9 a 0 liderada por CJ McCollum.

Quando o placar apontava 18 a 11 para os Trail Blazers, Taylor Jenkins pediu um tempo, organizou sua defesa, e os anfitriões simplesmente deslancharam. Com uma sequência de 20 a 9 até o final do quarto, apostando na velocidade de transição, Memphis virou o jogo e foi para o segundo período na frente.

A partir daí, os Grizzlies souberam jogar na frente do placar, trocando cestas e sempre se mantendo em uma distância segura, com um método coletivo eficiente, bom uso do banco e jogadas rápidas para pegar a defesa adversária, mais pesada, desarmada, a equipe da casa da casa venceu esse duelo importantíssimo sem sustos.

Se o decorrer do embate não estava bom, na reta final ele se tornou um pesadelo para Portland, pois Damian Lillard, o grande nome do time, sofreu uma lesão na virilha que o tirou de quadra e da All-Star Weekend. E o pior para a franquia do Oregon é que ainda não se sabe a data de retorno do astro.

Realmente foi uma noite para o torcedor dos Blazers esquecer, mas quem deve sempre irá se lembrar é Brandon Clarke, que foi o grande nome dos vencedores em quadra. Clarke saiu do banco para anotar 27 pontos e pegar 6 rebotes. Ja Morant foi bem com 20 pontos, 5 rebotes e 9 assistências.

Pelo lado de Portland, vale ressaltar os mesmos de sempre, CJ McCollum (23pts e 5ast.) e Damian Lillard (20pts, 5reb e 10ast.) enquanto esteve em quadra.

 

Washington Wizards 114-96 New York Knicks

O Washington Wizards, ainda na briga pelos Playoffs, foi até Nova Iorque enfrentar a fraca equipe dos Knicks e demonstrou sua superioridade em quadra.

No primeiro tempo a partida foi muito equilibrada, nenhum dos times conseguiu abrir grandes vantagens e o jogo de garrafão dos anfitriões foi determinante para NY ir para o intervalo em vantagem, depois de estar perdendo durante quase todo o tempo.

Se a primeira metade foi equilibrada, a segunda foi um vareio de Washington. No embalo de Bradley Beal, que arremessava muito, mas convertia também, os Wizards se aproveitaram da sua dominância defensiva para recuperar a liderança e abrir vantagem até o final.

Beal terminou sua atuação com 30 pontos, sendo o cestinha do confronto. Pelo lado dos Knicks, o principal jogador foi Julius Randle, com 21 pontos e 13 rebotes.

Atlanta Hawks 105 X 127 Cleveland Cavaliers

Os Cavaliers encerraram uma sequência de derrapadas de 12 jogos em casa e tiraram a “urucubaca” vencendo os Hawks por 127 a 105, e não foi um jogo qualquer, o time de Cleveland literalmente se divertiu em quadra e trouxe para os torcedores essa vitória!

Numa partida impecável, Tristan Thompson marcou 27 pontos e pegou 11 rebotes, Larry Nance Jr. converteu 23 pontos o que contribuiu e muito pro resultado positivo do time.

O Cleveland estava vindo com a carga pesadíssima de ter tido a pior derrota em casa da história da franquia no jogo de domingo passado contra o Los Angeles Clippers, quando perdeu de 133 a 92.

“É um vestiário feliz novamente”, afirmou John Beilein – técnico do Cavs. “Fazia muito tempo que não vivíamos essa felicidade dentro do vestiário do Rocket Mortgage Field House”.

Andre Drummond marcou 14 pontos e teve 15 rebotes. Drummond, que foi adquirido de Detroit na trade deadline, teve um duplo-duplo em ambos os jogos com o Cleveland. “Eu sei que nós não vencíamos desde o Natal. Foi bom termos chegado com tanta energia”, disse ele sobre a sequência em casa de Cleveland.

Thompson que foi o cestinha da casa, acertou três chutes de três pontos, um ponto alto na carreira do pivô, que durante a sessão matinal de treino do time participou de um concurso de arremessos de longo alcance com Nance e Drummond. “Os pivôs fazem treinos de arremessos na prática, então por que não os de longa distância? Às vezes fazemos, às vezes sentimos falta. É divertido, é uma boa competição de grandes homens” – afirmou Thompson.

O Cleveland Cavaliers perdeu 13 dos 14 pontos no total, mas avançou no meio do primeiro quarto, liderando por 23 pontos no terceiro. Atlanta reduziu a vantagem pra 9 no quarto, mas não conseguiu chegar.

Nance começou jogando no lugar de Kevin Love, que está lesionado, e teve 12 rebotes. Collin Sexton que foi incluído na lista dos Rising Stars da All-Star Weekend, fez 23 pontos.

