February 19, 2020

Quais foram os 10 melhores shows da história do Super Bowl?

(por Jefferson Castanheira)

 

O Super Bowl deixou de ser apenas a final da NFL há muito tempo. Com os shows do intervalo sempre potencializando a audiência e trazendo mais público para o Super Bowl, muitos artistas já passaram pelo palco do evento. Sempre houve a pergunta de quem fez o melhor show da história, e hoje, resolvi enumerar um Top 10 utilizando critérios para isso.

Curtam a lista!

 

1.Michael Jackson

O Halftime Show só existe por causa dele. Em 1993, durante o Super Bowl daquele ano, no Orange Bowl, em Pasadena, MJ estreava de vez o que era antes apenas uma distração. Michael Jackson não foi só um marco musical no intervalo do Super Bowl. Foi um marco midiático. Um ser gigante na cultura popular norte-americana. E a NFL deve muito a ele, por tudo o que fez para alavancar de vez o Super Bowl, e fazer com que muita gente conhecesse mais o evento e o esporte como consequência. Impecável do início (em que ele ficou em silêncio por mais de 1m30s!) ao fim, em uma daquelas performances históricas que o mundo jamais vai esquecer. Temos uma matéria aqui na Playmaker exatamente sobre esse show http://www.playmakerbrasil.com.br/2019/02/01/o-dia-que-o-rei-revolucionou-o-antes-e-depois-de-michael-jackson-no-half-time-show-do-super-bowl/.

Impacto midiático: 10

Qualidade Sonora: 10

Palco e visual: 10

Performance: 10

Entretenimento para não-fãs: 10

Geral + Nota final: 10

 

2.Prince

Magia. Só isso explica o que foi o show inacreditável de Prince, no Super Bowl XLI, no Hard Rock Stadium. Em um palco que tem o símbolo lindo do cantor Prince e debaixo de uma garoa fina, o gênio cantou e tocou guitarra em uma performance estonteante. Foi o melhor show no quesito de qualidade de som e banda, onde estava tudo simplesmente impecável mesmo com o obstáculo da garoa que caía no estádio. Durante do show, Prince fez covers de Foo Fighters, Bob Dylan e Creedence, claramente se divertindo com a oportunidade de tocar para o mundo todo ver ao vivo. Mas a magia estava por vir ainda: Durante a última música do show, a clássica Purple Rain, a garoa virou uma chuva forte. Prince, de calçado alto, de guitarra, fez o solo de Purple Rain durante uma chuva e a iluminação roxa do estádio, enquanto uma lona fazia uma sombra que o transformava em gigante enquanto solava. Um momento mágico que não existem palavras para traduzir.

Impacto midiático: 10

Qualidade Sonora: 10

Palco e visual: 10

Performance: 10

Entretenimento para não-fãs: 9.9

Geral + Nota final: 9,9

 

3.U2

O show da banda irlandesa U2 foi, sem dúvida alguma, o mais emocionante e tocante de todos os tempos. Apenas 4 meses após o atentado de 11 de Setembro, o time de Bono Vox recebeu a incumbência de segurar um Super Bowl XXXVI com a energia lá em cima, tentando resgatar um pouco o orgulho norte-americano naquele dia que é o seu principal evento midiático. Bono Vox surgiu no meio do povo enquanto a banda estava no palco principal tocando “Beautiful Day”, em um palco simples se não fosse um detalhe que fez os americanos chorarem e muito. Durante o começo da música “Where the Streets Have no Name”, subiram dois enormes tecidos de mais de 25 metros de altura, e neles foram projetados todos os nomes das vítimas do atentado do World Trade Center. Uma mensagem de paz que emocionou o mundo. Um show espetacular.

Impacto midiático: 10

Qualidade Sonora: 10

Palco e visual: 9,9

Performance: 10

Entretenimento para não-fãs: 9.9

Geral + Nota final: 9.8

 

4-. Lady Gaga (empate)

O show de Lady Gaga ficou empatado com o quinto colocado e por isso deixamos isso claro. Lady Gaga teve uma performance inacreditável, onde começou lá de cima do NRG Stadium e pulou, segurada por cordas, para começar um espetáculo musical, visual e completamente hipnotizante. Gaga apresentou alguns de seus maiores sucessos, incluindo Poker Face, Bad Romance e Million Reasons, de seu novo álbum, Joanne. Em um show que expôs a visibilidade LGBT e a saúde mental em seu praticamente circense espetáculo, Lady Gaga foi impecável em sua performance e em sua qualidade sonora. Talvez o palco tenha ficado pequeno para o tamanho de Lady Gaga, que poderia facilmente tocar por 20 ou mais minutos. Como disse Everaldo Marques, ela foi “ridícula”!

Impacto midiático: 9.9

Qualidade Sonora: 10

Palco, estrutura e visual: 9.8

Performance: 10

Entretenimento para não-fãs: 9.9

Geral + Nota final: 9.7

 

4-. Beyoncé (empate)

Bom, é a Queen B, né. Beyoncé está empatada em quarto-quinto lugar com Lady Gaga por um motivo: Ambos os shows foram absurdamente incríveis. Beyoncé conseguiu trazer o Destiny Child (grupo que a lançou pro mundo) diretamente para o palco, em uma reunião surpresa sensacional. Um jogo de vozes inacreditavelmente impecável com as suas ex-companheiras de conjunto, com dança, representatividade negra e empoderamento feminino. Se eu colocasse somente minha opinião pessoal, colocaria Beyoncé na frente de Lady Gaga, mas temos de ser justos que ambos tiveram o mesmo nível técnico e de impacto. Talvez a performance mais poderosa de todos os Super Bowl’s. Irretocável neste Super Bowl XLVII.

