February 19, 2020

Do it for Reid – a história de Andy Reid, nosso querido Leoncio da NFL

(por Rodrigo Mota)

 

O Super Bowl é sempre um evento que tem peso midiático enorme nos Estados Unidos. Logicamente o que não falta dos americanos para este grande evento é cobertura jornalística em todos os aspectos possíveis. E uma das partes mais legais de se ver sobre o Super Bowl, são os contos por trás das equipes, jogadores, treinadores e etc. E uma história que merece nosso destaque é a de Andy Reid, o treinador principal do Kansas City Chiefs.

Reid começou a se destacar quando iniciou seu trabalho nos Eagles. Com inicio em 1999, o treinador conseguiu ganhar respeito de uma das mais tradicionais franquias da NFL, e seu trabalho colheu frutos pouco tempo depois, ao conduzir Philadelphia a quatro aparições consecutivas na final da NFC entre 2001-2004 e inclusive uma visita ao Super Bowl em 2005. Não só as vitorias trouxeram simpatia, mas também o grande carisma apresentado pelo “divertido” técnico. Reid sempre foi conhecido por ser um cara simpático e de alto astral (destaque para as camisas florais estilo do Havaí, que usa sempre quando pode), mas também sem deixar a seriedade de lado em busca das melhores campanhas.

O treinador sempre teve a habilidade de desenvolver muito bem seus ataques, por este motivo não seria absurdo apontar Andy Reid como uma das melhores mentes ofensivas desta geração. Porém, uma coisa ainda faltava para Reid tirar as dúvidas dos críticos era um Super Bowl. Apesar de conseguir grandes times em temporada regular, sempre faltou para os comandados de Andy Reid um passo a mais para conseguir levantar o troféu Vince Lombardi e sacramentar seu legado, Reid só chegou uma vez a grande decisão e perdeu para o New England Patriots. Depois de alguns anos turbulentos em Philadelphia e incluindo a perda de seu filho Garett de apenas 29 anos por conta de uma overdose de heroína, o treinador resolveu mudar de equipe e rumar ao Kansas City Chiefs em 2013 para recomeçar.

Logo no início da sua trajetória em Kansas City os resultados já vieram, desde seu início em 2013, os Chiefs só ficaram de fora uma vez dos playoffs (2014), porém, mais uma vez todas as campanhas acabaram em eliminações precoces, o que levantou ainda mais dúvidas sobre o tamanho de Reid na NFL.

 

 

No entanto, o destino veio a mudar em 2017, quando os Chiefs resolveram alterar seu quarterback para Patrick Mahomes. O “Leoncio” teve um papel muito importante no desenvolvimento de Mahomes para se tornar o MVP da liga em 2018. A seca enfim chegou ao final. 21 anos depois (maior tempo esperado por um head coach na NFL a vencer um título), Reid e o seus Chiefs realizaram uma campanha emblemática e, lutando contra lesões durante quase toda a temporada, Kansas City trouxe o Lombardi para casa depois de 50 anos. Andy Reid ficou visivelmente emocionado por conta de toda essa pressão que foi aliviada e, sem dúvidas, pensando no seu filho em que ele mesmo comentou que fez falta na trajetória.

Um dos mais carismáticos técnicos da nossa era, finalmente conquistou um anel e agora ganha um patamar maior na história da NFL. Inclusive, muitos jogadores tem carinho grande por ele, e falaram durante a semana de entrevistas como seria bom vencer um título pelo técnico. Com todo amor demonstrado, com certeza muitos que não gostam tanto dos Chiefs estavam torcendo por ele (incluindo quem vos escreve). Enfim, a espera acabou e o momento agora é de celebrar, como ele mesmo disse: “Vou comer o maior cheeseburger que eu encontrar, talvez seja um duplo”. Pode comemorar Leoncio o momento é todo seu!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.