Trae Young mais uma vez teve uma ótima marca com 27 pontos e 12 assistências para os Hawks. John Collins marcou 23 pontos e o novato Cam Raddish fez 16. Os Hawks bem que tentaram aumentar o recorde de derrotas do time da casa, mas não deu certo.

Ambas as equipes fizeram seus últimos jogos da semana antes do intervalo da liga por conta do All-Star Weekend.

Durante o jogo os Cavaliers tiveram jogadas de destaque que fizeram a multidão que estava na arena e os jogadores do banco se levantarem várias vezes, principalmente após a enxurrada de pontos de Thompson no segundo tempo, principalmente quando converteu um chute de três pontos e não contente o suficiente, ainda cravou uma bola magnífica levando todos ao delírio.

Drummond também passou driblando todos da quadra como se estivesse dançando depois de ter pego um rebote, tocou pra Darius Garland que de forma surreal passou pra Nance finalizar numa enterrada. Thompson ainda converteu mais três pontos nos minutos finais e o novato Kevin Porter Jr. marcou 18 pontos.

Para os Hawks, o central Dewayne Dedmon, que fez sua primeira partida desde que foi adquirido do Sacramento Kings em 6 de fevereiro jogou apenas 18 minutos e teve quatro faltas.

Vince Carter, provavelmente participou do seu último jogo em Cleveland, recebeu uma grande homenagem durante um vídeo que passou de sua carreira antes do segundo tempo começar. Carter acenou para o público e apontou para o banco de Cleveland onde trocou abraços com vários jogadores.

Para o técnico dos Hawks a explicação para o resultado do jogo foi bem simples e rápida – “o esforço deles foi ótimo e o nosso não”. Simples assim.

 

Detroit Pistons 112 X 116 Orlando Magic

Jogando em casa, Aaron Gordon e Markelle Fultz salvaram a pele do Orlando Magic evitando o time de entrar no All-Star com uma derrota embaraçosa.

Gordon foi o cestinha com 25 pontos e Markelle Fultz acrescentou 21 pontos quando o Magic conseguiu se recuperar e vencer o Detroit Pistons por apenas 4 pontos de diferença na prorrogação dessa quarta-feira à noite causando a quarta derrota seguida do time de Detroit.

Gordon, além dos pontos convertidos teve 9 rebotes e 9 assistências, acertou dois arremessos de 3 pontos, sendo que o segundo empatou o jogo em 103 com apenas 1:03 restantes depois que os Pistons assumiram a liderança de sete pontos.

“Nos últimos sete jogos, acho que ele fez uma média de 20 pontos (na verdade 19,6). É a melhor marca dele e seu trabalho defensivo também tem sido muito bom. É um bom sinal”, disse Steve Clifford, técnico do Magic.

Já Gordon, no final do jogo afirmou: “eu sei que quando jogo bem, o time também vai bem, é meio que certo. Mas temos um longo caminho a percorrer para sermos um time que pode vencer nos playoffs”. O que não falta ali é modéstia né? Diga-se de passagem.

Até o intervalo por conta do All-Star, o Magic ocupa a oitava posição da Conferência Leste.

Fultz fez 10 assistências e duas roubadas de bola e marcou o primeiro e o último ponto do time na prorrogação. Christian Wood, pelos Pistons fez 26 pontos e 12 rebotes, que voltou ao jogo, mas marcou apenas quatro pontos na prorrogação.

“Rotatividade”, essa foi a frase do técnico Dwane Casey. “Estávamos lutando contra o relógio ao invés de atacarmos com ritmo. Eles fizeram jogadas simples no final do jogo e tentamos tornar as coisas muito complicadas”.

Nikola Vucevic apareceu e converteu três pontos, dando a Orlando a vantagem desses exatos três pontos restando apenas 5,5 segundos, porém Reggie Jackson, do Detroit conseguiu converter 3 pontos com apenas 1,4 segundos levando o jogo para uma empolgante prorrogação.

O Pistons ficou atrás de 47-25 depois de cometer 9 turnovers no primeiro tempo, mas com uma boa atuação de Wood e Markieff Morris que marcaram 11 pontos cada, ajudaram o Detroit a superar o Magic por 30-12 nos últimos sete minutos do 1º tempo. Tony Snell empatou para os Pistons em 75 a 75, com 5:30 restantes no terceiro quarto, mas o Orlando recuperou uma vantagem de seis pontos no final do período, porém, o Magic perdeu seus 11 primeiros chutes no quarto período.