Impacto midiático: 9.9

Qualidade Sonora: 10

Palco e visual: 9.9

Performance: 10

Entretenimento para não-fãs: 9.8

Geral + Nota final: 9.7

 

6. Madonna

A rainha do pop fez um show inacreditável perante suas limitações de idade, dançando, cantando, jogando aquela farofa que o povo gosta em um palco sensacional. No meio da “farofada”, veio até o grande sucesso da época que era o Super Bowl XLVI, o conjunto LMFAO e Nicki Minaj. Com Cee Lo Green cantando junto de Madonna, o show foi coroado de fato como uma peça sensacional para o entretenimento musical e visual. É bom salientar que o show de Madonna conseguiu, pela primeira vez, vencer o jogo em audiência média: 114 milhões de telespectadores – 3 milhões a mais que o próprio Super Bowl.

Impacto midiático: 10

Qualidade Sonora: 9.8

Palco e visual: 10

Performance: 9.8

Entretenimento para não-fãs: 9.8

Geral + Nota final: 9.6

 

7. Katy Perry

Direto do Super Bowl XLIX, Katy Perry fez uma performance icônica visualmente e para seus fãs que já conheciam suas músicas. Com um palco inacreditável e entrando no show em cima de um leão de aproximadamente 5 metros de altura, que caminhou no gramado. Katy Perry teve talvez a apresentação mais bonita visualmente da história do Super Bowl. A grande problemática é que infelizmente apenas os fãs de fato se sentiram atraídos musicalmente, já que quem não acompanhava a cantora, ficou apenas babando pelo visual agressivo e revolucionariamente tecnológico no show. Katy destruiu e ainda chamou Lenny Kravitz e Missy Elliot pra ajudar, somando uma qualidade sonora exacerbada. Katy ainda conseguiu colocar muitas músicas em apenas 12 minutos de show, contando com Roar, Dark Horse, I Kissed a Girl (feat. Lenny Kravitz), Teenage Dream, California Gurls, Get Ur Freak On & Work It (feat. Missy Elliott), e Firework.

https://www.youtube.com/watch?v=ZD1QrIe–_Y

Impacto midiático: 9.7

Qualidade Sonora: 10

Palco e visual: 10

Performance: 10

Entretenimento para não-fãs: 9.8

Geral + Nota final:  9.5

 

8. Paul McCartney

O lendário Beatle fez um show espetacular no Halftime do Super Bowl XXIX, tocando Drive My Car, Get Back, Live and Let Die e finalizando com a homérica Hey Jude entoada pelo estádio todo. A qualidade sonora não estava 100% com momentos até de microfonia em alguns momentos, mas nada que impactasse de fato o show absurdo que foi. O palco foi lindo em formato de estrela, com quatro led’s enormes mostrando o show direto do gramado. Simplesmente genial.

Impacto midiático: 9.8

Qualidade Sonora: 9.8

Palco e visual: 9.8

Performance: 10

Entretenimento para não-fãs: 9.7

Geral + Nota final: 9.5

 

9. Bruno Mars

O havaiano Bruno Mars fez um show sensacional no Super Bowl XLVIII demonstrando todo o seu talento absurdo. O show começou com um solo de bateria dele mesmo, em um palco em movimento que levou o astro para o ponto central, onde ele dançou e cantou junto com a sua impecável banda. Se houve um momento em que o show teve seu “momento por que?” foi quando o Red Hot Chilli Peppers entrou no show. Não me entendam mal, RHCP é incrível, mas o show era praticamente uma ode ao soul-funk e teve uma quebra esquisita no meio com a participação da banda californiana. No mais, um excelente show!

Impacto midiático: 9.7

Qualidade Sonora: 10

Palco e visual: 9.5

Performance: 10

Entretenimento para não-fãs: 9.6

Geral + Nota final: 9.4

 

10. Rolling Stones

Os dinossauros do rock tocaram no Super Bowl XL, em 2006, num belo show bem executado pela banda histórica. Com os clássicos “Start Me Up,” “Rough Justice,” and “(I Can’t Get No) Satisfaction”, a banda conseguiu deixar todo mundo bem agitado em Detroit. O palco icônico em que eles se apresentaram foi o maior montado até aquela época, composto por 28 peças e executado em apenas 5 minutos. Porém, o palco era apenas o logo da banda e não continha nenhuma especialidade. Durante o show, dava pra sentir os ecos das guitarras e a bateria soando como uma lata em determinados momentos, o que com certeza vai na conta da mesa de som. A performance da banda foi muito boa, mas menos energética e empolgante perante os que estão em posições maiores.

Impacto midiático: 9.8

Qualidade Sonora: 9.1

Palco e visual: 9.4

Performance: 9.1

Entretenimento para não-fãs: 9

Geral + Nota final: 9.2

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.