Os três pontos convertidos de Svi Mykhailiuk, Jackson e Morris deram aos Pistons uma chance de respirar com 9 pontos seguidos dando uma vantagem de 98-91 para o time visitante. Mas a ótima atuação de Gordon tirou essa vantagem em apenas 3 minutos e meio.

Pelos Pistons, Derrick Rose jogou 17 minutos depois de ter ficado fora de cinco partidas por conta de uma lesão no quadril. A volta de Rose está sendo bem difícil, ele que tinha feito 14 jogos seguidos com mais de 20 pontos antes de se lesionar, atribuiu o fato de ter convertido 1-13 chutes à falta de ritmo de jogo. “Ritmo, tempo! Os mesmos chutes que eu estava recebendo (antes da lesão) de forma efetiva, vou trabalhar meu jogo todos os dias para voltar com tudo”, disse Rose.

 

Milwaukee Bucks 111 X 118 Indiana Pacers

 

 

Em uma noite totalmente atípica e inesperada pelo bom desempenho que o time de Milwaukee vinha desempenhando até então, os Pacers passaram por cima dos Bucks, que tiveram um índice altíssimo de arremessos desperdiçados e muitos turnovers.

Malcolm Brogdon frustrou o ataque de Milwaukee com um belo desempenho, terminando com 17 pontos e 13 assistências, mas guardou seu melhor pro último quarto, quando marcou 10 tentos, registrou cinco assistências e fez todos os seus quatro lances livres. Esses números contaram apenas parte da história.

Os Bucks cortaram metodicamente um déficit de 25 pontos no primeiro tempo para cinco, parecia que outro jogo iria fugir dos Pacers, mas Brogdon novamente apareceu, marcou cestas consecutivas e encontrou Jeremy Lamb para uma bandeja. Quando os Bucks chegaram a apenas 4 pontos de desvantagem, aos 8:18, Brogdon encontrou Lamb e T.J. Warren, com três pontos seguidos, eles fecharam com 10-0, fazendo dois lances livres e dando a Indiana uma vantagem de 100-86, a 6:19 do fim.

T.J. Warren liderou os Pacers em pontos com 35, terminando uma sequência de cinco derrotas em casa e uma derrota de quatro jogos na série contra os Bucks. Sim, ajudou o MVP da liga Giannis Antetokounmpo, a perder o segundo jogo consecutivo após o nascimento de seu primeiro filho.

O Milwaukee Bucks teve uma série de vitórias em cinco jogos e perdeu seu primeiro jogo na temporada contra um time da Divisão Central.

Khris Middelton fez 17 pontos, Eric Bledsoe terminou com 15 pontos e Sterling Brown com 14. Di Vincenzo e Brown tiveram 8 rebotes.

O Milwaukee Bucks marcou pelo menos 100 pontos em 78 jogos consecutivos, empatados pela sexta maior sequência da história da NBA.

Apesar da vitória, o técnico Nate McMillan disse que o Indiana Pacers usará esse intervalo do All-Star Weekend para contemplar a melhor forma de usar o Oladipo para quando o Indiana voltar à ação.

McMillan inclusive afirmou que já foi feito um ajuste em Oladipo quando ele saiu do banco pra começar. “Vamos ver como ele está jogando, como está se sentindo e assim descobriremos se vamos precisar ajustar seu papel após o intervalo”.

Oladipo acertou 5 de 7 arremessos de quadra e 1 de 2 de três pontos. O técnico ainda afirmou: “ele está fora há mais de um ano. Você não pode esperar que ele seja o jogador de antes em duas semanas”.

 

Toronto Raptors 91 X 101 Brooklyn Nets

Em Nova Iorque, o Toronto Raptors esperava continuar com sua sequência de vitórias até o All-Star, mas, ao invés disso, eles tiveram sua série interrompida em 15 jogos com uma derrota por 101 a 91 para o Brooklyn Nets. Ainda assim, os atuais campeões da NBA, apesar de terem perdido Kawhi Leonard, estão tendo um ótimo desempenho.

“No grande esquema das coisas, você olha para o geral de onde está sentado e precisa ficar satisfeito com isso”, disse o técnico Nick Nurse.

O Toronto Raptors não conseguiu encontrar a forma que os ajudou a obter 121,2 pontos e disparar 50% nos 15 jogos anteriores. Desta vez, o time atingiu apenas 37,8% com o triplo-duplo de Kyle Lowry. “Não jogamos bem, simples assim. Eles jogaram bem e merecem crédito. Eles nos venceram. É apenas um jogo”, disse Lowry.

Caris LeVert marcou 20 pontos pelos Nets que terminaram a partida fechando uma sequência de seis vitórias consecutivas contra o Raptors. Joe Harris marcou 19 pontos e Spencer Dinwiddie fez 17 pontos e 9 assistências pelo time do Brooklyn. Kyrie Irving entrou mas foi para o banco novamente com o joelho direito torcido.

Serge Ibaka fez 28 pontos e 9 rebotes para os Raptors depois de retornar da ausência de um jogo por conta de sintomas de gripe. Fred VanVleet marcou 22 pontos e Lowry fez 12 pontos, 12 assistências e 11 rebotes.

Sobre a vitória dos Nets, o técnico Kenny Atkinson disse: “pensei na nossa questão física e nas coisas que perdemos nos últimos dois jogos contra eles, pensei apenas que queríamos muito a vitória. A execução não foi perfeita mas a nossa vontade de vencer estava num nível altíssimo”.

O Brooklyn Nets marcou os sete primeiros pontos do terceiro período, abrindo uma vantagem de 30 a 19. O Toronto teve o déficit reduzido para seis no minuto final do período, mas Harris fez três lances livres e, depois de um chute de 3, para chegar a 52-40 no intervalo.

Os Raptors não perdiam desde 12 de janeiro quando jogaram contra o San Antonio Spurs. O Brooklyn venceu cinco partidas seguidas em casa. Todos eram de dois dígitos, correspondendo a um recorde da franquia. LeVert obteve uma média de 24 pontos em seus últimos cinco jogos. Uma ótima marca não?

Charlotte Hornets 115-108 Minnesota Timberwolves

Os Hornets visitaram os Wolves, em Minneapolis, e saíram com a vitória graças ao último período, onde o time de Charlotte abriu 13 pontos de vantagem (inclusive vencendo por 34×21 no último quarto), para conquistar a sua segunda vitória consecutiva.

Devonte’ Graham foi o principal nome de Charlotte com 28 pontos, oito assistências e quatro rebotes, auxiliado por Malik Monk que teve ótima noite com 25 pontos, quatro rebotes, três assistências, dois blocks e uma roubada de bola.

Enquanto isso, no lado anfitrião da equação, Malik Beasley foi a maior constante com 28 pontos marcados, porém, D’Angelo Russell pareceu se sentir em casa com seus 26 pontos, 6 rebotes e 11 assistências. Pena que, sem Karl Anthony Towns, os Wolves não puderam bater mais de frente com os intrépidos visitantes.

Sacramento Kings 111-130 Dallas Mavericks

Acabou o caô! Luka Doncic voltou! O “Wonderboy” voltou voando da lesão que o tirou de quadra por alguns jogos e massacrou os Kings com 33 pontos, 12 rebotes e 8 assistências. O esloveno candidato a MVP liderou com tudo o que tem e mostrou que quando está em quadra, o Dallas Mavericks se transforma em um time muito mais perigoso.

Para Sacramento, restou apenas assistir e tentar fazer seu papel perante este triunfal retorno de Doncic, já que o insatisfeito Buddy Hield (que disse que se continuar no banco ele deve pedir troca para outro time) foi o principal destaque com 22 pontos para os Kings. Fora o notável retorno de Doncic, Kristaps Porzingis teve excelente atuação com 27 pontos, 13 rebotes, 5 assistências e 3 tocos.

Golden State Warriors 106-112 Phoenix Suns

 Vitória fácil do Phoenix Suns na partida, já que o time da casa abriu 10 pontos de vantagem vencendo o primeiro quarto por 34 x 24 e nunca mais deixou a liderança ir embora.

A defesa foi a chave, já que Phoenix orquestrou 14 roubadas de bola e ainda por cima também dobrou nos rebotes ofensivos, pegando 8 contra 4 dos Warriors, apesar de Golden State ter convertido mais de 50% de FGs.

Andrew Wiggins foi cara para os Warriors na partida, com 27 pontos, mas insuficientes para abater a qualidade defensiva exposta por Phoenix na partida. 27 pontos para Devin Booker que liderou os Suns para a vitória.

Miami Heat 101 @ 116 Utah Jazz

 

 

Miami segue com a síndrome do apagão do terceiro quarto. Indo para o intervalo na frente do placar, o Heat viu a vitória sair de seus dedos com o Jazz virando a mesa no terceiro período e como consequência, obliterando no último quarto também.

Donovan Mitchell bagunçou com 26 pontos marcados, liderando na pontuação, porém, Bojan Bodgdanovic, com seus 22 pontos e 7 rebotes, seguido de Jordan Clarkson com 21 pontos e Rudy Gobert com 16 pontos e 20 rebotes (com dois tocos).

Pelo Heat, Butler terminou com 25 pontos e 8 rebotes, seguido de Duncan Robinson com 18 pontos e Jae Crowder com 15.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.